Click here to load reader

Descarregar a agenda pdf

  • View
    223

  • Download
    4

Embed Size (px)

Text of Descarregar a agenda pdf

  • Servio Educativo2016/2017

  • 2 3

    Servio Educativo2016/2017

  • Parceiro Servio Educativo Apoio Institucional

    fundaoenergia

  • Mecenas Principal Casa da Msica

    Mecenas Orquestra Sinfnicado Porto Casa da Msica

    Apoio divulgao

    Apoio Institucional

  • Seguros de A a Z.

    Allianz CasaD sua casa toda a importncia que ela tem para si.

    Com o Allianz Casa tem: A proteo que precisa Profissionais qualificados sempre disponveis para o ajudar Assistncias que se adaptam a si

    Companhia de Seguros Allianz Portugal S.A.No dispensa a consulta de informao pr-contratual e contratual legalmente exigida. Consulte o seu mediador ou v a allianz.pt

    C

    M

    Y

    CM

    MY

    CY

    CMY

    K

    Allianz_casa_156x213.pdf 1 16/07/22 18:09

    Apoiamos a Casade todas as Msicas A Fundao Galp Energia tem o objetivo de intervir no mbito da Responsabilidade Sociale do Desenvolvimento Sustentvel. Promovee apoia iniciativas nas reas do desenvolvimento social, da energia e ambiente e da cultura.

    Energia cria msica

    fundacaogalpenergia.com

    C

    M

    Y

    CM

    MY

    CY

    CMY

    K

    CasaDaMusicaPT_3_156x216.pdf 1 7/20/2016 1:43:16 PM

  • Apresentao

    11

    Factor E!

    13

    Espectculos

    15

    Workshops

    43

    Formao

    71

    Fora de Srie

    95

    + Info

    131

    Bilhetes venda:

    Bilheteiras da Casa da Msica

    www.casadamusica.com

    Lojas Worten

  • ApresentaoContamos sempre consigo, queremos abranger todos os cidados. este o manifesto do Servio Educativo e o critrio a que obedece uma agenda inclusiva, pluralista, renovada anualmente.

    O que fazemos s ganha sentido na partilha com os pblicos, e eles so tantos... Desta leitura resulta uma programao atenta ao mosaico de geraes, culturas e sensibilidades da sociedade. Propostas inditas e reedies bem-sucedidas, sobretudo produes prprias, perfazem um conjunto de actividades de carcter educativo, artstico e social. So workshops, aces de formao, concertos multidisciplinares, mais projectos em permanncia originais e de integrao, logo, Fora de Srie.

    De bebs de colo a seniores, de escolas a famlias e comunidades, de msicos profissionais a simples curiosos, todos so considerados num plano acessvel eavesso excluso, que entende a Msica como o espao dasoportunidades.

    Desassossega-nos deixar algum de fora. Por isso chamamos Casa grupos mais fragilizados, envolvendo-

    -os em aces reabilitadoras, artisticamente vlidas, mais notadas no ciclo Ao Alcance de Todos. Discreta econtinuadamente, desenvolve-se um trabalho de largo alcance social.

    Desejamos deixar um registo positivo, indelvel, no presente e no futuro. O que nos conduz s novas geraes: profunda a ligao s escolas, do ensino regular ou vocacional, e s universidades, com as quais cresce uma colaborao plasmada em projectos de investigao e parcerias criativas. Nesta construo do futuro entram outras iniciativas, como o Coro Infantil Casa da Msica, agora a estrear-se.

    11

  • Factor E! a nossa equipa, o dnamo de aco do Servio Educativo. So msicos e profissionais de outras artes, investigadores, formadores. Juntos constituem um grupo coeso e multidisciplinar, incapaz de estar quieto, com fria criativa ecapacidade de realizao.

    Dos bastidores aos palcos, da ideia concretizao, da experincia individual ao encontro com comunidades, nada acontece sem este corpo de elementos comprometidos com um projecto que investe na criatividade e na inovao. A ele trazem distintas linguagens, perspectivas e vontades. Sendo diferentes, confrontam-se, desafiam-se e estimulam-

    -se. Como co-criadores ou intervenientes activos em todas as actividades apresentadas nesta agenda, alimentam continuamente uma dinmica de trabalho receptiva a novasabordagens.

    Pela confluncia de personalidades, competncias artsticas e formas de viver a msica, o Factor E! constitui-

    -se tambm como um ensemble musical com produo prpria e repertrios de fuso.

    Chegando aqui, se algum perguntar o que cabe no E deste Factor, facilmente podemos apontar Expresso, Experimentao, Espectculo ou Envolvimento, mais tudo o que integra o nosso conceito Educativo.

    De montante a jusante, misturamo-nos com a populao, envolvemos a cidade. Sonpolis, a festa do pluriculturalismo, o Dia Mundial da Msica, passeando pelas ruas, e espectculos por formaes com gnese no Servio Educativo fazem o palco no espao pblico. Entreportas (sempre abertas), os nossos projectos musicais e artsticos tm uma ligao cada vez mais efectiva e forte com os agrupamentos residentes e os ciclos programticos da Casa. A este propsito, a Orquestra Som da Rua, um ensemble de incluso social, e o Cor da Voz, um coro comunitrio, participam em

    Nova Msica para Novos Pblicos, uma produo do Remix Ensemble Casa da Msica com estreia mundial em Dezembro. Noutro registo, o Digitpia Collective acrescenta vida electrnica aorquestras de cariz acstico.

    Sim, h tempo e espao para tudo. Inclusive para boas Itinerncias. De dimenso internacional, este programa permite-nos apresentar noutras salas workshops, aces de formao, espectculos. Em 2016/17 alargamos o mapa a Luxemburgo e Roterdo. E voltamos ao Japo, entre outros itinerrios.

    Com tudo isto, s podem ser mltiplas as portas queabrimos expresso e realizao musical e artstica. Tradio ou inovao so admitidas em abordagens criativas que experimentam novas linguagens.

    Pela vontade de democratizar o acesso de qualquer pessoa criao musical surgem conceitos precursores. o caso da plataforma Digitpia Casa da Msica, h dez anos a participar na revoluo da msica electrnica e digital atravs de actos performativos e de formao, do surgimento de comunidades globais ou da concepo de software amigvel. A ela se deve o Orelhudo!, um programa online, de utilizao simples, que d uma msica distinta a cada dia do ano. J experimentou? Qualquer pessoa o pode usar livremente, alargando a sua cultura musical e geral.

    Nesta Agenda, que tambm sua, expomos o trabalho a realizar num ano lectivo alargado. Outras propostas podero ser acrescentadas; faz parte de um processo evolutivo. assim desde o Porto 2001 Capital Europeia da Cultura, com este Servio Educativo a acompanhar o nascimento do modelo Casa da Msica a casa de todos.

    Ana BentoAna RebeloAnabela LeiteAntnio Miguel TeixeiraArtur CarvalhoBruno EstimaBruno PintoCristiana FelgueirasDaniel SousaIns LeoJoana ArajoJoaquim AlvesJorge PrendasJorge QueijoJos Alberto GomesMafalda RamosMaria MnicaMiguel RamosNuno HespanholNuno Peixotoscar RodriguesPatrcia CostaPaula OliveiraPaulo Coelho de CastroPaulo NetoPedro AugustoPedro Cardoso (Peixe)Ricardo BaptistaSofia Nereida Teresa CoelhoTiago ngeloTiago Oliveira

    12 13

  • Espectculos

    14 15

  • Primeiros Concertos

    19

    Concertos para Todos

    25

    Palestras Pr-Concerto

    37

    Concertos Comentados

    39

    As il

    ustr

    Ae

    s do

    s es

    pect

    cul

    os s

    o d

    o ti

    Ago

    gAlo

    16 17

  • Primeiros Concertos So especiais, so os primeiros Concebidos para crianas dos 3 meses aos 6 anos, estes concertos encenados fazem chegar a msica em coloridos cenrios efigurinos, atravs de personagens e estrias de mundos encantados. Tmadelicadeza do algodo doce e a alegria de pequenos traquinas, mas so produes filtradas porpropsitos pedaggicos: com eles se pretende dotar onosso pblico mais jovem das bases da compreenso eexpresso musicais,bem como transmitir algumas mensagens que fazem o b--b da vida.

    Entre estreias e a reposio de produes bem--sucedidas, so sete os Primeiros Concertos que pintam derepertrios e afectos o ano lectivo. Cada espectculo tem apenas cinco sesses agendadas e em dois dias seguidos, um domingo reservado s famlias (com trs horrios escolha) e uma segunda-feira para escolas doensino pr-escolar (dois horrios).

    ASSINATURAS PRIMEIROS CONCERTOSPARA SESSO DAS 16H

    60 (CRIANA + ADULTO) 45 (SEGUNDO ACOMPANHANTE

    COM MAIS DE 6 ANOS)

    NA COMPRA DESTA ASSINATURA, OFERTA DE UM DOS CONCERTOS

    18 19

  • Pssaro de Fogo 09 e 10 de outuBro

    Aquilo que vocs quiserem direco artstica e interpretao

    Quem ele, quem ? So cinco e bons cantantes, de penas flamejantes. DeStravinski a Zeca Afonso, trazem melodias no bico e abrem asas aventura de um prncipe em busca do pssaro de fogo. Ser o corvo ou o rouxinol, o pica-pau, opapagaio ou o colibri? A magia voaaqui

    ANO RSSIADomingo 09 de Outubro 10:00, 11:30 e 16:00 Sala 2

    Famlias (crianas dos 3 meses aos 6 anos) 10 criana + adulto 7,5 segundo acompanhante

    com mais de 6 anos

    Segunda 10 de Outubro 11:00 e 14:30 Sala 2 Escolas do Ensino Pr-Escolar (36 anos)

    2,5 criana

    Orkestrioska!

    27 e 28 de NovemBro

    Factor E! direco artstica e interpretao

    Chega a msica sem arestas, a circular sem parar. Atrs desta vem outra, e depois mais uma, com surpresas a acontecer at nada se esconder. Colorida como asMatrioskas, surge frtil nas formas macias de uma rotina familiar, onde Rssia ePortugal so os pases a abraar.

    ANO RSSIADomingo 27 de Novembro 10:00, 11:30 e 16:00 Sala 2

    Famlias (crianas dos 3 meses aos 6 anos) 10 criana + adulto 7,5 segundo acompanhante

    com mais de 6 anos

    Segunda 28 de Novembro 11:00 e 14:30 Sala 2Escolas do Ensino Pr-Escolar (36 anos)

    2,5 criana

    Alice no Pas das Msicas

    29 e 30 de JANeiro

    Factor E! direco artstica e interpretao

    Se tens sono, deixa-te dormir e s ento tudo irs descobrir. Nos sonhos, sabes como , cais noutro mundo em p. Neste h sons virados do avesso, enigmas por trs das msicas, instrumentos sem tino, ruidosos ou a piar fino. E h fantasia, com Alice em tua companhia.

    Domingo 29 de Janeiro 10:00, 11:30 e 16:00 Sala 2Famlias (crianas dos 3 meses aos 6 anos)

    10 criana + adulto 7,5 segundo acompanhante com mais de 6 anos

    Segunda 30 de Janeiro 11:00 e 14:30 Sala 2Escolas do Ensino Pr-Escolar (36 anos)

    2,5 criana

    Sheiks do Shake

    19 e 20 de Fevereiro

    Joaquim Alves e Jorge Queijo direco artstica

    Artur Carvalho, Joaquim Alves, Jorge Queijo, Miguel Ramos e Paulo Neto interpretao

    Dum dum takata dum takata Ao ritmo, abrem-se as portas misteriosas do Oriente. Os Sheiks, senhores das Arbias, do um concerto que envolve viagens musicais notapete mgico, o despertar do Gnio dalmpada e mil e uma aventuras com umshake agitado e bem tocado.

