Diversidade Sexual no Contexto da Famí ?· hetero ou homoafetiva e o casamento hetero ou homoafetivo,…

  • View
    213

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

  • Daniel AgapitoTabelio Substituto da 29a. Tabeli de Notas de So Paulo - Capital

    Srie: Dialogando:Diversidade Sexual no Contexto da Famlia

  • O Cartrio

    Existem oito tipos de cartrios:

    1. Tabelionato de Notas: autenticaes, reconhecimento de firmas,escrituras, testamentos, procuraes, divrcios, inventrios, pactosantenupciais, atas notariais, etc.

    2. Registro de Imveis: cadastro dos imveis de uma regio, registraas escrituras feitas no tabelionato e demais atos sobre estes imveis.

    3. Registro Civil de Pessoas Naturais e Interdies e Tutelas:nascimentos , casamentos e bitos. (RF e aut. tambm).

    4. Tabelionato de Protestos: para intimar e receber pagamentos dettulos de crditos no pagos.

  • 5. Registro Civil das Pessoas Jurdicas: inscreve todos os atos relativoss pessoas jurdicas no empresrias (pois essas so inscritas nasJuntas Comerciais). P.Ex.: sociedades simples, religiosas, cientficas,literrias, fundaes, associaes, partidos polticos.

    6. Registro de Ttulos e Documentos: subsidirio, serve pararegsistrar os demais contratos particulares, normalmente sobre bensmveis, como p.ex.: penhor comum, contratos de parceria agrcola,arrendamentos, CTPS e faz aquelas intimaes extrajudiciais.

    7. Registro de Distribuio: distribui de maneira equitativa os serviosda mesma natureza.

    8. Registro de Contratos Martimos: lavra e registra documentosrelativos s embarcaes e outros atos de direito martimo.

  • O Tabelionato de Notas

    O Tabelio de Notas exerce algumas relevantes atividades populao, (vide abaixo) das quais hoje destacaremos algumaspara tratar em especfico. Ele analisa toda a documentaonecessria e vende ao cliente SEGURANA JURDICA e PREVENODE LITGIOS:

    Escrituras variadas: as partes procuram o tabelio para que eleadeque a vontade delas ao que a lei permite, em termoscontratuais. Exs.: compra e vendas, doaes, daes, hipotecas,confisses de dvidas, pactos e infinitos outros contratos.

  • Ainda lavra:

    Divrcios

    Inventrios

    Procuraes

    Testamentos

    Atas Notariais

    Reconhecimentos de firmas

    Autenticaes

    Materializa e Desmaterializa Documentos

    Emite Certificados Digitais.

  • No Direito de Famlia

    Dentro do mbito do Direito de famlia, o Tabelio requisitado para tratar e elaborar os pactos antenupciais (no casamento), os pactos de unio estvel, os contratos de namoro, independentemente de ser hetero ou homoafetivo (no se faz mais qualquer distino)

  • Diferenas entre Unio Estvel & Casamento

    Casamento formal, UE, informal (no depende de contrato).

    CF: facilitao da UE em casamento: no se converte uma coisa em outra, se forem iguais.

    UE fato jurdico, casamento negcio jurdico.

    UE no altera o estado civil e no constitui bice ao casamento civil. No consta do rol do art. 29 LRP.

    Sucesso (1829 & 1790). Cd 1916 era equiparado ao cnjuge, hoje vem depois dos colaterais. (STJ decidir em breve).

  • No h mais Diferenas

    No h mais qualquer diferena entre a UE hetero ou homoafetiva e o casamento hetero ou homoafetivo, vide item das normas CGJ/SP:

    88. Aplicar-se-o ao casamento ou a converso de unio estvel em casamento de pessoas do mesmo sexo as normas disciplinadas nesta Seo. (da UE e do Casamento)

  • Ainda que o cunho econmico no seja a finalidade precpua do casamento/ unio estvel, no podemos negar que relaes patrimoniais adviro desta comunho de vida.

    Regime de bens uma consequncia jurdica do casamento/unio estvel.

    O regime de bens ser um conjunto de regras firmadas entre os cnjuges/companheiros para reger estas relaes, tanto com efeito entre eles, como em relao a terceiros.

    No existe casamento/ UE sem regime de bens.

    Tanto para o casamento quanto

    para a Unio Estvel

    REGIME DE BENS

  • O Pacto Antenupcial - CASAMENTO

    O pacto antenupcial dever ser lavrado perante um tabelio denotas (profissional do direito que poder ser livrementeescolhido pelas partes, independentemente de local deresidncia ou domiclio ou celebrao do casamento.

    Este tabelio prestar todas as informaes sobre os diversosregimes de bens, orientar suficientemente o casal at queeles decidam. Feita a escritura (no Estado, em qualquertabelionato de SP custar R$366,29 porque o preo de cartrio tabelado por uma lei estadual 11.333/01).

  • Art. 1639 C.C.

    Art. 1.639. lcito aos nubentes, antes de celebrado o casamento, estipular, quanto aos seus bens, o que lhes aprouver.

    1o O regime de bens entre os cnjuges comea a vigorar desde a data do casamento.

  • Autonomia da Vontade dos Nubentes

    Artigo 1640,

    Pargrafo nico: Podero os nubentes, no processo de habilitao, optar por qualquer dos regimes que este cdigo regula.

