Estágio Transitório Estágio de aplicação Estágio de utilização permanente aula10

  • View
    266

  • Download
    1

Embed Size (px)

Text of Estágio Transitório Estágio de aplicação Estágio de utilização permanente aula10

Fase de movimentos especializados

Estgio TransitrioEstgio de aplicaoEstgio de utilizao permanente

Fase de movimentos especializadosaula10

Fase de movimentos especializadosCombinao e elaborao de movimentos.O tempo de reao e a velocidade do movimento, a coordenao, o tipo de corpo, a altura e o peso, os hbitos, presso do grupo social a que se pertence e estrutura emocional so apenas alguns desses fatores que podem influenciar no aprimoramento das habilidades.GALLAHUE (2005, p.61)

Estgio Transitrio (8 a 9 anos)Comea a combinar e aplicar habilidades motoras fundamentais ao desempenho de habilidades especializadas no esporte e em ambientes recreacionais.O objetivo de pais, professores e treinadores, deve ser o de ajudar as crianas a aumentar o controle motor e a competncia motora em inmeras atividades.

Estgio de aplicao (11 a 13 anos)Sofisticao cognitiva crescente e certa base ampliada de experincias tornam o indivduo capaz de tornar numerosas decises de aprendizado e de participao baseadas em muitos fatores da tarefa, individuais e ambientais.Neste estgio, os indivduos comeam a buscar ou a evitar a participao em atividades especficas.Esta a poca para refinar e usar habilidades mais complexas em jogos avanados, atividades de liderana e em esportes escolhidos. Estgio de Utilizao permanente(14 anos)Auge de todos os estgios e fases. Desenvolvimento progressivo de capacidades fsicas (fora, flexibilidades, resistncia, velocidade) que aprimoram a utilizao das habilidades fsicas.

Capacidades FsicasMODELO DE DESENVOLVIMENTO MOTOR, DE DAVID GALLAHUEMOVIMENTOREFLEXOMOVIMENTORUDIMENTARMOVIMENTOFUNDAMENTALMOVIMENTOESPECIALIZADOFASEESTGIOCODIFICAO DAINFORMAODECODIFICAO DAINFORMAOINIBIO DO REFLEXOPR-CONTROLEELEMENTARINICIALMADUROTRANSIOAPLICAOUTILIZAO

ESTIMULAOAPRENDIZAGEMPRTICAESPECIALIZAOMODELO DA ESPECIALIZAO MOTORA,KREBS (1992/1993)IniciaoAutomatizaoDedicao ExclusivaSEQNCIA DO DESENVOLVIMENTODE UM TALENTO NO DESPORTO8

SEQNCIA DO DESENVOLVIMENTODE UM TALENTO NO DESPORTOMODELODE FORMAO ESPORTIVA,GRECO(2000) DESENVOLVIMENTO DE HABILIDADES MOTORASESPECFICO

GERALCOMPLEXO

SIMPLESPERFORMANCE

SELECO

COMBINAO

DESCOBERTA

EXPLORAOHabilidade MotoraMovimentoCapacidadeMotoraPadroMotorAvaliar mudanasao longo do tempoCategorizarou IdentificarFornecer feedbackoupredizerPlanear tratamentoEstratgias instruo

Habilidade MotoraPadroMotor?Habilidade Motora (Motor Skill) aco eficaz e eficiente resultante de um processo de aprendizagem, de forma a alcanar objectivos pr-determinados.Padro Motor (Motor Pattern) aco motora completa que Constitui estrutura bsica de certas habilidades motoras especficas (Magill, 1984).Movimento (Movement) alterao da posio do corpo ou de um segmento (Newell, 1978); modificao do ngulo das articulaes, e ou da posio geral do corpo (Schmidt, 1982).Habilidade Motora (Motor Skill) aco eficaz e eficiente resultante de um processo de aprendizagem, de forma a alcanar objectivos pr-determinados.Capacidade Motora (Motor ability) trao geral, ou qualidade de umindivduo, relacionada com o desempenho de uma variedade de habilidades motoras (Magill, 1984).

ProdutoProcessoPadro / FormaTempoMassaEnergiaFrequnciaDistnciaVelocidadeForaTraos hereditrios;Estveis e duradouros;+ 50;Suporte de muitas e de diferentes habilidades (skills).

CapacidadesHabilidades/SkillsDesenvolvem-se com a prtica;Modificam-se com a prtica;Numerosas;Dependem de vrias capacidades. Terminologia PADRES MOTORESHABILIDADES MOTORASTCNICAESTILOCLASSIFICAO DAS HABILIDADES MOTORAS COMO ATO OU TAREFA - MOVIMENTOS APRENDIDOS. (MAGILL, 1984)EX: CORTADA DO VOLEI.COMO INDICADOR DE QUALIDADE DE DESEMPENHO - GRAU DE COMPETNCIA. (MAGILL, 1984)EX: UM JOGADOR COLOCAR NO CHAO 80% DE SEUS DIRETO ATAQUE.

CATEGORIAS GERAIS DAS HABILIDADES MOTORASQUANTO A PRECISO DO MOVIMENTOQUANTO AOS PONTOS INICIAIS E FINAIS BEM DEFINIDOSQUANTO A ESTABILIDADE DO AMBIENTEQUANTO AO CONTROLE DE FEEDBACK

QUANTO A PRECISO DO MOVIMENTOGLOBAIS: controlar grandes grupamentos musculares. (MAGILL, 1984, TEIXEIRA,2006)Ex. a cortada no voleibol, a bandeja no basquete..FINAS: controlar pequenos grupos musculares e alto grau de preciso do movimento. (MAGILL, 1984, TEIXEIRA,2006)EX.passar a linha na agulha, escrever. QUANTO AOS PONTOS INICIAIS E FINAIS BEM DEFINIDOSDISCRETAS - pontos de incio e fim da habilidade esto bem visveis. Ex. o arremesso de uma bola ou a execuo de uma cambalhota. (MAGILL, 1984, TEIXEIRA,2006)CONTNUAS - quando os pontos de incio e fim so indefinidos. Ex: correr, nadar e remar. (MAGILL, 1984, TEIXEIRA,2006).SERIADAS - quando existe uma combinao de habilidades discretas em srie. Ex.salto em distncia (correr e pular).(MAGILL, 1984, TEIXEIRA,2006).

QUANTO A ESTABILIDADE DO AMBIENTEQUANTO A ESTABILIDADE DO AMBIENTEABERTA quando a habilidade for envolvida por um ambiente imprevisvel, em mudana contnua.Ex: Marcar um atacante de futebol requer que o defensor reaja a estmulos que so gerados externamente (pelo atacante). (MAGILL, 1984, TEIXEIRA,2006).FECHADA - quando o ambiente for estvel, previsvel.Ex: Nadar continuamente tambm pode ser classificado como fechada. (MAGILL, 1984, TEIXEIRA,2006).QUANTO AO CONTROLE DE FEEDBACK (AVALIAO)CIRCUITO ABERTO o executante no puder usar o feedback para fazer ajustes no movimento, durante a prpria ao. Ex: driblar e arremessar no plo aqutico.CIRCUITO FECHADO - o executante puder usar o feedback durante o movimento. Ex:um salto ornamental.