    Domingo 19 de Fevereiro 10:00, 11:30 e 16:00 Sala 2Famlias (crianas dos 3 meses aos 6 anos)

    10 criana + adulto 7,5 segundo acompanhante com mais de 6 anos

    Segunda 20 de Fevereiro 11:00 e 14:30 Sala 2Escolas do Ensino Pr-Escolar (36 anos)

    2,5 criana

    2120

  • Pequenos Piratas

    26 e 27 de Maro

    Gira Sol Azul direco artstica e interpretao

    Piratinhas, toca a embarcar! O Capito Barba Rija e a Pirata X voltam a desbravar um mar de ruidosas tempestades, bonanas melodiosas e encontros fantsticos. Ele sonoro rabugento e ela alegre cantora, ora se do bem ora se domal. O que importa o tesouro musical.

    Domingo 26 de Maro 10:00; 11:30 e 16:00 Sala 2Famlias (crianas dos 3 meses aos 6 anos)

    10 criana + adulto 7,5 segundo acompanhante com mais de 6 anos

    Segunda 27 de Maro 11:00 e 14:30 Sala 2Escolas do Ensino Pr-Escolar (36 anos)

    2,5 criana

    Msica de Bolso

    21 e 22 de Maio

    No Reino Waka

    18 e 19 de Junho

    Bruno Estima e Paulo Neto direco artstica e interpretao

    Para a selva ser uma animao, tem de haver comunicao. Com percusses africanas servidas em doses generosas, um cabisbaixo Leo Waka recupera a capacidade de comunicar com os outros animais. Nesta extica consulta de Reinomusicologia, o remdio a alegria!

    Domingo 18 de Junho 10:00, 11:30 e 16:00 Sala 2Famlias (crianas dos 3 meses aos 6 anos)

    10 criana + adulto 7,5 segundo acompanhante com mais de 6 anos

    Segunda 19 de Junho 11:00 e 14:30 Sala 2Escolas do Ensino Pr-Escolar (36 anos)

    2,5 criana

    Factor E! direco artstica e interpretao

    Quando um bolso se abrir algo vamos ouvir. volta de uma cortina cheia deles que Madame Algibeira e Monsieur de Bolso desencantam canes e brincadeiras sonoras. At estarem todos abertos no hcomo sossegar todos querem cantar.

    Domingo 21 de Maio 10:00, 11:30 e 16:00 Sala 2Famlias (crianas dos 3 meses aos 6 anos)

    10 criana + adulto 7,5 segundo acompanhante com mais de 6 anos

    Segunda 22 de Maio 11:00 e 14:30 Sala 2Escolas do Ensino Pr-Escolar (36 anos)

    2,5 criana

    22 23

  • Concertos para TodosPela incluso se decifra o cdigo gentico destes concertos. Abrimos as portas a pblicos de todas as idades; misturamos diversas artes e disciplinas complementares; utilizamos processos de trabalho da msica que aceitam tradio e disrupo. O princpio mesmo este: braos abertos. Toda a liberdade. E gozo em co-criar, vontade de partilhar. Sem deixar ningum de fora. Sem olhar a preconceitos.

    So espectculos que vo alm das tbuas do palco, correndo por muitos lugares. Fazem um programa de carcter artstico, pedaggico e ldico, to criativo quanto instrutivo. Tm leituras do mundo, da cidade, da individualidade. Do expresso a diferentes comunidades e pela diversidade, com alma, chegam a cada pessoa. Entre estreias absolutas e reedies com valor acrescentado, so sobretudo criaes prprias que trabalham amsica com muito e sempre para Todos.

    2524

  • Canto em Cada Canto01 de outubro

    Factor E! direco musical Coros escolares e amadores interpretao

    So muitas as vozes, tantos os repertrios, que se espalham pela cidade. Sem aviso, coros escolares e amadores cantam para quem passa, transformam a rotina urbana e tornam o dia maior. A meio da tarde confluem para a Casa, onde decorre uma apresentao simultnea que manifesta diversidade: dos registos prprios de cada grupo nasce o mosaico musical.

    DIA MuNDIAl DA MSICA Sbado 01 de Outubro 10:0016:00 Vrios locais na cidade

    Apresentao 17:30 Praa Exterior da Casa da MsicaPblico Geral

    Entrada livre

    Ver pg. 111 [Dia Mundial da Msica]

    Mesa21 e 22 de outubro

    Artur Carvalho, Bruno Estima, Joaquim Alves e Tiago Oliveira direco musical e interpretao

    Percusso e teatro fsico enchem o prato deum espectculo que rene mesa quatroturistas. Sem palavras que os unam, usam ocorpo, as malas de viagem, pequenos instrumentos e objectos comuns para comunicar. Esta produo volta a reunir oquarteto de Cha Cha Pum, o que nos dcertezas: num cenrio minimalista, h poderde expresso, humor e gula porritmo.

    Sexta 21 de Outubro 11:00 e 14:30 Sala 2Escolas do Ensino Bsico e Secundrio

    2,5

    Sbado 22 de Outubro 16:00 Sala 2Famlias e Pblico Geral

    7,5 5 < 18 anos

    A Rolha da Garrafa do Rei de Onde?

    18 e 19 de noveMbro

    ngela Marques e Mrio Joo Alves concepo e direco artstica

    ngela Marques, David Wyn lloyd e Mrio Joo Alves interpretao

    Casa da Msica e pera Isto co-produo

    A aproximao ao registo opertico acontece num teatro musical que expressa a exuberncia do imaginrio do Leste europeu. Inspirada no folclore dos contos russos e na figura da bruxa Baba Yaga, esta produo vive da fora performativa da companhia pera Isto e de figurinos talhados na identidade popular da Rssia, o pas-tema da Casa da Msica em 2016.

    ANO RSSIASexta 18 de Novembro 11:00 e 14:30 Sala 2

    Escolas do Ensino Bsico e Secundrio 2,5

    Sbado 19 de Novembro 16:00 Sala 2Famlias e Pblico Geral

    7,5 5 < 18 anos

    Natal Portugus02 e 03 de dezeMbro

    Escola Profissional de Msica da Jobra interpretao

    Ficamos pelo pas e vamos to longe Aalma lusitana respira num concerto dramatizado que encontra o Natal em contos tradicionais e obras de escritores portugueses. Registos populares e trechos da literatura clssica, prosas epoesias, so a herana imensa que importa valorizar. Fazmo-lo com msica nova, afeioada palavra, e repertrios da nossa tradio.

    MSICA PARA O NATAlSexta 02 de Dezembro 11:00 e 14:30 Sala 2

    Escolas do Ensino Bsico e Secundrio 2,5

    Sbado 03 de Dezembro 16:00 Sala 2Famlias e Pblico Geral

    7,5 5 < 18 anos

    26 27

  • To Be or Not to Britten20 e 21 de Janeiro

    Mrio Joo Alves concepo e direco artstica

    Foi o nosso dilema: escolher uma parte desejando o todo. Porque grande e generoso o mundo de Benjamin Britten, gnio que no s acresceu notvel msica ao sc. XX como nela desejou integrar todos, incluindo o pblico jovem. Pai do festival de Aldeburgh, Britten foi a torrente criativa, o compositor e intrprete perfeito, o pacifista, o idealista fazedor. Aqui, na parte, tudo.

    Sexta 20 de Janeiro 11:00 e 14:30 Sala 2Escolas do Ensino Bsico e Secundrio

    2,5

    Sbado 21 de Janeiro 16:00 Sala 2Famlias e Pblico Geral

    7,5 5 < 18 anos

    Floresta Animada

    10 e 11 de Fevereiro

    Space Ensemble direco musical e interpretao

    Alcanamos a paisagem e cultura nrdicas num cine-concerto orientado pelo Space Ensemble. projeco de curtas-

    -metragens finlandesas junta-se a criao ao vivo de bandas sonoras. Harpa e guitarras, caixas de msica, o theremin ou o serrote, mais outros objectos, do vida musical e texturas de som a filmes com fbulas nascidas no frio, mas que aquecem a plateia.

    INvICTA.MSICA.FIlMESSexta 10 de Fevereiro 11:00 e 14:30 Sala 2

    Escolas do Ensino Bsico e Secundrio 2,5

    Sbado 11 de Fevereiro 16:00 Sala 2Famlias e Pblico Geral

    7,5 5 < 18 anos

    Nova Msica para Novos Pblicos

    06 de dezeMbro

    Peter Rundel direco musical Remix Ensemble Casa da Msica, Coral de letras, Orquestra Som da Rua e Cor da voz interpretao

    Obras de Christian Mason e Daniel Moreira

    O mbito integrador da msica conceitua uma produo indita que rene um ensemble de renome e grupos associados ao Servio Educativo que do voz a cidados fragilizados. Em estreia absoluta, este concerto desmonta barreiras artstica e socialmente limitadoras para alargar a criao contempornea a novos intrpretes, mas tambm a novos ouvintes.

    Tera 06 de Dezembro 19:30 Sala SuggiaPblico Geral

    12Carto Amigo 9 Jovem/Snior 10,2

    Carto Estudante 9,6 Carto BPI 9,6 Professores e estudantes de msica (IPP) 6

    Factory 36517 e 18 de Maro

    Jorge Queijo e Maria Mnica direco artstica e musical

    Ensemble de Gamelo Casa da Msica interpretao

    Sons com a histria do tempo levam-nos aescutar o batimento cardaco da era industrial. Num concerto em que o gamelo interpreta uma vertigem de cenas flmicas a preto e branco, de cinza esombra, ritmos inebriantes impem a reflexo: somos parte da massa humana que transforma apaisagem, fabricando modos de vida uniformes, ciclos maquinais com o timbre do metal.

    Sexta 17 de Maro 11:00 e 14:30 Sala 2Escolas do Ensino Bsico e Secundrio

    2,5

    Sbado 18 de Maro 16:00 Sala 2Famlias e Pblico Geral

    7,5 5 < 18 anos

    Ver pg. 105[Ensemble de Gamelo Casa da Msica]

    2928

  • Aurora

    11 e 12 de abril

    Paul Griffiths e Pete letanka direco artstica XII Curso de Formao de Animadores Musicais,

    Associao Nova Aurora na Reabilitao e Reintegrao Psicossocial, Tuna Tecnologia

    da Sade do Porto interpretao Associao Nova Aurora na Reabilitao

    e Reintegrao Psicossocial, Tuna Tecnologia da Sade do Porto, Escola Superior de Msica e Artes

    do Espectculo e Casa da Msica parceiros

    Em cada mente, o labirinto. Em cada ser, uma forma de sentir. Aurora uma reflexo sobre a diversidade humana e a vontade defazer amanhecer o dia em que nos reconhecemos reciprocamente, com iguais oportunidades de expresso. Enquadrado na segunda edio da iniciativa PARTIS- Prticas Artsticas para a Incluso Social, financiada pela Fundao Calouste Gulbenkian, tambm a viso partilhada por vrias entidades parceiras.

    AO AlCANCE DE TODOSTera e Quarta 11 e 12 de Abril 21:00 Sala 2

    Pblico Geral 7,5 5 < 18 anos

    Ver pg. 91 [CFAM] e pg. 115 [Ao Alcance de Todos]

    Mandolino

    28 e 29 de abril

    Orquestra Portuguesa de Guitarras e Bandolins direco musical e interpretao

    Com sculos de histria, o bandolim acompanha a msica popular de Itlia, oschoros do Brasil, o bluegrass dos EUA, as tunas de Portugal. Foi valorizado por Mozart, Vivaldi ou Verdi. Hoje, formaes como a Orquestra Portuguesa de Guitarras e Bandolins dedicam-lhe repertrios originais, dando vida nova a um instrumento que em quatro pares de cordas tem boa parte da cultura ocidental.

    Sexta 28 de Abril 11:00 e 14:30 Sala 2Escolas do Ensino Bsico e Secundrio

    2,5

    Sbado 29 de Abril 16:00 Sala 2Famlias e Pblico Geral

    7,5 5 < 18 anos1 19

    03

    MARCA cores

    MARCA preto & branco

    Guia Prtico para Artistas Ocupados

    Inspirado em A Play of Selves de Cindy Sherman

    21 de abril

    Marco Paiva direco artstica Digitpia Collective direco musical

    CRINABElTeatro interpretao

    So vrias expresses artsticas e um desgnio comum: explorar o sentido maisprimrio de diferentes formas de narrativas; atribuir uma forma estrutural simples a contedos complexos. Inspirado em A Play of Selves da fotgrafa Cindy Sherman, este guia de criao surge de um desafio lanado pela BoCA - Biennial of Contemporary Arts, a que responderam oCrinabel Teatro e a Casa da Msica. Com ambiente sonoro do Digitpia Collective, vdeo de Edgar Pra e interpretao do Crinabel Teatro, um exerccio prtico e multidisciplinar, partilhado com o pblico.

