DDS FEVEREIRO

  • View
    393

  • Download
    2

Embed Size (px)

Text of DDS FEVEREIRO

___/__/__

O risco do RudoEm nossa vida diria, seja em casa, no trabalho, viajando ou nos divertindo, existem inmeras situaes nas quais estamos expostos a rudos. O trabalho, na maioria das vezes, se apresenta como a situao mais perigosa em funo das muitas mquinas e equipamentos ruidosos e tempo considervel que passamos sob estas condies. O rudo formado por vibraes sonoras que alcanam altos nveis de freqncias, medidas em Hertz, e intensidade medidas em Decibis, e que prejudicam a sade humana, causando sensaes desagradveis, bem como variados danos sade. FATORES QUE INFLUENCIAM OS RISCOS TEMPO DE EXPOSIO: quanto maior este tempo, maior o perigo. TIPO DE RUDO: pode ser contnuo (sem parar), intermitente (ocorre de vez em quando) ou de impacto (com durao menor que 1 segundo e intervalo maior que 1 segundo). LESES NO OUVIDO: causados por problemas anteriores no ouvido (infeces e inflamaes).

Instrutor: ______________________________________ Tcnico de Segurana do Trabalho

___/__/__

Segurana Quando Utilizar a Escada Fique sempre de frente para a escada quando estiver a subir. Mantenha 3 pontos de contacto. Use um cinto para ferramentas ou um guincho para erguer as ferrarnentas. No tente alcanar longe demais! Mude a posio da escada. Quando estiver a trabalhar numa escada em alpendres e varandas elevados, lembre-se que uma queda pode mand-lo ao cho. No coloque a escada em frente de uma porta sem antes a ter bloqueado.

Mantenha as Escadas em Boa CondioMude de sapatos regularmente. Lubrifique os suportes de metal, as travas de segurana e as polias.

D Informao aos Seus TrabalhadoresEmbora as escadas sejam usadas todos os dias, fcil esquecer as precaues a tomar. Elas so uma das causas principais de acidentes de trabalho. Tenha a certeza que os seus trabalbadores compreendem e pem em prtica as medidas de segurana no trabalho.

Instrutor: ______________________________________ Tcnico de Segurana do Trabalho

___/__/__

Espaos ConfinadosOs espaos confinados so diferentes uns dos outros, mas seus perigos so muito perecidos. Antes da entrada necessrio que se avalie cada um deles em particular, para que sejam detectados os perigos conhecidos ou em potencial.

Perigos atmosfricosFaa um levantamento das condies na seguinte ordem: Deficincia de oxignio: Uma atmosfera considerada deficiente de oxignio quando sua concentrao em volume for inferior a 18%, conforme a NR6 e NR15. Temos que levar em considerao que a umidade e a presso do ar podem alterar a atmosfera num espao confinado. Materiais inflamveis/combustveis: So o resultado da evaporao de lquidos inflamveis , produtos derivados de reaes qumicas, atmosferas ricas em oxignio ou concentraes de poeiras inflamveis. Gases txicos: Vrias substncias (lquidos, vapores, gases, nvoas, materiais slidos e poeiras) so perigosas em espaos confinados.

Instrutor: ______________________________________ Tcnico de Segurana do Trabalho

___/__/__

Segurana- Trabalho com CopactadorAo iniciar um novo turno de trabalho, o operador deve antes verificar o funcionamento dos dispositivos de operao e segurana, assim como, verificar/testar se os dispositivos de proteo esto devidamente ajustados. O compactador de solo s pode ser colocado em operao com dispositivos de segurana originais. A validade dos elementos de operao no pode ser adulteradaou modificada. Antes de dar partida no compactador o operador tem que tomar as medidas pessoais necessrias de preveno e proteo contra rudos. O motor de propulso s pode ser ligado aps o operador ter certeza de que o compactador no consiga se movimentar sozinho (sair andando). Procedimento diante de Problemas Acontecendo algum problema nos dispositivos de segurana ou outro problema que venha prejudicar a segurana do funcionamento dos componentes, um inspetor deve ser informado imediatamente. Diante de algum problema que possa arriscar a segurana do trabalho, este deve ser interrompido imediatamente.

Instrutor: ______________________________________ Tcnico de Segurana do Trabalho

___/__/__

Noes bsicas de Armazenamento de lquidos combustveis

Para evitar incndios, lquidos perigosos, incluindo aqueles que so inflamveis ou combustveis, requer cuidados especiais sejam tomadas para o seu armazenamento, manuseio e uso. O que um lquido combustvel? Para evitar incndios, lquidos perigosos, incluindo aqueles que so inflamveis ou combustveis, requer cuidados especiais sejam tomadas para o seu armazenamento, manuseio e uso. Objetivo:Conscientizar sob o abastecimento dos equipamentos motorizados.