    Quanto forma, reduzir-se- a termo aopo pela comunho parcial, fazendo-se opacto antenupcial por escritura pblica, nasdemais escolhas

  • Habilitao do Casamento

    Tendo o casal optado por um dos regimes no qual se faznecessrio o pacto e tendo o casal j formalizado a escriturapblica no tabelionato, deve se encaminhar para o cartrio deregistro civil da residncia de um dos nubentes para a devidahabilitao de casamento.

    Prazo mximo: 3 meses antes da data pretendida de celebrao.Prazo mnimo: um ms.

    Valor em SP: R$359,10 na sede e R$1.197,10 em diligncia.Edital R$35,00 na capital.

    Gratuita a habilitao para os declaradamente pobres.

  • Eficcia do Pacto

    O casal, at o momento da celebrao, poder mudar de ideia quanto ao regime de bens, mesmo que j tenha feito um pacto antenupcial.

    O Pacto ineficaz at a celebrao do casamento.

    Aps o registro do casamento, deve o casal (agora cnjuges) levar o pacto antenupcial para registro no Livro 3 do Oficial de Registro Imobilirio do local de seu primeiro domiclio. Lei 6015/73 (LRP)

    Alm disso, o pacto (e o casamento) dever ser averbado em cada matrcula de imvel de propriedade dos cnjuges (casal ou de cada um deles).

  • Regime Comum Comunho Parcial

    Art. 1.640. No havendo conveno, ou sendo ela nulaou ineficaz, vigorar, quanto aos bens entre oscnjuges, o regime da comunho parcial.

    At a Lei do Divrcio, o regime comum era o dacomunho universal (lei 6515/77) marido era ocabea do casal, a mulher era frgil e incapaz, etc

    Desnecessidade de Pacto antenupcial, mas noimpossibilidade.

  • Comunho Parcial

    A partir da unio estvel/casamento, o que for adquirido onerosamente, passar a pertencer aos dois companheiros (excluem-se doaes recebidas e heranas, p.ex.)

    Patrimniode A

    PatrimnioCOMUM

    Patrimnio de B

  • Art. 1.658. No regime de comunho parcial, comunicam-se osbens que sobrevierem ao casal, na constncia do casamento, comas excees dos artigos seguintes.Art. 1.659. Excluem-se da comunho:I - os bens que cada cnjuge possuir ao casar, e os que lhesobrevierem, na constncia do casamento, por doao ousucesso, e os sub-rogados em seu lugar;II - os bens adquiridos com valores exclusivamente pertencentes aum dos cnjuges em sub-rogao dos bens particulares;III - as obrigaes anteriores ao casamento;IV - as obrigaes provenientes de atos ilcitos, salvo reverso emproveito do casal;V - os bens de uso pessoal, os livros e instrumentos de profisso;VI - os proventos do trabalho pessoal de cada cnjuge;VII - as penses, meios-soldos, montepios e outras rendassemelhantes.

  • Art. 1.660. Entram na comunho:

    I - os bens adquiridos na constncia do casamento por ttulooneroso, ainda que s em nome de um dos cnjuges;II - os bens adquiridos por fato eventual, com ou sem o concursode trabalho ou despesa anterior;III - os bens adquiridos por doao, herana ou legado, em favor deambos os cnjuges;IV - as benfeitorias em bens particulares de cada cnjuge;V - os frutos dos bens comuns, ou dos particulares de cadacnjuge, percebidos na constncia do casamento, ou pendentes aotempo de cessar a comunho.

    Art. 1.661. So incomunicveis os bens cuja aquisio tiver porttulo uma causa anterior ao casamento.

  • Art. 1.662. No regime da comunho parcial, presumem-seadquiridos na constncia do casamento os bens mveis, quandono se provar que o foram em data anterior.

    Art. 1.663. A administrao do patrimnio comum compete aqualquer dos cnjuges. 1o As dvidas contradas no exerccio da administraoobrigam os bens comuns e particulares do cnjuge que osadministra, e os do outro na razo do proveito que houverauferido. 2o A anuncia de ambos os cnjuges necessria para osatos, a ttulo gratuito, que impliquem cesso do uso ou gozodos bens comuns.

  • - Haver necessidade de outorga uxoria ou autorizao maritalna alienao dos bens imveis comuns e/ou particulares. Issopor fora do artigo seguinte:

    Art. 1.647. Ressalvado o disposto no art. 1.648, nenhum doscnjuges pode, sem autorizao do outro, exceto no regime daseparao absoluta:

    I - alienar ou gravar de nus real os bens imveis;II - pleitear, como autor ou ru, acerca desses bens ou direitos;III - prestar fiana ou aval;IV - fazer doao, no sendo remuneratria, de bens comuns, ou

    dos que possam integrar futura meao.

  • Art. 1.665. A administrao e a disposio dos bensconstitutivos do patrimnio particular competem aocnjuge proprietrio, salvo conveno diversa em pactoantenupcial.

    Art. 1.666. As dvidas, contradas por qualquer doscnjuges na administrao de seus bens particulares eem benefcio destes, no obrigam os bens comuns.

    H que se falar em reflexos patrimoniais em caso de divrcio e em caso de morte.

  • Reflexos na extino do Regime da Comunho Parcial Bens em vida - Divrcio

    Diviso entre os cnjuges, na proporo de 50% paracada um, dos bens adquiridos onerosamente duranteo casamento: pagamento da meao. Transaespossveis. Excesso de meao: pagamento de ITBI (seb