    AO AlCANCE DE TODOSSexta 21 de Abril 19:30 Sala 2

    Pblico Geral 7,5 5 < 18 anos

    Ver pg. 115 [Ao Alcance de Todos]

    Censored Songs24 de abril

    Escola de Msica valentim de Carvalho interpretao

    A canes censuradas damos a liberdade. Partindo da lista de temas banidos pela BBC, apresentamos uma seleco pop rock que atravessa dcadas da cultura anglo-

    -saxnica. So msicas surpreendentes neste contexto, interpretadas por sangue novo, que conta da censura acabam por indicar captulos da Histria ou uma gestode contedos refugiada em ditos cdigos morais.

    MSICA & REvOluOSegunda 24 de Abril 21:00 Sala Suggia

    Pblico Geral 7,5 5 < 18 anos

    30 31

  • vibra-T, vibra-Tu01 de Junho

    vibra-T e Factor E! direco artstica e interpretao

    Hoje temos os sonhos todos. A msica sai rua com riso fcil e fantasia nas linhas de pauta. A fazer a festa esto uma dupla da Casa e o duo espanhol Vibra-T, carregados de humor e reciclagens boas de ouvir. Hoje,pensando em grande sabemos ser pequenos, prximos das crianas, com umprograma original, itinerante, que se aconselha a todas asidades.

    DIA MuNDIAl DA CRIANA Quinta 01 de Junho 11:00 e 14:30 Locais a anunciar

    Escolas do Ensino Pr-Escolar e Bsico 2,5

    Ver pg. 113 [Dia Mundial da Criana]

    104 Teclistas para D Helena

    28 de Maio

    Maratona de concertos de instrumentos de tecla com alunos de Escolas vocacionais

    Comeou no centenrio de nascimento deHelena S e Costa e por cada ano que passa ganha mais um nmero. Chegamos assim aos 104. a homenagem que no noscansamos de prestar a quem tornou amsica maior, e a celebrao que cresce de edio para edio, com jovens teclistas de todo o pas tocando pela Casa, de manh ao entardecer.

    Domingo 28 de Maio 10:0018:00 Vrios espaos Famlias e Pblico Geral

    1,5

    Piano Caos 09 e 10 de Junho

    Digitpia Collective direco artstica e interpretao

    A msica electrnica explorada num concerto em que o Digitpia Collective, formao da Casa, levanta o vu sobre as ensimas possibilidades de composio em suporte tecnolgico. Em destaque esto os instrumentos de tecla transformados esurgidos com software, equipamentos digitais ou sintetizadores. De guio aberto, decorre uma sesso interactiva.

    Sexta 09 de Junho 11:00 e 14:30 Sala 2Escolas do Ensino Bsico e Secundrio

    2,5

    Sbado 10 de Junho 16:00 Sala 2Famlias e Pblico Geral

    7,5 5 < 18 anos

    Ver pg. 106 [Digitpia Collective]

    3332

  • Maratona de violoncelistas

    08 de Julho

    Maratona de concertos de violoncelo com alunos de Escolas vocacionais

    Ser porque tem alma dentro, mas um svioloncelo, com o seu timbre grave e aveludado, enche uma sala. Mas queremos muitos, por diferentes espaos da Casa. Pelo quarto ano consecutivo, e em homenagem a Guilhermina Suggia, violoncelistas de todo o pas participam numa maratona musical votada a um instrumento que pede para ser tocado junto ao corpo.

    SuGGIASbado 08 de Julho 10:0018:00 Vrios espaos

    Famlias e Pblico Geral 1,5

    Sonpolis16 de Julho

    Sam Mason e Tim Steiner direco musical XII Curso de Formao de Animadores Musicais,

    Outros interpretao

    A cidade gosta de si prpria, celebrando--se num palco cheio. Sob este conceito, Sonpolis rene comunidades e geraes, culturas e estticas, msicos amadores e profissionais. o espectculo da diversidade, surgido de vrios projectos artsticos, sociais ou formativos por ns realizados ao longo do ano.

    Domingo 16 de Julho 18:00 Sala SuggiaFamlias e Pblico Geral

    Entrada livre

    Ver pg. 91 [CFAM] e pg. 117 [Sonpolis]

    Romani 2.020 de Junho

    Isabel Barros direco artstica e coreografia Jorge Queijo direco musical

    Mafalda Ramos espao cnico e figurinos Comunidade Cigana dos Bairros de Matosinhos,

    Adeima/Cmara Municipal de Matosinhos e Balleteatro interpretao

    H nervo, paixo, identidade. Msica e dana. H tambm a garra dos resistentes. Romani 2.0 a reposio de um espectculo que celebra a cultura cigana, protagonizado por quem a tem no sangue ou lhe sabe entender a alma. Moradores deconjuntos habitacionais de Matosinhos, msicos profissionais e alunos do Balleteatro formam um corpo intenso, deesprito livreafremir de vida.

    Tera 20 de Junho 21:00 Sala SuggiaPblico Geral

    7,5 5 < 18 anos

    Co-produo

    Orquestra Energia Fundao EDP

    01 de Julho

    Orquestras Energia interpretao

    Energia o atributo de um projecto que move inmeras crianas e jovens, soma sua histria novos repertrios e, pela msica, promove a incluso social. Mais um ano lectivo cumprido significa, neste concerto, a estreia de um programa com obras inditas, escritas por compositores ligados Casa da Msica para as Orquestras Energia que formam o corpo desta grande Orquestra.

    Sbado 01 de Julho 18:00 Sala SuggiaFamlias e Pblico Geral

    7,5 5 < 18 anos

    Ver pg. 109 [Orquestra Energia Fundao EDP]

    34 35

  • Palestras Pr-Concerto

    Orquestra Sinfnica do Porto Casa da Msica

    Que factos, estrias e vidas existem na msica que iremos ouvir? A que lugar e tempo pertence? Quem a comps? Com que motivaes? E voltando obra musical em si, s aela, como se desenvolve, que instrumentos vai pedindo? So muitas as perguntas implcitas nas Palestras Pr

    Concerto. Em cerca de 30 minutos, abordam-se questes transversais e inerentes ao repertrio que vai ser apresentado. Aps este breve enquadramento histrico, social e musical, com curiosidades reveladas pelo meio, opblico pode ento fruir de uma audio mais informada, em que a msica conta a sua histria inteira.

    Entrada livre

    Mecenas Orquestra Sinfnica do Porto Casa da Msica

    24 set 17:15Daniel Moreira

    22 out 17:15Daniel Moreira

    05 Nov 17:15Rui Penha

    21 JAN 17:15Daniel Moreira

    04 Fev 17:15Fernando lapa

    18 Fev 17:15Rui Pereira

    11 mAr 17:15Rui Pedro Alves

    25 mAr 17:15Mrio Azevedo

    13 mAi 17:00Alexandre Santos Mesa redonda com compositores

    27 mAi 17:15Rui Pereira

    17 JuN 17:15Joo Silva

    36 37

  • Concertos ComentadosOrquestra Sinfnica

    do Porto Casa da Msica

    Nos Concertos Comentados h msica que soa a um pas, como a Espanha ou os Estados Unidos da Amrica, e h msica que faz danar feiticeiras. H sinfonias com nome de deuses e outras que ilustram o maravilhoso Mundo Novo. Outros sons contam a histria de uma revoluo. Entre peas extremamente famosas do repertrio, desvendam -se os segredos de orquestrao e detalhes da interpretao de cada maestro. Com uma breve introduo e exemplos da orquestra, as obras so apresentadas para que depois as possa usufruir de uma forma mais informada e atenta aos detalhes. Com uma durao aproximada de uma hora, os Concertos Comentados so indicados para pblicos de todas as idades e proporcionam uma experincia inesquecvel para conhecer de uma forma diferente a grandemsica sinfnica.

    DOMINGOS 12:00 SALA SUGGIA

    7,5

    Carto Continente NA COMPRA DE 1 bILHETE PARA ADULTO, OFERTA DE 2 ENTRADAS PARA MENORES

    DE 18 ANOS

    3938

  • 18 set

    Olari Elts direco musical

    Concerto comentado por Rui Pereira

    09 out

    Joseph Swensen direco musical

    Concerto comentado por Rui Pereira

    27 Nov

    Baldur Brnnimann direco musical

    Concerto comentado por Mrio Azevedo

    29 JAN

    David Angus direco musical

    Concerto comentado por Mrio Azevedo

    19 mAr

    Michael Sanderling direco musical

    Concerto comentado por Rui Pereira

    02 ABr

    Baldur Brnnimann direco musical

    Concerto comentado por Gabriela Canavilhas

    21 mAi

    leopold Hager direco musical

    Concerto comentado por Helena Marinho

    11 JuN

    Baldur Brnnimann direco musical

    Concerto comentado por Daniel Moreira

    40 41

  • Workshops

    42 43

  • As il

    ustr

    Ae

    s do

    s w

    orks

    hop

    s s

    o dA

    ANA

    typ

    es t

    ype

    Primeiros Sons47

    Sons para Todos51

    Semanas Especiais56

    Sexta Maior59

    Msico por um Dia63

    Msica em Famlia67

    44 45

  • 47

    Primeiros SonsUm consultrio no meio da selva, um estdio de cinema querecupera o Porto de Aniki-Bob. Ou dedos que brincam com teclas, contos infantis que se diluem em canes. Amsica e seus elementos so a matria a explorar, com jogos e situaes teatralizadas, em quatro workshops paraa primeira infncia.

    Realizadas em ambientes visualmente apelativos, povoados de estrias e mimo, estas oficinas fazem-se com liberdade para mexer. Pela experimentao, e atravs de metodologias distintas, crianas at aos 6 anos trabalham as primeiras bases da realizao musical. E tudo acontece sua medida: cada sesso adaptada capacidade cognitiva do grupo participante, havendo formatos diferenciados para as faixas etrias dos 023 meses, 23anos e 46 anos.

    46 47

  • Novas Aventuras de WakadoMingos

    outubro novembro Janeiro Fevereiro Maro abrilJunho

    Bruno Estima e Paulo Neto formadores

    Onde est o Jacar? Sem o seu amigo tradutor, o Rei Leo no bom comunicador. E truz-truz, l volta ele ao consultrio do Dr.Otho... As personagens de Beb Waka regressam em novo workshop com aventuras musicais inditas. Pela selva dos sons, jogos e alegria so uma boa terapia.

    02 Out 20 Nov 08 Jan 26 Fev 19 Mar 30 Abr 11 Jun10:30 (023 meses), 11:45 (23 anos) e 15:00 (46 anos) Sala de Ensaio 2

    10 criana + adulto 7,5 segundo acompanhante com mais de 12 anos

    AnikibebdoMingos

    outubro novembro dezembro Fevereiro Maro abrilJunho

    Ana Bento e Bruno Pinto formadores

    Num estdio de cinema, o tempo volta atrs. Inspirados em Aniki-Bob, de Manoel de Oliveira, revisitamos lengalengas e canes, jogamos aos polcias e ladres. Mudando apaisagem sonora, corremos para a escola ousamos da gaiola. Entre ume outro desafio, somos meninos do rio.

    23 Out 13 Nov 11 Dez 05 Fev 12 Mar 23 Abr 04 Jun10:30 (023 meses), 11:45 (23 anos) e 15:00 (46 anos) Sala de Ensaio 2

    10 criana + adulto 7,5 segundo acompanhante com mais de 12 anos

    Na Ponta dos DedosdoMingos

    setembro outubro dezembro Janeiro Maro abrilMaio

    Antnio Miguel Teixeira e Sofia Nereida formadores

    O Senhor dos Anis, de jias a brilhar, s est bem a cantar. J a Senhora Mindinho (que feitio miudinho) quer tudo organizar. Juntos conduzem uma sesso na ponta dos dedos, em que os contrastes fazem, afinal, ariqueza musical. Passeando entre teclas, descobre-se as primeiras melodias.

