monografia. sammuel neri

  • View
    250

  • Download
    3

Embed Size (px)

Text of monografia. sammuel neri

FACULDADE PROJEO SAMMUEL WAYNESON NERI DE ARAJO

TRIBUNAL DO JRI: DEMOCRACIA OU ENCENAO?

BRASLIA/DF 2011

2

SAMMUEL WAYNESON NERI DE ARAJO TRIBUNAL DO JRI: DEMOCRACIA OU ENCENAO?

Trabalho de concluso de curso apresentado perante Banca Examinadora do curso de Direito da Escola de Cincias Jurdicas e Sociais da Faculdade Projeo como prrequisito para a aprovao na disciplina TCC II e para a obteno do grau de bacharel em Direito. rea de concentrao: Direito Penal Orientador: Professor Vitor Teixeira Bittencourt

BRASLIA/DF

3

2011 SAMMUEL WAYNESON NERI DE ARAJO

TRIBUNAL DO JRI: DEMOCRACIA OU ENCENAO?

DATA DE APROVAO:

Professor Msc. Vitor Teixeira Bittencourt Orientador

Professor Joo Pavanelli Neto Primeiro Examinador

Professora. Fabiana Deflon dos Santos Segundo Examinador

4

Dedico este trabalho aos meus pais, que me apoiaram e incentivaram constantemente para que o sonho tornasse realidade, vocs construram os alicerces para que fosse possvel essa realizao.

5

Agradeo a Deus em primeiro por me iluminar a cada passo de minha jornada, aos meus pais, namorada e amigos pelos incentivos. Agradeo tambm ao meu orientador pela pacincia e pela dedicao.

6

No h melhor maneira de exercitar a imaginao do que estudar direito. Nenhum poeta jamais interpretou a natureza com tanta liberdade quanto um jurista interpreta a verdade. Jean Giraudox RESUMO

7

NERI DE ARAJO, SAMMUEL WAYNESON, O tribunal do Jri: Democracia ou Encenao? - Trabalho de concluso de curso. Graduao Faculdade Projeo 2011. O Tribunal do Jri, a sua essncia, procedimentos e aspectos do julgamento. O presente trabalho constitui na anlise detalhada da evoluo histrica do instituto do Jri. Demonstrando a necessidade da mudana, buscando a realizao da justia. O principal objetivo a modernizao do Tribunal do Jri no ordenamento jurdico, tornando mais clere, simples e gil. Constitui nas anlises das alteraes feitas pela Lei 11.689/2008. Sero feitas consideraes sobre os Princpios Constitucionais, sendo eles a plenitude de defesa, sigilo das votaes, soberania e veredictos e competncia para o julgamento dos crimes dolos contra a vida, bem como direito comparado, o modelo de vrios pases e suas eficcias. A finalidade do trabalho a conscientizao, em que o Tribunal do Jri sendo apenas uma pea teatral, uma encenao, e ainda a influencia miditica nas decises, onde os jurados sem leigos aderem a melhor encenao, ou ao apelo da mdia sobre decises, tendo o ru antes mesmo de ter a sua sentena proferida, um pr-julgamento da sociedade. principais criticas em relao ao instituto.

Palavras-chave: Tribunal do Jri, princpios constitucionais, direito comparado, reforma do instituto, influncia da mdia, encenao.

ABSTRACT

8

The jury, in essence, procedures and aspects of the trial. This work is in the detailed analysis of the historical evolution of the institute of the jury. Demonstrating the need for change, seeking the realization of justice. The main objective is the modernization of the grand jury in the legal system, making it quick, simple and fast. It is the analysis of the changes made by Law 11.689/2008. Considerations will be made on the Constitutional Principles, and they were full defense, secrecy of votes, verdicts and sovereignty and jurisdiction to adjudicate intentional crimes against life, as well as comparative law, the model for many countries and their purpose eficcias.A work is the realization, that the jury was only a play, a play, and yet the media in influencing decisions, where no lay jurors, adhere the best scenario, or call the media on decisions, having defendant before it has rendered its verdict, a pre-trial society. Main criticism of the institute.

Keywords: grand jury, constitutional principles, comparative law, reform of the institute, media influence, staging.

