Caderno Dds Fevereiro

  • View
    236

  • Download
    2

Embed Size (px)

DESCRIPTION

dds

Transcript

  • CADERNO DE DDS

    FEVEREIRO

  • TEMA 1

    ERGONOMIA SEGURA E CORRETA

    Todos os dias realizamos diversas atividades, seja em nossa casa ou trabalho, seja no lazer ou no nosso hobby predileto. Nesse caminhar do dia a dia, muitas vezes passarmos despercebido de como util a nossa coluna vertebral, de como ela a mola para que realizemos as nossas atividades diversas.

    Nos humanos a coluna vertebral, ou espinha dorsal, formada quase sempre por 33 e eventualmente 32 ou 34 vrtebras que so ligadas por articulaes que so de dois tipos: uma maior com interposio dos discos intervertebrais na regio anterior entre cada

    vrtebra e duas menores atrs, por um duplo par de facetas interarticulares posteriormente, sendo duas voltadas para cima e duas para baixo, formando de cada lado, posteriormente, na vrtebra, uma articulao facetria.

    Pesquisas apontam que no mundo de 10 pessoas, 7 delas j sofreram ou sofrem com alguma dor na regio da coluna vertebral, sendo que das 7 pessoas, 3 delas tem ou ter algum tipo de doena crnica derivado do desgate, m formao ou postura inadequada da coluna do individuo.

    algo alarmante no mesmo? preciso providncias, preciso educao postural do individuo, pois o modo de deitar, o modo de levantar algum peso, e outro poder desencadear uma doena.

    Imagine voc 3 anos sem jogar futebol, e resolve jogar uma pelada com os amigos do trabalho, s que por sentir muto cansado acaba indo para o gol, ou seja estar exposto uma condio de risco devido que essa posio requer um treinamento especializado afim de maximizar um reforo muscular para que os movimentos de queda, de pulo e principalmente de absorver esforo com as mo seja realizados de forma que no prejudique a coluna do arqueiro.

    necessrio saber que atualmente problemas postural que desencadeia um afastamento do funcionrio no caracteriza como doena para APOSENTADORIA, ou seja voc sofre por muitos anos com dor, gastos imensos, sensao de impotncia por no conseguir realizar atividade simples no dia a dia e por fim sofre at mesmo com a difuldade de receber seu beneficio pelo INSS.

    Por isso, seja prudente e utilize de algumas dicas.

    - Evite carregar excesso de peso.

    - Nunca utilize a coluna como centro de carga para agachar ou levantar algum peso, este deve ser concentrado nas pernas.

    - Sempre realize atividades fisicas.

    - Se houver algum problema anterior comunique com a sua empresa.

    - Sempe utilize se do encosto da cadeira ao se sentar.

    - Durma sempre de barriga para cima e nunca de lado.

    - Opte do colches anatomicos.

    Vamos utilizar da ergonomia correta e segura no nosso dia a dia, importante para o nosso bem atual e futuro.

  • TEMA 2

    O PODER DOS OLHOS

    O poder sobre os olhos incrvel. Pense em desvendar pensamentos e guiar uma conversa. Com o estudo da linguagem visual voc pode fazer isso. Se prestarmos ateno, pessoas tendem a olhar para diversos cantos, desviar e fechar os olhos. O estudo sobre a linguagem visual auxilia na melhoria do envolvimento social, aumentando as possibilidades de conseguir resultados satisfatrios, pessoal e profissional. Pessoas ao receber uma informao que olham para o alto e esquerda esto processando cenas que ainda no foram vistas, construindo imagens para possveis respostas, ou somente a fazer um julgamento mental. Olhos voltados para o alto e direita esto acessando cenas j vista e experincias passadas. Olhos voltados para baixo e esquerda esto experimentando cenas emocionais e sensaes cinestesicas. Mulheres so atradas por homens que saibam exploram estas reas. Olhos voltados para baixo e direita so reservados a dilogos internos, e tambm a uma posio passiva de audio. Um fator interessante sobre a linguagem visual so os canhotos: Eles operam de modo oposto ao destro, atribuindo emoes ao lado direito, e esquerdo para dilogos internos. Os movimentos de nossos olhos correlacionam-se com os nossos modos de pensar. Eles so indicadores no do contedo dos nossos pensamentos, mas do como pensamos. Atente-se aos detalhes. Com o estudo e pratica dessa linguagem voc pode compreender sentimentos que jamais imaginaria saber.

    Mas algo importante para que voc possa desvendar esse poder, voc deve ter sempre os cuidados necessrios, sempre utilizar proteo adequada para evitar iluminao alta principalmente de televisores e computadores, realizar consulta oftalmolgica pela menos 1 vez a cada 2 anos e principalmente utilizar de culos de segurana nas rea industriais. Vamos cuidar dos nossos olhos, pois sem eles nunca mais teremos outro recurso para conseguir a viso, prevenir sempre ser a nossa meta e prioridade.

  • TEMA 3

    CUIDADOS COM O SOL

    Viver num pais tropical uma beno, pois a natureza nos oferece condies para vivermos com entusiasmo, vibrao e esprito de realizao.