    18 Set 16 Out 18 Dez 22 Jan 05 Mar 02 Abr 07 Mai10:30 (023 meses), 11:45 (23 anos) e 15:00 (46 anos) Sala de Ensaio 2

    10 criana + adulto 7,5 segundo acompanhante com mais de 12 anos

    Era uma vezdoMingos

    setembro novembro dezembro Janeiro abrilMaio Junho

    Joana Arajo e Tiago Oliveira formadores

    Alice Capuchinho Gata Branca de Neve de Borralheira?! Com um nome to misturado, convm que tudo seja muito bem cantado. Junta-se ainda um lobo -mau-coelho-do--pas-das-maravilhas e entra-se no torvelinho da fantasia. Comeando o era uma vez, de uma histria nascem trs.

    25 Set 06 Nov 04 Dez 15 Jan 09 Abr 14 Mai 25 Jun10:30 (023 meses), 11:45 (23 anos) e 15:00 (46 anos) Sala de Ensaio 2

    10 criana + adulto 7,5 segundo acompanhante com mais de 12 anos

    4948

  • Sons para TodosA diversidade plasma-se num conjunto de oficinas que permitem experincias imediatas de criao musical. Umas chegam-se ao teatro, com personagens a comandar as sesses, outras esto estruturadas como jogos. Entre elas pode haver danas, a expresso corporal, a explorao de instrumentos convencionais ou incomuns. Moldam-se em repertrios tradicionais e clssicos ou na improvisao tecnolgica. Fazem, enfim, valer muitos caminhos na descoberta activa da msica.

    Realizados de Outubro a Maio, os Sons para Todos so dirigidos (e adaptados) a grupos especficos, criando um arco geracional que comea nos 3 anos, com crianas integradas em turmas do pr-escolar, e chega s comunidades seniores.

    Diz-se que o tempo o que fazemos com ele. Nestes workshops, uma hora o necessrio para se criar algo efectivo, positivo e estimulante. Nasce a vontade de fazermais.

    50 51

  • Tambores da Tvola Redonda

    segundas outubroMaio

    Artur Carvalho e Bruno Estima formadores

    Sir Bombo, cavaleiro dos Tambores da Tvola Redonda, e o seu pajem Caixin procuram um novo monarca. Nesta demanda, a trupe inteira chamada a desbravar ritmos. Com o corpo, a voz e instrumentos (in)formais, a misso musical ser epicamente cumprida por terras onde quem tem bombo rei.

    24 Out 07 e 14 Nov 05 Dez 16 e 23 Jan 06 e 13 de Fev 06, 13, 20 e 27 Mar 24 Abr 15, 22 e 29 Mai 10:00, 11:15 e 14:30 Sala de Ensaio 2Escolas do Ensino Pr-Escolar (a partir dos 3 anos), Escolas do Ensino

    Bsico e Secundrio, Ensino Vocacional de Msica, Comunidades, Cidados Seniores, Grupos com Necessidades Especiais

    2,5

    ABC dos Porqussegundas

    outubroMaio

    Antnio Miguel Teixeira e Paulo Neto formadores

    Quando a seta rodar e uma cor escolher, algum vai querer saber: porque que as formigas tm uma rainha? Ou porque temos ns esqueleto? No jogo dos curiosos, todos os porqus levam ao ABC da msica. Ento porque que as flores cheiram bem? E porque muda a lua? Apergunta minha, aresposta tua...

    24 Out 07, 14 e 21 Nov 05 Dez 16 e 23 Jan 06 e 13 Fev 06, 13, 20 e 27 Mar 24 Abr 08, 15, 22 e 29 Mai

    10:00, 11:15 e 14:30 Sala de Ensaio 3Escolas do Ensino Pr-Escolar (a partir dos 3 anos)

    e Bsico (1 e 2 anos) 2,5

    Nem Ata, nem Danatateras

    outubroMaio

    Nuno Peixoto e Sofia Nereida formadores

    Filipa Tulipa, professora de dana, exige elegncia e postura. Mas com ele obra dura O DJ Rond, aprendiz na DJtpia, nem ata nem danata: sem os ps no skate, um p-de-chumbo a cair noutro mundo. Num salo barroco, suites com rendas de punho convidam a movimentos ora rpidos, ora lentos.

    18 e 25 Out 08, 15 e 29 Nov 06 Dez 17, 24 e 31 Jan 07 e 21 Fev 07, 14, 21 e 28 Mar 02, 16, 23 e 30 Mai

    10:00, 11:15 e 14:30 Sala de Ensaio 2Escolas do Ensino Pr-Escolar (a partir dos 3 anos), Escolas do Ensino

    Bsico e Secundrio, Ensino Vocacional de Msica, Comunidades, Cidados Seniores, Grupos com Necessidades Especiais

    2,5

    Pedro e o lobo MentirosoQuartas

    outubroMaio

    Antnio Miguel Teixeira e Paulo Neto formadores

    o desconcerto no bosque dos sons: h instrumentos perdidos, equivocados, de papis trocados. Entre o que (a)parece e acontece, valha-nos a msica. Explorando a obra de Prokofieff, decorre uma aventura feita de emoes e iluses, com uma verdade em rodap: mau, o lobo no

    19 e 26 Out 02, 09 e 16 Nov 07 Dez 18 e 25 Jan 01, 08, 15 e 22 Fev 08, 15, 22 e 29 Mar 26 Abr 03, 17, 24 e 31 Mai

    10:00, 11:15 e 14:30 Sala de Ensaio 2Escolas do Ensino Bsico (1 e 2 ciclos),

    Ensino Vocacional de Msica 2,5

    5352

  • BritpopQuartas

    outubroMaio

    Antnio Miguel Teixeira e Paulo Neto formadores

    Seremos pop stars. Capaz de reproduzir vastas paisagens sonoras e musicais, o Sonorium est programado, nesta sesso, para reagir ao movimento com samples ouriffs de temas de artistas como David Bowie, George Michael, Elton John ou Adele. Com o corpo fazemos remix-turas num palco s nosso.

    19 e 26 Out 02, 09 e 16 Nov 07 Dez 18 e 25 Jan 01, 08, 15 e 22 Fev 08, 15, 22 e 29 Mar 26 Abr 03, 17, 24 e 31 Mai

    10:00, 11:15 e 14:30 Sala LaranjaEscolas do Ensino Pr-Escolar (a partir dos 3 anos),

    Grupos com Necessidades Especiais 2,5

    Caa-Sons 2.0Quintas

    outubroMaio

    Nuno Peixoto e scar Rodrigues formadores

    Toca a andar pela Casa. Usando telemveis ou tablets, explorando Hot Spots como o Sonorium e o Gamult, cumpre-se um circuito de composio em tempo real, aberto ao improviso. Com o empenho e a concentrao de cada elemento, a tecnologia ir conspirar a favor da (boa) performance do grupo.

    20 e 27 Out 03, 10, 17 e 24 Nov 19 e 26 Jan 02, 09, 16 e 23 Fev 09, 16, 23 e 30 Mar 27 Abr 04, 11, 18 e 25 Mai

    10:00, 11:15 e 14:30 Sala LaranjaEscolas do Ensino Bsico (a partir do 3 ano) e Secundrio,

    Ensino Vocacional de Msica, Comunidades, Cidados Seniores, Grupos com Necessidades Especiais

    2,5

    Contos RussosQuintas

    outubroMaio

    Joaquim Alves e Tiago Oliveira formadores

    O que tem o prximo destino, uma balalaica ou segredos em matrioskas? Msica com chapu para o frio, a cano deKatyusha? Talvez os erres do rato-que -roeu, grandes compositores, estrias populares... A bordo de um transiberiano, Sinbad e o Czar Boris Ivan tornam a viagem num jogo pelo mapa imenso da Rssia.

    20 e 27 Out 03, 10 e 17 Nov 19 e 26 Jan 02, 09, 16 e 23 Fev 09, 16, 23 e 30 Mar 27 Abr 04, 18 e 25 Mai

    10:00, 11:15 e 14:30 Sala de Ensaio 2 Escolas do Ensino Pr-Escolar (a partir dos 3 anos), Ensino Bsico

    e Secundrio, Ensino Vocacional de Msica, Comunidades, Cidados Seniores

    2,5

    54 55

  • 56

    Semanas Especiais especial o que no acontece todos os dias; o que resulta emvivncias nicas, com elementos raros. Chegamos assima duas semanas apenas, em todo o ano lectivo, que permitem as escolas e comunidades experimentar ogamelo javans. Sacralizado na cultura indonsia, este corpo delicado e precioso de percusses cria uma teia musical possante e envolvente. O mais extraordinrio: tocado por vrias pessoas em simultneo, no exigindo aos executantes quaisquer conhecimentos formais de msica.

    Gamelo Animadonovembro Maio

    Jorge Queijo e Maria Mnica formadores

    A este extremo ocidental chega um ritual milenar indonsio que associa beleza visual e sonora. Cada participante toma o seu lugar no gamelo, um conjunto ordenado de vrios instrumentos de percusso orientais. Num misto de reverncia e simplicidade, cria-se uma histria de sons vibrteis e retumbantes para acompanhar o teatro de sombras o tradicional Wayang.

    21 a 25 Nov 08 a 12 MaiSegunda a Sexta 10:00, 11:15 e 14:30 Sala de Ensaio 2

    Escolas do Ensino Bsico e Secundrio, Ensino Vocacional de Msica, Comunidades, Cidados Seniores

    2,5

    5756

  • Sexta MaiorPrimeiro cria-se, depois apresenta-se. A sexta-feira fica maior quando o workshop ocupa a manh (10:0012:30) e culmina numa pequena performance, servida antes do almoo. Partindo de um programa predefinido, aberto ao improviso e s ideias dos participantes, decorrem processos de realizao musical mais profundos e bons de ouvir no final.

    Cantar, percutir com o corpo ou criar orquestras com os mais diversos instrumentos d contedo a oficinas que estimulam a criatividade e a coeso de grupo, destinadas a turmas do ensino bsico (a partir do 3. ano), secundrio e escolas vocacionais de msica.

    58 59

  • Escola a Cantar!11 de noveMbro

    Antnio Miguel Teixeira, Joana Arajo, Paulo Neto e Tiago Oliveira formadores

    impossvel destoar. Quando so muitas vozes, forte o coro. Cantando desgarrada ou de forma concertada, indo do agudo ao grave com toda a liberdade, exploramos tcnicas vocais simples numa oficina onde se mostra, descontraidamente, que mais do que afinar importa querer cantar.

    Sexta 10:0012:30 Apresentao 12:30 Vrios espaosEscolas do Ensino Bsico (a partir do 3 ano),

    Secundrio e Vocacional de Msica 3

    No Mundo dos Sons!

    27 de Janeiro

    Cristiana Felgueiras, Jos Alberto Gomes, Miguel Ramos e Ricardo Baptista formadores

    Tudo possvel. Nem os sons so esquisitos nem as misturas irrealizveis quando se encontram instrumentos convencionais eoriginais, acsticos eelectrnicos, comprados, reciclados oufeitos em casa, os teus e os nossos. Sobimproviso, a msica surgir daquilo que ns quisermos.

    Sexta 10:0012:30 Apresentao 12:30 Vrios espaosEscolas do Ensino Bsico (a partir do 3 ano),

    Secundrio e Vocacional de Msica 3

    Percusso Corporal24 de Maro

    Artur Carvalho, Bruno Estima, Joaquim Alves e Jorge Queijo formadores

    D o que tens. Numa sesso que corre da cabea aos ps, surpreendemo-nos com omanancial sonoro e rtmico que vive em ns. De forma orgnica, naturalmente irrequieta, palmas, saltos, efeitos vocais emuito mais revelam o corpo inteiro como instrumento de percusso que tem na batida o corao.