SUMRIO INTRODUO.................................................................................................................10 CAPTULO 01 - ASPECTOS HISTORICOS DO TRIBUNAL DO JURI..........................12

9

1.1 - ORGANIZAO DO TRIBUNAL DO JRI ......................................................15 1.1.1 - PROCESSO..........................................................................................15 1.1.2 PARTES ENVOLVIDAS.......................................................................16 1.1.3 JUIZ PRESIDENTE...............................................................................16 1.1.4 - MINISTRIO PBLICO.........................................................................17 1.1.5 - ASSISTENTE DE ACUSAO.............................................................19 1.1.6 - DEFESA................................................................................................19 1.1.7 - SERVIDORES DE JUSTIA.................................................................20 1.1.8- JURADOS..............................................................................................20 1.2 DEBATES.........................................................................................................23 1.3 QUESISTOS.....................................................................................................24 1.4 VOTAO........................................................................................................25 1.5 - SENTENA.......................................................................................................25 CAPTULO 02 PRINCIPOS CONSTITUCIONAIS REGENTES DO TRIBUNAL DO JRI.................................................................................................................................28 CAPITULO 03 - DIREITO COMPARADO.......................................................................33 CAPITULO 04- PRINCIPAIS ALTERAES INTRODUZIDAS NO TRIBUNAL DO JRI COM A LEI 11. 689/2008.................................................................................................36 4.1 FASE DE INSTRUO.......................................................................................36 4.2 JURADOS...........................................................................................................38 4.3 PREPARO DO PROCESSO...............................................................................40 4.4 SESSAO DE JULGAMENTO..............................................................................41 4.5 QUESTIONRIO.................................................................................................39 CAPTULO 05 - A INFLUNCIA DA MDIA...................................................................42 CAPITULO 06 TRIBUNAL DO JRI: ENCENAO...................................................46 CAPTULO 07 ASPECTOS CRITICOS AO INSTITUTO E A NECESSIDADE DA MUDANA.......................................................................................................................49 7.1 OS DEFENSORES DA EXCLUSO DO JRI...................................................50 7.2 OS DEFENSORES DA EFICCIA E MANUTENO DO JRI........................52 7.3 CASOS DE REPERCUSO................................................................................53 CONCLUSAO..................................................................................................................54 REFERENCIAS...............................................................................................................56

10

INTRODUO

A presente monografia tem como tema central o Tribunal do Jri: encenao ou democracia, uma anlise sobre a influncia nos julgamentos, a eficcia do jri, expondo seus defeitos atravs de pensamentos dos juristas, e ate onde o sensacionalismo e a informao ultrapassam os limites dos Direitos Individuais. A pesquisa visa abordar, os aspectos da doutrina a respeito do Tribunal do Jri, suas opinies e seus fundamentos a respeito, para que, somente ao final da exposio dos argumentos, sejam feitas anlise da maneira como os doutrinadores brasileiros tm apreciado a mudana e a efetiva aplicao do novo Tribunal do Jri. . Depois de observar todos os detalhes do tema, pode-se visualizar a forma como as crticas so inevitveis. A presente pesquisa aborda os aspectos histricos da instituio Tribunal do Jri seu surgimento que bem confuso e de onde se acredita ter surgido o Jri Considerando a organizao do tribunal do jri, sua composio,e a cada parte envolvida delimitando para cada uma suas funes, desde o processo quesitos, votao at a sentena. Considerando os princpios norteadores da Constituio Federal de 1988, que dispe no seu Art.. 5, inciso XXVII, sejam eles plenitude de defesa, o sigilos das votaes, a soberania dos veredictos, bem como a competncia para o julgamento dos crimes dolosos conta a vida. O estudo detalhado das principais alteraes introduzidas no Tribunal do Jri, com a Lei 11.689/2008 A presente pesquisa tem como finalidade o estudo do Tribunal do Jri e sua eficcia democrtica, em torno da interferncia da forma teatral e da influncia da imprensa nos julgamentos, respeitando os Princpios Constitucionais e do Processo Penal, onde o sensacionalismo e o poder da mdia trazem a dvida ser os jurados so influenciados, com o seu forte poder de convencimento, diante de suas matrias fortes sobre casos, em que se deveria respeitar o princpios norteadores da Constituio Federal, no somente aos jurados leigos, mas at mesmo a Juzes. O jri seria uma debates,

11

arma da democracia, que se conceitua da emana da vontade do povo, se tornando uma viso miditica e teatral, O tema de importante pesquisa proposta neste estudo foi falta de respeito com o individuo julgado, onde era pra se ter dignidade, ampla defesa, se tornando uma total concluso das matrias miditicas em relao a casos concretos, ou seja, o tribunal do jri no mais sendo como democracia. Sua observncia em fatos ocorridos em que sen