Inspiração, intuição, telepatia (autoria desconhecida)

  • View
    52

  • Download
    1

Embed Size (px)

Transcript

  • INSPIRAO INTUIO

    TELEPATIA

    1. ESTADO DO MDIUM NO FENMENO MEDINICO 134

  • No momento que exerce a faculdade o mdium pode permanecer no estado normal ou ficar num estado mais ou menos acentuado de crise.

    Conforme o tipo de faculdade que possui, permanece com as percepes normais ou seu estado de percepo pode se tornar muito mais sensvel.

    Quando no estado normal inspirativo ou intuitivo, quando no estado de crise adquire a forma de sonambulismo ou de xtase.

    Na inspirao e na intuio - Recebem o pensamento do Esprito e posteriormente com seu modo caracterstico transmitem a mensagem.

    O sonambulismo natural um estado de independncia do Esprito em que suas faculdades adquirem maior amplitude. A alma tem percepes que no estado normal se acham embotadas.

    O Estado de xtase um sonambulismo mais apurado. A alma do exttico ainda mais independente.

    Nos estados de sonambulismo e de xtase, a prpria alma do mdium pode comunicar-se, constituindo isto o fenmeno chamado animismo.

    CARACTERSTICAS

    ESTADO

    FREQUNCIA

    DE ONDAS CEREBRAIS

    FSICAS

    MENTAIS

    BETA

    14 28

    Ciclos/Segundo

    Tenso Hiperatividade Agitao

    Alto metabolismo

    Viglia Excitao Inquietude

    pensamento irrequieto Inspirao

    ALFA

    08 14 Ciclos/Segundo

    Conscincia passiva relaxamento profundo

    Meio dormindo Meio acordado

    Estado de criao Estado de calma

    Alerta Serenidade

    Pr-sonolncia Tranquilidade

    Estado de Conscincia Criatividade

    Intuio

    TETA

    04 08 Ciclos/Segundo

    Sem percepo Semi-Inconscincia

    Estado Norico

    Sonolncia Semi-Inconscincia Meditao profunda

    Sonambulismo

    DELTA

    0 04 Ciclos/Segundo

    Sono profundo Inconscincia

    Sono profundo Concentrao profunda

    Unio conscincia csmica xtase

    2. INSPIRAO Na inspirao a interveno espiritual bem menos perceptvel, mais discreta; um modo

    de o homem receber ajuda aparente do plano superior. So apenas idias ou sugestes mentais desprovidas de sentimentos.

    3. INTUIO A intuio semelhante anterior, porm, a interveno espiritual bem mais acentuada;

    O esprito comunicante transmite suas idias ou sugestes mentais carregadas de sentimentos ao encarnado que, entendendo-as, interpreta-as e as enuncia com suas prprias palavras.

    4. TRANSMISSO DO PENSAMENTO Tanto na inspirao como na intuio o que ocorre a transmisso do pensamento, portanto, se

    efetuam pelo processo de comunicao teleptica. 5. TELEPATIA E MEDIUNIDADE

    135

  • ULTRAPASNa telepatia processada exclusivamente seus pensamentos a outra vontade delibo que constitui num processo de transmiss Mas, no caso da inspirao e da intuioutro esprito desencarnado, ele tambaflitivos, assim como, s vezes, recepcioentendimento ou concepo comum que te

    AJUNa telepatia entre os encarnados, um crpor outro crebro receptor passivo, potransmisso mental. Na inspirao e principalmente na intentre o esprito do mdium e o desencarnque deve transferir para o mundo material.

    FATOS SUBORDINNo caso de pura telepatia entre os encaos acontecimentos do mundo fsico, enquanto que, no intercmbio teledesencarnados, os mdiuns captam nmuitas vezes expem assuntos que, almultrapassam a concepo habitual dos freq

    6. MECANISMOS DAS INSPNa inspirao o mdium no se afasta

    o esprito para receber telepaticamente totalmente consciente.

    Na inspirao, ocorre a assimilao deseja, so apenas idias ou sugestes men

    simplesmente uma influncia teleporigem medinica, mas reconhece-se quefora das cogitaes do mdium ou mesmo

    7. MECANISMOS DAS INTUNa intuio o mdium tambm no se

    harmonizar-se vibratriamente com o espposteriormente transmiti-l.

    Duas pessoas sintonizadas mentalmenentrosadas e havendo entre elas harmmagntica vinculando-as, imantando-as pro

    Os pensamentos e as sensaes diferee fora vibratria que o esprito lana sobsugestes mentais vem carregadas de sen

    mdium recebe as idias, interpreta-as No raro o comunicante imprime ma

    material, caracterizando a a chamada m 8. MECANISMO DA INCORAs incorporaes caracterizam-se pelo

    fica unido por um cordo fludico) e entrar n

    INS

    SA SEU ENTENDIMENTO entre os encarnados, uma vontade ativa transmite os eradamente passiva recebe os pensamentos emitidos, o mental diretamente de encarnado para encarnado.

    o teleptica, alm de o mdium deixar-se nspirar por m assenhoreia-se dos seus problemas venturosos ou na mensagem espiritual educativa que ultrapassa o seu m da vida.