    Sexta 10:0012:30 Apresentao 12:30 Vrios espaosEscolas do Ensino Bsico (a partir do 3 ano),

    Secundrio e Vocacional de Msica 3

    Orquestra da Escola19 de Maio

    Daniel Sousa, scar Rodrigues, Nuno Peixoto e Pedro Cardoso (Peixe) formadores

    Queremos uma famlia numerosa de instrumentos. Tragam os da escola e os vossos, a eles juntamos os nossos. Em democracia musical, sem deixar elementos de fora, encontram-se sopros e teclas, percusses e cordas. De forma interactiva e colaborativa, nasce uma orquestra com o ADN do grupo.

    Sexta 10:0012:30 Apresentao 12:30 Vrios espaosEscolas do Ensino Bsico (a partir do 3 ano),

    Secundrio e Vocacional de Msica 3

    6160

  • Msico por um DiaVenha e desfrute. A partir dos 12 anos, todos podem participar em oficinas que, valendo-se de processos acessveis e criativos, surgem da simples vontade de fazer msica em contexto de grupo. Balizadas pela interaco e a boa disposio, decorrem ao longo de um sbado comeam de manh e encerram ao final da tarde com uma apresentao pblica do trabalho realizado. Pelomeio, acontece o que o grupo quiser: com a prestao dos vrios participantes, tenham ou no competncias formais de msica, desenvolvem-se registos originais ao encontro de trs desafios: a formao de um coro, a celebrao doCarnaval ou aconcepo de instrumentos com objectosreciclados.

    62 63

  • Coro do Dia19 de noveMbro

    Joana Arajo e Tiago Oliveira formadores

    a vez da voz. E seja ela qual for. Todas so vlidas num encontro que no considera os dotes vocais, mas sim o desejo de cantar. Atravs de exerccios orientados, por tcnicas eficazes, torna-se fcil acertar no tom ou controlar a respirao. Descontraidamente, afina-se um coro que canta com gosto.

    Sbado 11:0013:00 e 14:3017:00 Apresentao 17:00 Sala de Ensaio 2

    Famlias (maiores de 12 anos), Pblico Geral 7,5 ( 25 para um grupo de 4 pessoas)

    Carnaval na Casa25 de Fevereiro

    Joaquim Alves e lus Oliveira formadores

    Dizem que l fora Inverno Aqui sobe atemperatura com a mistura dos hemisfrios. Entre ritmos tropicais e bombos da festa portuguesa, acontece a acalorada mestiagem de estilos musicais. Porquequente o samba ou o funk, com instrumentos como batuques e pandeiros atranspirarem Carnaval.

    Sbado 11:0013:00 e 14:3017:00 Apresentao 17:00 Sala de Ensaio 1

    Famlias (maiores de 12 anos), Pblico Geral 7,5 ( 25 para um grupo de 4 pessoas)

    Do lixo se Faz Msica06 de Maio

    Paulo Coelho de Castro formador

    preciso ter lata, passar carto e talvez dar no serrote. A ideia reciclar para musicar, com a criatividade a ditar o engenho. Objectos vulgares que parecem j no servir para coisa alguma so a matria-

    -prima a transformar em instrumentos musicais. Uma sesso ecolgica para quem no quer deitar som ao lixo.

    Sbado 11:0013:00 e 14:3017:00 Apresentao 17:00 Sala de Ensaio 2

    Famlias (maiores de 12 anos), Pblico Geral 7,5 ( 25 para um grupo de 4 pessoas)

    6564

  • 66 67 66 67

    Msica em FamliaTraga os familiares ou junte os amigos. H cumplicidades geradas nestas oficinas de realizao musical, acessveis a qualquer pessoa, desde crianas com mais de 6 anos a seniores. Em quatro sbados, ao longo de 90 minutos, as relaes de proximidade e convvio ditam actividades em que os afectos se misturam com o prazer de cantar, encontrar os instrumentos de uma orquestra ou explorar a percusso. A nica condio que venha com vontade de gozar momentos criativos e sempre em boa companhia.

    66 67

  • Pedro e o lobo Mentiroso22 de outubro

    Antnio Miguel Teixeira e Paulo Neto formadores

    Os sons no mentem, mas podem andar confusos... Concebido como um jogo teatralizado, este workshop inspira-se na obra Pedro e o Lobo, de Prokofieff, para deforma dinmica e divertida levar descoberta das sonoridades distintas dos instrumentos que integram uma orquestra.

    Sbado 10:3012:00 ou 14:3016:00 Sala de Ensaio 2 Famlias (crianas a partir dos 6 anos), Pblico Geral

    4 ( 15 para famlias de 4 pessoas)

    vamos Cantar28 de Janeiro

    Joana Arajo e Tiago Oliveira formadores

    A cantar nos entendemos numa sesso descomplexada, feita para todas as vozes, grandes ou pequenas. Primeiro aquecemos, depois cantamos. E pelo meio rimos. Recorrendo a exerccios simples, aprende-

    -se a colocar a voz e a respirar com a cano, em familiar descontraco.

    Sbado 10:3012:00 ou 14:3016:00 Sala de Ensaio 2 Famlias (crianas a partir dos 6 anos), Pblico Geral

    4 ( 15 para famlias de 4 pessoas)

    Percusso Tradicional iTec

    26 de noveMbro

    Artur Carvalho e Bruno Estima formadores

    um arraial da era digital. Pela sala vo andar brinquinhos, tambores ou adufes, mas tambm iPhones ou tablets. Damistura de instrumentos de percusso tradicionais com dispositivos tecnolgicos vive uma oficina que, com inovao eimprovisao, tem o som da festa portuguesa, com certeza.

    Sbado 10:3012:00 ou 14:3016:00 Sala de Ensaio 2 Famlias (crianas a partir dos 6 anos), Pblico Geral

    4 ( 15 para famlias de 4 pessoas)

    Gamelo Animado13 de Maio

    Jorge Queijo e Maria Mnica formadores

    A manh tem o poder do gamelo, uma orquestra de percusses vinda de Java que ressoa pela Casa, calando tudo o resto. Com os seus mltiplos instrumentos vamos dar animao musical a um teatro de sombras. nossa maneira, seguimos ostrilhos do ritual Wayang, tradicional dacultura indonsia.

    Sbado 10:3012:00 ou 14:3016:00 Sala de Ensaio 2 Famlias (crianas a partir dos 6 anos), Pblico Geral

    4 ( 15 para famlias de 4 pessoas)

    68 69

  • Formao

    70 71

  • Formar na Casa75

    Formar na Digitpia81

    Saber Ouvir: 8 Curso livre de Histria da Msica

    87

    XII Curso de Formao de Animadores Musicais

    91

    As il

    ustr

    Ae

    s dA

    For

    Am

    o s

    o do

    Nic

    olAu

    72 73

  • Formar na CasaEnsinar tambm um desafio criatividade, a busca incessante de novas abordagens. Pensando nos professores do Ensino Pr-Escolar e Ensino Bsico, concebemos formaes de um dia baseadas em processos inovadores que mostram a msica como abrangente instrumento detrabalho na sala de aula. So propostas artsticas e criativas, replicveis em contexto escolar, que facilmente adquirem um carcter transdisciplinar. Por envolverem prticas dinmicas, motivam positivamente a comunidade escolar e estimulam a interaco entre alunos e com o professor. A par do propsito pedaggico, Formar na Casa permite aos docentes, de msica ou de outras reas disciplinares, usufruir, entre colegas, de oficinas que contribuem para a sua valorizao profissional e pessoal.

    74 75

  • Cantar Mais na Casa da Msica

    24 de setemBro

    Associao Portuguesa de Educao Musical formadores

    Formao e espectculo unem-se na revisita a um cancioneiro diversificado com arranjos e orquestraes originais, usando recursos pedaggicos multimdia. Esta aco divulga o projecto Cantar Mais Mundos com voz, da Associao Portuguesa de Educao Musical, que numa plataforma digital de livre acesso sugere prticas artstico -musicais beneficiadoras dos processos de aculturao e aprendizagem de crianas ejovens. O exemplo chega com uma apresentao que rene dezenas deintervenientes.

    www.cantarmais.pt

    Professores do Ensino Pr-Escolar e BsicoSbado 16:0017:30 Sala 2

    5

    Orelhudo!18 de outuBro

    Factor E! formadores

    O Orelhudo! instala a msica na rotina lectiva com breves audies dirias que acompanham matrias curriculares e do conhecimento geral. Facilitador do processo de aprendizagem, este programa de acesso livre tem uma verso s para professores. Potenci-lo na sala de aula oobjectivo da oficina.

    orelhudo.casadamusica.com

    Professores do Ensino Pr-Escolar e BsicoSbado 17:3019:00 Sala de Ensaio 2

    Entrada livre mediante inscrio prvia atravs de [email protected] e limitada s vagas existentes.

    Ver pg. 110 [Orelhudo!]

    76 77

  • Danar na Sala de Aula11 de mAro

    Catarina Silva formadora

    Entender o corpo e a sua relao com o espao, expressar emoes e interagir com o outro so apenas alguns dos atributos da dana. Trabalh-la na escola aproveitar um valioso recurso teraputico, relaxante eintegrador. Por processos simples, aprende-se a envolver cada aluno, unir aturma inteira.

    Professores do Ensino Pr-Escolar e BsicoSbado 11:0017:00 Sala de Ensaio 1

    15

    Compor na Sala de Aula26 de NovemBro

    Helena Caspurro formadora

    Compe-se sem pautas, de forma intuitiva, participativa e acessvel a todos. Sob esta base, trabalham-se mtodos eficazes de construo musical a partir do reconhecimento dos instrumentos, decompassos rtmicos, linhas meldicas. Com jogos e brincadeiras, por somas simples, surgem bons resultados.

    Professores do Ensino Pr-Escolar e BsicoSbado 11:0017:00 Sala de Ensaio 1

    15

    Do lixo se Faz Msica14 de JANeiro

    Paulo Coelho de Castro formador

    Reciclar e reutilizar, reduzir o lixo musicando. A regra dos trs erres est explcita na construo de instrumentos musicais com objectos vulgares j sem prstimo aparente. Em economia de recursos, usam-se plsticos, cartes emuitas outras coisas para criar sons eritmos amigos do ambiente.

    Professores do Ensino Pr-Escolar e BsicoSbado 11:0017:00 Sala de Ensaio 2

    15

    78 79

  • Formar na Digitpia Experimentao e criao imediata validam os cursos intensivos da Digitpia, a plataforma tecnolgica e digital da Casa da Msica. Eminentemente prticos, reflectem as oportunidades de realizao musical hoje acessveis maioria das pessoas, assentando em processos e linguagens de programao criativa.

    A explorao de software ao servio da performance musical ou a construo de narrativas e esculturas sonoras do contedo a formaes que, pela sua amplitude, se destinam a msicos, artistas digitais, programadores, professores e outros profissionais ou estudantes interessados na msica electrnica ena arte digital.

    Celebrando os 10 anos da Digitpia, a programao deste ano envolve instituies parceiras da Casa e traduz -se em cinco propostas novas conduzidas por um painel deformadores portugueses e estrangeiros.

    Por ltimo, h novidades quanto configurao dos cursos. Duas das propostas ocupam um dia apenas (sbado). As outras continuam a preencher um fim-de -semana inteiro, mas as sesses de sbado e de domingo deixam de ser independentes, passando a existir um bilhete nico para os dois dias.

    8180

  • Composing for the Eye and Ear:

    A Guide to Building an Interactive

    Audiovisual Performance System

    15 de outuBro

    Pierce Warnecke formador Curso realizado em parceria com o GNRation

    A explorao de cdigos de programao eoutras ferramentas tecnolgicas obedece a um propsito: criar arte de modo consistente. Som e imagem partilham asatenes num curso que recorre a exemplos prticos e linguagem Max, edio vdeo no Premier ou ao sound design no Ableton, entre outros programas, para, com sensibilidade artstica, fundamentar odesenvolvimento de sistemas de performances audiovisuais interactivas.

    Alguma experincia prvia em Max (no obrigatria) facilitar o trabalho dos participantes.

    Os participantes so convidados a trazer computador pessoal com ethernet port ou thunderboltethernet

    e headphones.

    Ministrado em Ingls.