    O sol tem uma funo muito importante na elaborao de hormnios favorveis vida plena. Mas no alto vero, corremos o risco da exposio excessiva luz solar.

    O vero um momento privilegiado porque nos coloca mais para fora, em contato com a natureza e mais pr-ativos no relacionamento com as pessoas. Mas esse mesmo sol propcio vida, tambm pode trazer grandes enfermidades e at a morte.

    J faz parte da nossa cultura um envolvimento desastrado com o prprio corpo, na busca de ficar 'melhor' e mais bonito atravs de uma malhao infernal e de um excesso de exposio ao sol.

    O excesso no o caminho, com a camada de oznio modificada, j no temos mais aquele sol nas condies de trinta, quarenta anos atrs, que fazia to bem nossa sade.

    A exposio luz do sol deve ser feita com o maior cuidado. Use protetor solar abundantemente. O protetor solar , na verdade, uma malha que se desenvolve acima de nossa pele, interrompendo os efeitos danosos do sol. O nvel de segurana deve ser no mnimo de 20 a 30. E deve ser passado na pele pelo menos vinte minutos antes de sair de casa, porque essa malha no se forma rapidamente aps sua aplicao.

    Voc fica moreno tambm com protetor forte, s que preciso pacincia e tempo. Sem proteo, trocamos de pele que nem cobra. A pele vermelha sinal de que bilhes de clulas foram mortas repentinamente. Isso atinge o sistema imunolgico e se a pessoa no dormir, pior ainda.

    Sabemos hoje que o sol provoca o desenvolvimento do cncer de pele que, se no cuidado a tempo, um dos mais mortais. H cinquenta anos no acontecia nada disso quando se tomava sol.

    Cuidados para se expor luz do sol

    - Passe protetor solar - Mate a sede tomando muita gua e no cerveja e refrigerante. Para matar a sede tem que ser gua. - No vero o organismo agredido pelo prprio calor, por isso coma uma alimentao mais leve, para que ele no sofra ao metabolizar os alimentos. Coma verduras, legumes, menos gordura e menos fritura. Aquele prato rabe, o tabule, timo.

    - Evite atividade fsica depois das dez da manh e antes das quatro da tarde.

    - As vestimentas devem ser leves, soltas e de cores claras, deixando a maior parte do corpo descoberta para que ocorra a necessria evaporao da umidade da pele devido ao calor. Use bons.

    Muito cuidado com o aumento da temperatura interna

    Existe uma "espcie de relgio" no organismo impedindo que a temperatura ultrapasse um determinado ponto. Se subir demais, desintegra suas protenas.

    O corao possui duas funes: levar sangue com oxignio para o msculo em atividade e transportar o sangue das cavidades para a superfcie da pele com o objetivo de dissipar o calor na atmosfera. Junto pele, o sangue resfriado pelo suor que evapora em contato com o ar atmosfrico. Esse sangue, agora menos quente, vai novamente ser levado ao interior do organismo para captar calor e conduzi-lo superfcie.

    O sangue em vez de alimentar o msculo, atende s cavidades. por isso que a freqncia cardaca aumenta e o corao fica sobrecarregado, caindo assim a performance.

    Portanto, ao se exercitar no calor, deixe o corpo sem agasalho. Para que possa ocorrer a evaporao. Por isso, no enxugue o suor, pois ele esfria o sangue. Alm do mais, suor no emagrece. - A atividade fsica deve ser mais leve e gradativa. Alis, tudo tem que ser mais leve no vero, s a gua que tem que ser 'forte'!

  • TEMA 4

    O PODER DAS FRUTAS

    A palavra fruta tem muitos significados diferentes, dependendo do contexto em que se utiliza. Em botnica, um fruto o ovrio e sementes amadurecidas de uma planta em flor, e em muitas espcies, o fruto incorpora o ovrio e os tecidos circundantes. Os frutos so assim, em botnica, os meios pelos quais as plantas florescem e disseminam as sementes.

    Na cozinha, quando os alimentos so denominados frutos, o termo mais utilizado para designar os frutos de plantas comestveis, doces e carnudos, e que incluem, como exemplo, ameixas, mas e laranjas. Apesar de em culinria a palavra fruta ter uma utilizao limitada, um grande nmero de produtos hortcolas, como nozes ou gros, so tambm denominados em botnica como os frutos de vrias espcies vegetais. No existe uma nica terminologia que realmente encaixe a enorme variedade que possvel de encontrar entre os frutos das plantas.

    A grande maioria dos frutos, incluindo a fruta carnuda como a ma, o pssego, pra ou manga so comercialmente valiosos para a alimentao humana, sendo consumidos frescos ou desidratados, em conserva ou na forma de compotas. Muita fruta utilizada para fazer bebidas, como sumos de frutas (sumo de laranja, sumo de ma, sumo de uva, etc) ou para fazer bebidas alcolicas, como o vinho e aguardente.

    Vrios legumes so na realidade frutos botnicos, como o tomate, a beringela, o pimento, a abbora, o feijo verde ou o pepino. Tambm as especiarias como a baunilha, a paprika, a pimenta da Jamaica e pimenta preta tm origem e