    STE ESPIRITUAL ebro ativo envia ondas concntricas que so captadas rque ambos sintonizam-se mesma faixa vibratria de

    uio teleptica efetua-se pelo ajuste perispiritual ado, em que o primeiro recebe diretamente a mensagem

    ADOS AO MUNDO ESPIRITUAL arnados, o fenmeno subordinado exclusivamente

    ptico inspirativo e intuitivo com os espritos otcias inditas do Alm, fazem previses acertadas e de transcender aos seus prprios conhecimentos, ainda uentadores das sesses espritas.

    IRAES do corpo, precisa apenas sintonizar-se mentalmente com a influncia e transmiti-l, sem se afastar do corpo,

    correntes mentais que o esprito envia ao encarnado, ou tais desprovidas de sentimentos. tica com plena conscincia do mdium, nada provando a uma influncia estranha quando o assunto tratado est contrria seus pontos de vista.

    IES afasta do corpo, mas tem de sintonizar-se mentalmente e rito para receber telepaticamente a influncia estranha e

    te estaro, evidentemente, com as mentes perfeitamentes onia vibratria se estabelecer entre elas uma ponte fundamente.

    ntes que o mdium sente, deve-se ao jato de fora mental re o sistema nervoso do encarnado, ou seja, as idias ou timentos, sensaes, etc. e d-lhes forma com suas prprias palavras. ior vigor ao teleptica pondo a mo no crebro ediunidade intuitiva.

    PORAO CONSCIENTE fato de o esprito do mdium afastar-se do corpo (ao qual um estado de sonolncia dito transe.

    PIRAO 136

    Na inspirao, ocorre a assimilao de correntes mentais que o esprito envia ao encarnado, ou seja, so apenas idias ou sugestes mentais desprovidas de sentimentos.

  • INTUIO

    HARMONIZAO MENTAL E VIBRATRIANa intuio o mdium tem de sintonizar-se mentalmente e harmonizar-se vibratriamente com o esprito para receber telepaticamente a influncia estranha e posteriormente transmiti-l. Os pensamentos e as sensaes diferentes que o mdium sente, deve-se ao jato de fora mental e fora vibratria que o esprito lana sobre o sistema nervoso do encarnado, ou seja, as idias ou sugestes mentais vem carregadas de sentimentos, sensaes, etc. O comunicante imprime maior vigor ao teleptica pondo a mo no crebro material, caracterizando a a chamada mediunidade intuitiva.

    9. ASSIMILAO DE CORR

    CORRENTES ELETROMAGNTICAS Os veculos fsicos apareciam quais se O Sistema nervoso, os ncleos glandE justapondo-se ao crebro, a mente m

    cada companheiro determinado potencial d CORPO FSICO - MANIFESTAO TREm qualquer estudo medinico, no po e,

    mora na cidadela atmica do corpo, forma o mundo. Sangue, encfalo, nervos, ossos, m entre si para a manifestao transitria d ia, segundo as condies em que a mente se

    AMORTECIMENTO VIBRATRIO DO O Instrutor espiritual pousou a destra

    tornando-se mais humanizado, obscuro (coO instrutor espiritual graduou o pens

    mdium e do ambiente que o cerca, ajus

    ASSIMILAO DE CORRENTES MENTAISO jacto de foras mentais do Instrutor Espiritual atua sobre a organizao psquica do mdium, apoiando-se no plexo solar, se transformando em luminoso estmulo, que se estende pelos nervos, elevando-se ao sistema neuro-cerebrino, onde, do qual se derrama pela boca, em forma de palavras. Frequentemente, a aproximao do benfeitor espiritual sentida como doce excitao que produz um agradvel calafrio, acompanhado de eriamento da pele, isto deve-se ao jato de fora mental daquele que lana sobre o sistema nervoso do encarnado.

    ENTES MENTAIS (NDM - Pg. 47) fossem correntes electromagnticas em elevada tenso. ulares e os plexos emitiam luminescncia particular. surgia como esfera de luz caracterstica, oferecendo ee radiao.

    ANSITRIA DA ALMA demos esquecer que a individualidade espiritual, na carndo por recursos tomados de emprstimo ao ambiente d

    pele e msculos representam materiais que se aglutinaa alma, na Terra, constituindo-lhe vestimenta temporracha.

    INSTRUTOR ESPIRITUAL

    na fronte do mdium que comandava a assemblia, m menos luz). amento e a expresso, de acordo com a capacidade do tando-se-lhes s possibilidades.

    137

  • O benfeitor espiritual tornou-se mais pesado porque amorteceu o elevado tom vibratrio em que respira habitualmente, descendo posio do mdium, tanto quanto lhe possvel, para benefcio do trabalho que se inicia.

    Os Espritos cujas vibraes se processam aceleradamente , devido sua evoluo, graduam o pensamento e densificam o perisprito quando desejam transmitir as comunicaes, inspirar dirigentes medinicos ou expositores. - Para reduzir seu padro vibratrio, o Esprito superior impregna-se de matria sutil colhida no

    prprio ambiente; - Para elevar o tom vibratrio do mdium o Esprito Superior encontrar na concentrao ou

    transe, daquele, os meios de ativar-lhes as vibraes;

    O MENTOR ESPIRITUAL AGE NO CREBRO DO MDIUM A cabea venervel do instrutor Espiritual passou a emitir raios fulgurantes, ao mesmo

    tempo que o crebro do mdium, sob os dedos do benfeitor, se sublimava de luminosidade intensa, embora diversa.

    O mentor desencarnado levantou a voz comovente, suplicando a Beno Divina. O mdium transmitiu igualmente em alta voz, imprimindo diminutas variaes. Fios