    Sbado 10:3018:00 Sala de Ensaio 3Msicos, DJs, artistas digitais, programadores, professores

    e outros profissionais interessados na msica electrnica e na arte digital

    15

    Composing and Performing with Ableton

    live and Max4live03 e 04 de deZemBro

    Joo lobato (lASERS) e Tiago ngelo formadores

    Utilizado por profissionais da msica electrnica ao nvel mundial, o Ableton Live surge ao servio da live performance, adequando-se s prticas musicais de cada um, desde a criao ao DJing ou sound design. Com a introduo do Max4Live, passou a permitir ao utilizador desenvolver dispositivos prprios. Estasoportunidades fundamentam um curso que introduz os princpios da criao e performance para chegar s funcionalidades avanadas dosoftware.

    Ministrado em Portugus e/ou Ingls, caso haja no grupo no falantes da Lngua Portuguesa.

    Sbado e Domingo 11:0018:00 Sala de Ensaio 10Msicos, DJs, artistas digitais, programadores, professores e outros

    profissionais interessados na msica electrnica e na arte digital 30

    82 83

  • live Coding & Performance

    06 e 07 de mAio

    Nuno Hespanhol e scar Rodrigues formadores

    O live coding consiste em alterar o cdigo on-the-fly quando um programa est j acorrer, sendo uma ferramenta de performance usada por diversos msicos. A abordagem a este processo criativo resultar, no primeiro dia, numa pequena pea musical utilizando apenas software. Os conhecimentos adquiridos sero depois aplicados em diferentes contextos, como aincluso de instrumentos acsticos, controladores MIDI e sonorizao deimagens.

    Os participantes so convidados a trazer o computador pessoal, preferencialmente com algum software j instalado, dentro da lista

    a disponibilizar um ms antes da formao.Ministrado em Portugus e/ou Ingls, caso haja no grupo

    no falantes da Lngua Portuguesa.

    Sbado e Domingo 11:0018:00 Sala de Ensaio 10Msicos, DJs, artistas digitais, programadores, professores e outros

    profissionais interessados na msica electrnica e na arte digital 30

    Radiesthetics Workshop21 de JANeiro

    Dewi de vree e Patrizia Ruthensteiner formadores

    Curso realizado em parceria com a Sonoscopia Associao Cultural

    A inteno explorar o mundo invisvel nossa volta com receptores de antena portteis, a conceber no curso, capazes de detectar campos electromagnticos e lhes atribuir sons electrnicos. Arte do som, escultura e electrnica combinam-se num processo de construo realizado em grupos de dois participantes. Cada dupla escolhe o design e materiais que desejar, oque conduzir criao de esculturas -antenas nicas em busca de sons escondidos.

    Ministrado em Ingls.

    Sbado 11:0018:00 Sala de Ensaio 10Msicos, DJs, artistas digitais, programadores, professores e outros

    profissionais interessados na msica electrnica e na arte digital 15

    Interactive Music11 e 12 de Fevereiro

    Rui Penha formador Curso realizado em parceria com o INESC

    Msica interactiva pode soar a pleonasmo, mas serve o propsito de um curso sobre formas de utilizar a tecnologia digital na criao de experincias musicais interactivas. No primeiro dia, ensina-

    -se um piano a interagir com o pianista (oucom um clarinete, at com um assobio). Nosegundo, explora-se a plataforma a.bel em prticas interactivas multi-

    -utilizador. Por fim, convida-se o pblico aexperimentar os resultados num pequeno concerto interactivo.

    Alguma experincia prvia em Max (no obrigatria) facilitar o trabalho dos participantes.

    Ministrado em Portugus e/ou Ingls, caso haja no grupo no falantes da Lngua Portuguesa.

    Sbado e Domingo 11:0018:00 Sala de Ensaio 2Msicos, DJs, artistas digitais, programadores, professores e outros

    profissionais interessados na msica electrnica e na arte digital 30

    84 85

  • Saber Ouvir: 8 Curso livre de Histria da Msica

    Na sua 8 edio, o Curso Livre de Histria da Msica prope cinco novos temas a desenvolver ao longo do ano de 2017.

    Paulo Ferreira de Castro leva-nos ao encontro de cinco gigantes da msica britnica, explorando as obras de Edward Elgar, Vaughan Williams, Gustav Holst, Frederick Delius eBenjamin Britten.

    Daniel Moreira dedica o segundo mdulo relao entre msica e emoes, mostrando como, em diferentes pocas, estilos e gneros, os compositores criam um determinado efeitoexpressivo (msica angustiada, cmica ou apaixonada, porexemplo) a partir das caractersticas intrnsecas da msica(comoa melodia, harmonia e instrumentao).

    William Shakespeare um dos grandes vultos da Histria daLiteratura. Trabalhou na corte inglesa, onde interagiu com destacados compositores do perodo isabelino. Ao longo do tempo, diversos compositores inspiraram-se nas suas obras. Doteatro de corte ao grande ecr, passando pelas salas deconcerto, o Bardo deixou a sua marca na nossa cultura. Essasapropriaes do universo shakespeareano sero otemaadesenvolver por Joo Silva.

    Rui Pereira regressa ao Curso Livre de Histria da Msica para contar algumas das histrias mais conhecidas do repertrio musical, percorrendo poemas sinfnicos clebres eexplorando o lxico utilizado para comunicar as ideias extra -musicais atravs da msica. Em Outubro, o cravista Fernando Miguel Jalto encerra o curso explorando o fascinante tema daRetrica do Barroco.

    Dirigido a pblicos com formao nas mais diversas reas e sem conhecimentos especficos de msica, o curso proporciona um enquadramento geral sobre diversos temas da Histria da Msica e da nossa cultura numa perspectiva transdisciplinar.

    Apoio

    86 87

  • 09, 16 e 23 JAN1 Mdulo: Paulo Ferreira de CastroCinco Mestres Britnicos. volta de Elgar, vaughan Williams, Holst, Delius e Britten

    30 JAN 06, 13 e 20 Fev2 Mdulo: Daniel MoreiraMsica e emoes

    06, 13 e 20 mAr3 Mdulo: Joo SilvaShakespeare e a msica

    27 mAr 03 e 10 ABr4 Mdulo: Rui PereiraPoemas sinfnicos, ou a arte de contar histrias

    16 e 23 out5 Mdulo: Fernando Miguel JaltoA retrica do Barroco

    segundas 17:30 s 19:15AUDITRIO FUNDAO EDP

    MDULOS INDIVIDUAIS DE DUAS SESSES: 20MDULOS INDIVIDUAIS DE TRS SESSES: 28

    MDULOS INDIVIDUAIS DE QUATRO SESSES: 35CURSO NA TOTALIDADE: 90

    88 89

  • XII Curso de Formao de Animadores Musicais

    Onze edies em anos sucessivos denotam o sucesso e a validade de um Curso que prepara msicos para a realizao e liderana de actividades em contexto comunitrio. Em 2016/17 recebemos novos formandos, sendo que quer a histria quer o conceito permitem avanar com algumas certezas: primeiro, ser um grupo com diversidade, dentro de muitos backgrounds musicais; segundo, desenvolver -se- um trabalho declaradamente prtico, envolvendo comunidades nossas convidadas, o que significa encontro efectivo e a assimilao dediferentes sensibilidades sociais e artsticas; terceiro, sero feitas abordagens musicais inovadoras, conduzidas por uma equipa internacional de formadores. Mas no tudo. Num curso que encerra multiculturalidade, os participantes completam-se tambm como artistas, formando um ensemble de identidade nica chamado a realizar experincias musicais e performativas fortes. Enfim, vaiser bom.

    Com a durao de um ano lectivo, esta formao compreende trs mdulos, com todos eles a integrarem projectos e produes originais do Servio Educativo. Criao musical, improvisao e capacidade de articulao com diferentes agentes em ambiente comunitrio so algumas das competncias desenvolvidas ao longo de um programa que vai sendo mostrado ao pblico em manifestaes artsticas com impacto social. Tudoisto acaba por se reflectir em Sonpolis, o espectculo final que mostra o mosaico sonoro da cidade e d um palco cheio ao Ensemble do Curso de Formao de Animadores Musicais ediversas comunidades.

    120 por mdulo (total de 3 mdulos)Inscries atravs de envio de CV para [email protected]

    at 18 de Setembro de 2016

    90 91

  • 08 e 09 out 12 e 13 Nov 17 e 18 deZ1 Mdulo: Sam Mason e Tim Steiner formadores

    28 e 29 JAN 04 e 05 mAr 08 A 12 ABr2 Mdulo: Paul Griffiths e Pete letanka formadores

    06 e 07 mAi 17 e 18 JuN 12 A 16 Jul 3 Mdulo/Sonpolis: Sam Mason e Tim Steiner formadoresVer pg. 30 [Aurora] e pgs. 35 e 117 [Sonpolis]

    92 93

  • Fora de

    Srie

    94 95

  • Projectos99

    Digitpia Casa da Msica 121

    Itinerncias128

    As il

    ustr

    Ae

    s do

    For

    A de

    sr

    ie s

    o d

    o m

    igue

    l rA

    mos

    96 97

  • ProjectosA par das actividades de agenda, o Servio Educativo fomenta uma srie de projectos profundos e consistentes que, no seu conjunto, traduzem transdisciplinaridade e inovao. Envolvem msicos profissionais, grupos vocacionais, comunidades especficas. Atendem a princpios pedaggicos e sociais. Assentam na investigao musical, narecreao artstica. Independentemente da sua natureza, implicam prticas e mtodos precursores, acrescentam novos territrios ao mapa da msica.

    Uns decorrem de forma continuada, sempre progressiva, outros so reeditados anualmente para servirem contextos especficos.

    Nesta malha vivem formaes singulares nos princpios, na metodologia e na linguagem: referimo-nos Orquestra Som da Rua, ao Ensemble de Gamelo Casa da Msica, aoDigitpia Collective, Orquestra de Guitarras e Baixos Elctricos, ao estreante Coro Infantil Casa da Msica e Orquestra Energia Fundao EDP. Nela se declaram tambm encontros e conceitos especiais, consubstanciados em projectos como Ao Alcance de Todos ou Sonpolis. Hainda o investimento em dois dias mundiais a que somos particularmente sensveis, o da Msica e o da Criana, eo convite vivncia musical diria atravs do Orelhudo!. Todostm uma ligao umbilical Casa e expresso onde forem desejados.

    9998

  • Coro Infantil Casa da Msica a realizao de um velho anseio: 2016/17 marca o surgimento de um Coro Infantil pautado por critrios artsticos superiores, os necessrios para que, num futuro prximo, a formao possa acompanhar os concertos corais sinfnicos dos vrios grupos residentes da Casa da Msica.

    Incluso e igualdade de oportunidades validam o arranque do projecto, que se enraza e ramifica em trs escolas pblicas do ensino bsico da rea Metropolitana do Porto. Todos os seus alunos, do 1. ao 4. ano, so estimulados a participar num processo criativo de explorao de repertrios corais e composio colectiva que vai ao encontro dos contedos curriculares. Surgem, deste modo, trs projectos corais com vida futura.

    Numa segunda fase, no ano lectivo 2017/18, sero seleccionadas as melhores vozes deste universo depequenos cantores. Comea o desenvolvimento do trabalho vocal e musical do Coro Infantil Casa da Msica. Cada escola, reiteramos, manter o seu agrupamento coral. Ou seja, por fora deste procedimento passam a existir quatro coros que, sendo autnomos, podem tambm realizar projectos em conjunto, formando um corpo numeroso de vozes. Conte com elas

    Mecenas Msica Coral

    100 101

  • Orquestra Som da Rua Daniel Sousa, Jorge Prendas, Paulo Coelho de Castro,

    Pedro Cardoso (Peixe) e Tiago Oliveira direco artstica utentes da liga para a Incluso Social interpretao

    No palco so felizes. Homens e mulheres com quem a vida no foi generosa entregam o melhor de si: emoes despertas, a teimosia em contrariar a aridez dos dias. Esta a poesia do Som da Rua, ensemble com um repertrio que reclama sol em lugares desombra. E tem valido a pena.