Instrutor: ______________________________________ Tcnico de Segurana do Trabalho

___/__/__

EPIConforme a NR 06 (norma regulamentadora), EPI todo e qualquer dispositivo ou produto, de uso individual, utilizado pelo trabalhador, destinado a proteo de riscos suscetveis de ameaar a segurana e a sade no trabalho. Sendo, a empresa, obrigada a fornecer aos empregados, gratuitamente, EPI adequado ao risco, em perfeito estado de conservao e funcionamento, sempre que, as medidas de ordem geral no ofeream completa proteo contra os riscos de acidentes do trabalho ou de doenas profissionais e do trabalho; enquanto as medidas de proteo coletiva estiverem sendo implantadas; e para atender a situaes de emergncia. Cabe ainda para a empresa, exigir o uso dos EPIs pelos seus funcionrios durante a jornada de trabalho, realizar orientaes e treinamentos sobre o uso adequado e a devida conservao, alm de substituir imediatamente, quando danificado ou extraviado. Como em todas as relaes

Instrutor: ______________________________________ Tcnico de Segurana do Trabalho

___/__/__

empregador empregado, os trabalhadores tm seus direitos e deveres, nessa situao no diferente, sendo responsabilidade dos empregados, usar corretamente o EPI, e, apenas durante o trabalho, mantendo sempre em boas condies de uso e conservao. Abaixo, esto listados os principais itens de EPI disponveis, alm de informaes importantes para assegurar a sua identificao e o uso correto.

A

IMPORTANCIA DA SEGURANA NO TRABALHO

Instrutor: ______________________________________ Tcnico de Segurana do Trabalho

___/__/__

Faltas no trabalho, pequenas leses, fadiga, estresse ou at mesmo acidentes graves. Estes so os transtornos relacionados atividade profissional. Mas, a maioria dos problemas tem medidas de preveno e precaues adequadas. Segundo a AreaSeg, site especializado em segurana do trabalho, a segurana pode ser entendida como os conjuntos de medidas adotadas que visam minimizar os acidentes de trabalho, doenas ocupacionais, bem como proteger a integridade e a capacidade de exerccio do trabalhador De 1970 a 1999, a quantidade de trabalhadores brasileiros triplicou. Conforme o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) o nmero de casos com acidentes no local de trabalho, passou de 1.220.11 em 1970, para 378.365 pessoas em 1999. O que indica que as empresas esto mais organizadas e dispostas a investir em segurana do trabalho.

O ACIDENTE OCULAR DE TRABALHO E SUA PREVENOOs acidentes com os olhos podem acontecer repentina e inesperadamente, e o indivduo pode percebe-los imediatamente ou apenas horas mais tarde, quando surgirem, sintomas como irritao, hiperemia ou sensao de corpo estranho. A inaptido para o trabalho causada pelo comprometimento ocular muito maior do que qualquer outro tipo de acidente uma vez que em mdia de 15 semanas, quando no permanente, contra as 5 para aqueles que afetam outra partes do corpo.

Instrutor: ______________________________________ Tcnico de Segurana do Trabalho

___/__/__

Os profissionais mais atingidos pelo trauma ocular so os das seguintes reas: metalurgia, construo civil, marcenaria, mecnica, txtil, cermica, industria qumica, industria de produtos alimentcios, transporte, pesca, artes grficas e minerao. As leses oculares mais encontradas so: corpos estranhos, lceras traumticas, queimaduras, contuses e laceraes e at perfuraes do globo ocular. Os sintomas mais comuns so: dor, baixa da viso, ardor, lacrimejamento, fotofobia, vermelhido, secreo ocular e sensao de corpo estranho nos olhos. As causas dos acidentes de trabalho oculares podem ser: 1) fsicas, responsveis por 10% dos acidentes e 2) falta de superviso, responsvel por 88% dos acidentes. Entre as causas fsicas destacamos a falta de proteo eficiente (como os culos de proteo com lentes de segurana), trajes inadequados, m iluminao e ventilao do ambiente de trabalho e a m disposio ou a manuteno inadequada dos equipamentos. J no caso referente superviso, sabemos ser esta de extrema importncia na preveno de acidentes oculares, devendo no entanto ser constante, de modo a obrigar a totalidade dos funcionrios. A educao a principal arma de apoio devendo ser constante e duradoura. H a necessidade de uma organizao com plena autoridade de superviso que se encarregue do assunto e faa cumprir a legislao j existente com referencia aos acidentes de trabalho. Quanto s condies de trabalho, deve-se avaliar: ventilao e iluminao do local, necessita de ar condicionado, aspiradores e exaustores, uso de culos de proteo, horas de trabalho e descanso, entre outras. Correia Bastos aconselha um descanso de 10 minutos aps a 3 hora de trabalho, pois aps este perodo que os acidentes so mais comuns. Com relao aos culos de proteo, os mais utilizados so os com lentes de vidro temperado ou endurecido com 3 milmetros de espessura, que apresenta timas qualidades pticas. Temos ainda lentes com vidros laminados coloridos e plsticos. Os culos protetores protegem os olhos de areia, fagulhas, gases, pancadas, p, vento e energia radiante.

BEBA AGUAInstrutor: ______________________________________ Tcnico de Segurana do Trabalho

___/__/__

Hoje muito popular no Japo beber gua imediatamente aps se levantar, na parte da manh. Alm disso, as