    A sua histria comea em 2009, ao abrigo do programa A Casa Vai a Casa e de uma parceria do Servio Educativo com instituies portuenses de interveno social. Correu bem, quis-se mais. Hojeeste projecto artstico tem um largo porteflio de temas inditos, vrios assinados por autores conhecidos. Por mrito prprio, conquistou o respeito do pblico e vem merecendo palcos de Norte a Sul dopas. Acima de tudo, cresceu sem perder a essncia: h-de ser sempre um grupo aberto a todos os que queiram participar, composto por cidados que conhecem a cidade com todos os seus lados avessos e, cantando, criam reservas de esperana. o som das ruas que lhes est navoz. pela voz que mostram oque lhes vai na alma.

    102 103

  • Ensemble de Gamelo Casa da Msica

    Jorge Queijo e Maria Mnica direco musical

    So corpos que respiram juntos. Msicos e percusses formam um biossistema peculiar, com relaes de interdependncia chamadas a co-criar vida no gamelo javans. Nenhum se sobrepe, todos so elementares. Nestanatureza ganha expresso um projecto artstico comum repertrio miscigenado, que em timbres do Orienteenraza o Ocidente.

    Tudo decorre do amplo entendimento das qualidades raras do gamelo, um colectivo de mdulos de percusses com uma histria milenar. Concebido para ser tocado por vrias pessoas em simultneo, reverenciado na cultura de Java. Respeitando a sua solenidade, este ensemble, composto por doze elementos com diferentes backgrounds musicais, alarga-lhe o mundo: sons envolventes de origem ancestral admitem influncias do rock, do jazz e da msica improvisada. A fuso j resultou num registo discogrfico. Ao vivo, e tendo como cenrio a beleza imanente ao gamelo, invade pblico e espao com texturas sonoras ressoantes, to poderosas quantosubtis.

    Ver pg. 29 [Factory 365]

    104 105

  • Orquestra de Guitarras e Baixos Elctricos

    Maria Mnica e Pedro Cardoso (Peixe) direco artstica

    Podem distribuir-se pelas janelas de um prdio, como j aconteceu, ou encher um palco convencional. Seja onde for, quem assiste sente o embate de ondas sonoras corpulentas, descarregadas por 12 guitarras e seis baixos elctricos, mais duas baterias. Entre a perturbao e a surpresa, o pblico ligado corrente elctrica.

    Dotada de uma densidade snica rara, esta Orquestra destaca-se pelo impacto gerado por tantos instrumentos amplificados, mas tambm por obedecer a princpios peculiares de organizao musical. Os msicos e compositores Maria Mnica e Peixe respondem pela direco improvisada, sem batuta e partituras, de uma formao com assumida vocao performativa. Em cada concerto, sempre nico, a msica flui entre o gnero experimental e o rock, respondendo aos impulsos de quem a cria, chegando pele de quem a ouve.

    Digitpia CollectiveFaz-se um caminho precursor, laboratorial, com declarado instinto performativo. em apresentaes ao vivo que setem a real percepo da natureza do Digitpia Collective, formao votada ao ensaio de novas frmulas musicais. Investigao, experimentao e consequente inovao balizam o trabalho do colectivo, constitudo pela equipa residente de formadores do Servio Educativo associados Digitpia, a plataforma artstica e de desenvolvimento daCasa da Msica reservada criao musical em suportetecnolgico.

    Ao seu universo chamam o design de instrumentos digitais, a concepo de hardware prprio, o circuitbending, a explorao das relaes entre imagem e som, dos digital media ou de sistemas digitais interactivos. A partir daqui nada territrio interdito, uma abertura que se afirma, tambm, na permeabilidade s diferentes linguagens trazidas por cada elemento do grupo. O resultado: um repertrio demsica electrnica e digital que se descobre erenova em cadaperformance.

    Ver pg. 33 [Piano Caos]

    107106

  • Orquestra Energia Fundao EDP

    Criado pela Fundao EDP em 2010 e com Direco Artstica e Pedaggica da Casa da Msica desde 2015, oOrquestra Energia Fundao EDP um projecto de incluso social atravs da msica e envolve crianas efamlias num processo artstico coeso que se traduz numrepertrio prprio em expanso.

    A identidade particular da Orquestra surge reforada emobras encomendadas a compositores que colaboram regularmente com a Casa da Msica. Algumas foram apresentadas em Julho passado em estreia mundial na nossa Sala Suggia. Este concerto foi o corolrio de um anolectivo que levou a formao a vrios palcos do pas.

    Nesta dinmica artstica cresce uma iniciativa da Fundao EDP, que visa facilitar o acesso msica, ajudando na estruturao dos projectos de vida no universo das crianas e jovens envolvidos.

    Ver pg. 34 [Orquestra Energia Fundao EDP]

    108 109

  • Apoio

    Orelhudo!Um calendrio de msicas orelhudas, bem contextualizadas e abarcando diferentes estilos e tempos, chega s escolas eaqualquer lugar onde haja acesso internet. Disponvel egratuito em orelhudo.casadamusica.com, Orelhudo! um programa do Servio Educativo, fcil e intuitivo, que prope aexplorao musical e multidisciplinar. Alargando os horizontes do conhecimento geral, faz uso da evidncia: commsica correm melhor os dias.

    Cada audio diria, nunca superior a 90 segundos, acompanhada por um pequeno texto que, invariavelmente, encerra com uma pergunta, incitando o ouvinte-leitor a realizar novas descobertas, no necessariamente musicais. Estimula-se deste modo um processo criativo deaprendizagem, realizvel de forma individual ou em grupo. Inicialmente criado para as escolas do 1. ciclo do Ensino Bsico, Orelhudo! j um instrumento acessvel a todos, com a msica a entrar em modo play as vezes que se desejar. Hoje sempre um bom dia para comear, mas pode-se recuar no calendrio, ouvir (e ler) ostemas que preencheram osmeses anteriores do ano.

    Na sala de aula, este programa acompanha as actividades curriculares e proporciona um bom dia musical, logo bem-

    -disposto, que motiva os alunos e sintoniza a turma, criando relaes com outras matrias disciplinares e facilitando a comunicao. Por cumprir critrios pedaggicos, Orelhudo! tem uma verso para professores, que ao texto descritivo de consulta livre acrescenta pistas de actividades e temas aexplorar relacionados com cada msica.

    Ver pg. 77 [Orelhudo!]

    Dia Mundial da MsicaSomos ns em festa, se possvel com a cidade inteira. Produes sempre originais, de grande impacto pblico, chamam a participar msicos profissionais e amadores. Opalco ganha itinerncia, com o espectculo a passear porruas e praas, partilhando repertrios de grupos com variadas linguagens artsticas. Chega o final da tarde e a Casa acolhe tudo e todos; soam as notas de uma celebrao feliz.

    assim anualmente. Em 2016 voltamos por isso a investir num programa indito, feito por muitos lugares, que convoca vrias formaes corais. Cada qual no seu registo, do voz a um dia consagrado ao que nos faz, ao quenos move.

    Ver pg. 26 [Canto em Cada Canto]

    111110

  • Dia Mundial da CrianaSo nossa companhia ms aps ms, entram na Casa diariamente. Neste dia, como bvio, fazemos questo de estar com elas. Sugerimos um programa para as crianas, mas recomendvel a todas as idades, investindo, como j tradio, em conceitos originais, formatos que surpreendem. Este ano no foge regra: a msica sai da Casa para criar a festa. Elementos do Factor E!, a equipa do Servio Educativo, e do projecto espanhol Vibra-T apresentam um concerto itinerante, de pendor didctico, com repertrios bem-dispostos que reclamam a importncia da reciclagem.

    Ver pg. 32 [Vibra-T, Vibra-Tu]

    112 113

  • Ao Alcance de TodosNo nome est o manifesto: Ao Alcance de Todos um programa de carcter artstico e largo alcance social, feito de incluso e oportunidade, contra o preconceito e o estigma porque o que a msica integra ns no separamos; quem a msica chama ns no exclumos. Imanente ao Servio Educativo, encerra novas possibilidades para pessoas e comunidades com acesso restrito a experincias musicalmente vlidas, individual esocialmente regeneradoras.

    Grupos de instituies convidadas so chamados a participar em projectos multidisciplinares, desenvolvidos de raiz por um corpo internacional de profissionais. Em intervenes profundas, que pedem vrios meses, os participantes (re)descobrem-se como elementos interventivos, naturalmente expressivos.

    Deste trabalho continuado damos conta no incio da Primavera, com uma semana aberta de oficinas e espectculos inditos, emocionalmente fortes, urdidos com a poesia da arte e os sonhos legtimos que existem emcada ser humano.

    Ver pg. 30 [Aurora e Guia Prtico para Artistas Ocupados]

    114 115

  • SonpolisO ano foi bom, vamos ento celebrar. Sonpolis a festa final do nosso calendrio lectivo e um projecto que marca oencontro em palco de muitas culturas e comunidades. Nosangue tem o pluralismo que faz bem cidade, a confluncia de expresses artsticas, a capacidade deintegrao. Surge do nosso trabalho com grupos de diferentes contextos socioculturais; constri-se no dilogo musical entre todos osintervenientes.

    Apresentado pelo Vero, realiza-se em articulao como Curso de Formao de Animadores Musicais, que anualmente permite aconstituio de um ensemble de msicos com distintas estticas e referncias culturais. Adiversidade assim a marca de gua de um espectculo oferecido ao pblico, com o som daplis que se deseja: umamistura viva.

    Ver pg. 35 [Sonpolis] e pgs. 91 a 93 [CFAM]

    116 117

  • Mecenas Orquestra Sinfnicado Porto Casa da Msica

    Ensaios Abertos

    Orquestra Sinfnica do Porto Casa da Msica

    o ltimo ensaio geral e a sala tambm se enche. Grupos deescolas a partir do 1. ciclo do Ensino Bsico ou de outras instituies, bem como pblico em geral, tm oportunidade de assistir ao programa musical do prximo concerto.

    Com Ensaios Abertos torna-se possvel fruir de uma excelente audio e imergir na rotina de trabalho dosmsicos da Orquestra. Num ambiente informal, intrpretes de excepo assumem o seu lugar no palco para, em boa companhia, reverem grandes repertrios.

    2016Out 07, 28Nov 11, 25

    Dez 02, 09

    2017Jan 13, 27

    Mar 03, 17, 31Abr 21Mai 19

    Jun 02, 09, 30

    Sextas 10:00Entrada livre

    Admisso de grupos mediante inscrio prvia atravs de [email protected]

    Lotao limitada

    118 119

  • Digitpia Casa da MsicaJos Alberto Gomes curador

    Nuno Hespanhol, scar Rodrigues, Pedro Augusto e Tiago ngelo developers

    Artur Carvalho, scar Rodrigues e Ricardo Baptista projectos com comunidades e aces educativas

    O universo digital ultrapassa o ambiente fsico para reconfigurar e democratizar as oportunidades de realizao musical e artstica. A Digitpia Casa da Msica a plataforma que ocupa este novo espao de inovao, empermanente mudana.Baseando-se nas novas tecnologias, incentiva a audio, aperformance e a criao musical. Gravita, sobretudo, em torno do desenvolvimento de ferramentas de autor e contedos concedidos pela sua equipa residente. Sob modelos precursores ao nvel global, pratica uma filosofia de partilha e acesso livre, com tudo o que desenvolvido a ficar disponvel em www.digitopia.github.io. Ao expandir os domnios da msica digital e electrnica, num contexto no acadmico ou comercial, estimula o surgimento de novos msicos e comunidades criativas.

    espAo digitpiA

    Numa plataforma que por natureza inspira futuro, renovao que se espera. Ao fim de 10 anos de existncia, completados em 2016, o Espao Digitpia deixa de estar fisicamente junto bilheteira da Casa da Msica, adquirindo a forma de novos Hot Spots que ao longo do ano sero apresentados. Ubqua por vontade da tecnologia, imprime a sua dinmica pioneira em inmeros projectos, individuais ou de grupo, em qualquer altura e lugar.

    www.facebook.com/[email protected]

    120 121

  • Hot SpotsDisponveis por toda a Casa encontram-se equipamentos einstalaes de carcter interactivo, de utilizao livre.

    So portas que o pblico abre as vezes que quiser para realizar experincias musicais e sonoras podem ser pontuais ou regulares, ligeiras ou profundas. Nos Hot Spots prevalece o princpio da autonomia, validado por tecnologia amiga desenvolvida pela equipa da Digitpia Casa da Msica. Seja em visitas individuais ou em grupo, osHot Spots convidam experimentao.

    122 123

  • SonoriumsAlA lArANJA

    A que soa o aceno de uma ou muitas mos? Que msica hnum salto? E dois passos para trs, quantos rudos despertam? Prepare-se para, numa sala vazia, acordar toda a natureza de sons. Sonorium um instrumento virtual electrnico que reage a qualquer movimento, captado atravs de cmaras de infravermelhos, tornando-o bem audvel.

    Uma criao da equipa da Digitpia Casa da Msica, este equipamento nada exige alm da dinmica do corpo. Acessvel a qualquer pessoa, permite realizar coreografias sonoras que vivem de gestos simples ou mais elaborados, espontneos ou ensaiados tudo depende do modo como se deseja viver e aprofundar a experincia.

    O seu software disponvel tambm online em digitopia.github.io/Sonorium est preparado para armazenar um acervo musical e sonoro infindvel. Dependendo do que estiver programado, pode bem encher a sala de samples deorquestra, pedaos de canes, derudos abstractos, mecnicos, da natureza Se ouvir, porque algum se esta mexer.

    Regime livre Todos os dias, excepto quando estejam a decorrer workshops.

    O acesso gratuito, devendo ser solicitado na bilheteira

    124 125

  • PhonoBoothFoyer Norte

    Numa mquina arcade transformada, a voz entra em jogo. Sob a configurao vintage est um equipamento com um conjunto vasto de efeitos udio para o visitante da Casa manipular a seu bel-prazer. O que lhe pedido: os seus recursos vocais. O que acontece: a transformao em tempo real dos sons que emite.

    Basta experimentar para acontecer a extravagncia. Um microfone e alguns dispositivos de interaco so tudo o que preciso para provocar neste processador de voz as sonoridades menos esperadas, at bizarras. No imediato, uma palavra, um assobio ou um estalido com a boca adquirem outra natureza traduzem-se em sonoridades electrnicas, robticas, aliengenas, quem sabe animais Apartir daqui, comea uma explorao que, simples e intuitivamente, pode levar a resultados mais complexos, composies elaboradas em que entram loops, remisturas, sons distorcidos, em delay ou acelerados.

    O PhonoBooth um projecto de Diogo Moreda, da Universidade Catlica Portuguesa. Clssico entre os nossos Hot Spots, constri novos mundos sonoros com cada utilizador.

    Regime livre Todos os dias

    GamultsAlA reNAsceNA

    Pela tecnologia se alcanam sons acsticos de origem milenar. Com Gamult d-se ao pblico em geral a oportunidade de tocar, sem contacto directo, alguns dos mdulos do gamelo javans da Casa da Msica, um raro evalioso conjunto de percusses.

    Concebido para expandir as possibilidades da instalao Gamelo Robtico uma orquestra de robs-

    -instrumentistas manipulada pelo(s) utilizador(es) por controlo remoto , Gamult uma interface intuitiva e original que responde ao toque dos dedos no ecr tctil. Desta forma accionam-se braos mecnicos que chegam aos instrumentos do gamelo.

    Intervenes artsticas e workshops de criao colectiva esto entre as actividades desenvolvidas com este equipamento absolutamente pioneiro e facilitador, que agora permite tambm experincias ao alcance de qualquer pessoa: uma aplicao mvel, lanada em Setembro de 2016, leva o Gamult a todo o lado. Com ele, percusses de timbres exticos viajam pelo mundo virtual.

    Regime livre Todos os diasO acesso gratuito, devendo ser solicitado na bilheteira

    126 127

  • ItinernciasViajar muito bom, sobretudo quando levamos o melhor dens. No importa se o caminho contado em alguns quilmetros de estrada ou muitas milhas areas rejeitando a ideia de destinos menores, em Portugal enoestrangeiro apresentam-se produes com o ADN doServio Educativo da Casa da Msica.

    Com um mapa que se redesenha de ano para ano, Itinerncias o programa que nos faz chegar a outros pblicos. Espectculos, aces de formao, workshops, residncias artsticas ou projectos Fora de Srie entram noconjunto alargado de criaes prprias sempre com abagagem pronta e o passaporte em dia.

    O alcance cada vez maior, com salas do mundo e instituies congneres a reconhecerem um projecto educativo e artstico que procura investir em processos inovadores e no alargamento dos domnios da msica. Surgem assim ligaes estveis, visitas prolongadas eregressos confirmados.

    O Tokyo Bunka Kaikan em Tquio onde vamos voltar com mais uma Formao de Animadores Musicais , o Palau da Msica Catalana em Barcelona, o Festival Artes para Criao deSo Paulo ou o De Doelen em Roterdo onde em Abril estaremos em cena com o espectculo Cha Cha Pum so algumas das estruturas estrangeiras com que crimos laos. EmPortugal, temos parcerias slidas com oespao GNRation, em Braga, o Festival Internacional de Msica de Espinho, a Fundao de Serralves e vrias outras instituies, de Norte a Sul.

    Itinerncias movimento. Somos ns dispostos a ir a todos os lados com propostas que nos orgulham. Nestes termos, 2016/17 um ano lectivo em aberto, pronto a considerar novos itinerrios.

    O programa Itinerncias do SE est sempre receptivo a novas solicitaes. Quaisquer esclarecimentos sobre as nossas propostas e possibilidades

    de agendamento podero ser solicitados atravs do endereo electrnico [email protected]

    Espectculos

    viva vivaldi25 Set 11:00

    Fundao Calouste Gulbenkian de Braga

    Cha Cha Pum02 Abr 14:00

    De Doelen, Roterdo

    Workshops

    Workshop Percusso Corporal15 e 16 Out (2 sesses por dia)

    Philarmonie du Luxembourg, Luxemburgo

    Ciclo de Workshops Digitpia Itinerante [Primeiros Bits]

    12 Out Msica e Matemtica 26 Out Som das Coisas

    16 Nov Compor para imagens que mexem GNRation, Braga

    Formao

    Formao de Animadores Musicais 20162017

    Tokyo Bunka Kaikan, Tquio

    128 129

  • visitas GuiadasAs visitas guiadas do-lhe a conhecer a Casa da Msica nas suas vrias vertentes. Durante cerca de uma hora, um guia descreve o edifcio projectado pelo holands Rem Koolhaas, explicando a arquitectura, as funcionalidades e a programao artstica. Passveis de se ajustar s caractersticas de cada grupo (em termos de faixa etria, nmero e necessidades dos seus elementos), as visitas guiadas permitem tambm interagir com os diversos equipamentos de descoberta e realizao musical que vivem nos diferentes espaos pblicos do edifcio, designados por Hot Spots, onde favor mexer. H ainda a possibilidade de se realizarem programas especficos para crianas e jovens.

    visitas sem MarcaoDiariamente

    Portugus e Ingls 11:00 e 16:00 7,5 Durao: 1h aprox.

    (entrada livre para crianas com menos de 12 anos desde que acompanhadas por um adulto com bilhete)

    visitas com MarcaoA partir de 15 pessoas com horrio a fixar especificamente

    Escolas 3,5Grupos 7,5Turstica 10

    Backstage 8

    Aniversrio na CasaDos 4 aos 12 anosA partir de 20

    MarcaesT + 351 220 120 210

    [email protected]

    Mecenas Visitas Guiadas

    131

    mailto:[email protected]

  • Fale Connosco

    Internet

    www.cAsAdAmusicA.com

    O site da Casa da Msica o local onde divulgamos a nossa programao. A informao, actualizada em permanncia, est estruturada de modo a facilitar a identificao da natureza das iniciativas existentes, os pblicos a que se destinam e os dias e horas em que decorrem. Permite ainda fazer download das agendas habitualmente disponveis em papel, assim como consultar, em streaming, vdeos de algumas actividades. Se desejar fazer parte da base de dados do Servio Educativo comunique-o para [email protected]

    Informao em suporte de papel

    O Servio Educativo procede com regularidade divulgao da sua programao em suporte de papel, seja para actualizar o calendrio de actividades, seja para destacar algum evento em particular. Estes suportes encontram-se disponveis, nomeadamente, na Casa da Msica, podendo ser enviados, por correio, a pedido.

    Contacto dirio

    [email protected]

    T +351 220 120 290 de Segunda a Sexta, das 9:30 s 13:00

    O Servio Educativo est contactvel diariamente, podendo dar informaes sobre a programao, esclarecer dvidas e receber propostas para realizao de novas actividades ou adaptao das j existentes aos objectivos de grupos especficos.

    Marcao de actividades

    (escolas, comunidades e outras instituies)

    Workshops Sons para Todos e Sexta Maior, Primeiros Concertos e Concertos para Todos: [email protected] T +351 220 120 290 O eventual cancelamento de actividades dever ser feito com, pelo menos, quinze dias de antecedncia.

    Informaes Gerais

    Alteraes programao

    A programao apresentada nesta agenda poder estar sujeita a alteraes.

    venda de bilhetes

    BILHETEIRA DA CASA DA MSICA Seg a Sb 09:3019:00 Dom e Feriados 09:3018:00 Nos dias de espectculo o horrio alarga- -se at meia hora aps o seu incio. BILHETEIRA ON-LINE www.casadamusica.com Call Center: 220 120 220 Lojas Worten

    133

  • Reservas

    Pblico Geral

    Workshops Primeiros Sons, Msico por um Dia, Msica em Famlia, PrimeirosConcertos, Concertos paraTodos e Formao: Bilheteira da Casa da Msica [email protected] T +351 220 120 220 Lojas Worten

    Reservas vlidas durante 7 dias. No caso de serem efectuadas nos 7 dias que antecedem o evento, manter-se-o at 48horas antes do mesmo. Para grupos com mais de 12 pessoas, as reservas sero vlidas at 15 dias antes da actividade, prazo findo o qual ficaro sem efeito.

    Escolas, comunidades e outras

    instituies

    Reservas vlidas at um ms antes do evento. Quando efectuadas a um ms, ou menos, da data do evento, a validade de uma semana. No caso de faltar uma semana, ou menos, as reservas so vlidas at 48 horas antes do evento. Esta regra no se aplica aos Workshops Sons para Todos e Sexta Maior, cujos bilhetes podem ser levantados no prprio dia.

    Preos

    Preos estipulados por espectculo e por actividade. Espectculos de Entrada Livre sujeitos a levantamento de bilhete at ao limite da lotao.

    De acordo com o disposto no DL 23/2014, de 14 de Fevereiro, so classificados para maiores de 6 anos, os espectculos de msica artigo 27, n. 1, al. b) e podem assistir aos espectculos de natureza artstica vocacionados para crianas classificados como Para todos os pblicos, as crianas com idade igual ou inferior a 3 anos, desde que a lotao da sala seja reduzida em 20%, contando-se para efeitos de lotao todos os espectadores.

    Regras de utilizao

    As actividades comeam impreterivelmente hora marcada. Uma vez iniciadas, no ser permitida a entrada na sala, excepto no intervalo ou quando a actividade o permitir.

    Se, por motivo de fora maior, a data do evento for alterada, o bilhete ser vlido para a data definitiva. As importncias dos bilhetes sero restitudas ao pblico que oexigir apenas nas seguintes situaes: a) se a actividade no se puder efectuar

    nolocal, na data e hora marcados; b) se houver substituio de artistas

    principais ou se a actividade for interrompida. Se a substituio ou interrupo forem determinadas por motivo de fora maior, verificado aps oincio da actividade, no haver restituio do valor dos ingressos.

    No so autorizadas filmagens, gravaes udio ou fotografias.

    Devem ser desligados, antes do incio das actividades, todos os telemveis, telebips e relgios com sinal sonoro. proibido fumar dentro do edifcio da Casa da Msica.

    expressamente proibido transportar copos, garrafas ou outros objectos das reas de restaurao para o interior dassalas.

    Nas actividades destinadas a escolas permitida a entrada gratuita de um professor ou auxiliar por cada 10 alunos.

    Bilhetes venda:

    Bilheteiras da Casa da Msica

    www.casadamusica.com

    Lojas Worten