Patologia e clínica de animais exóticos e autóctones ?· Ziehl-Neelsen. 100x. 68 Figura 18 – Pulmão.…

  • View
    216

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

  • UUNNIIVVEERRSSIIDDAADDEE DDEE VVOORRAA

    ESCOLA DE CINCIAS E TECNOLOGIA

    DEPARTAMENTO DE MEDICINA VETERINRIA

    Patologia e clnica de animais exticos e autctones

    Ins Farias Mateus

    Orientador:

    Prof. Doutora Joana Margarida Ferreira da Costa Reis

    Coorientador:

    Mestre Vanessa Soeiro

    Mestrado Integrado em Medicina Veterinria

    Relatrio de estgio

    vora 2014

    Este relatrio de estgio inclui as crticas e as sugestes feitas pelo jri.

  • Patologia e clnica de animais exticos e autctones

    Ins Farias Mateus

    Orientador:

    Prof. Doutora Joana Margarida Ferreira da Costa Reis

    Coorientador:

    Mestre Vanessa Soeiro

    Mestrado Integrado em Medicina Veterinria

    Relatrio de estgio

    Este relatrio de estgio inclui as crticas e as sugestes feitas pelo jri.

  • Patologia e clnica de animais exticos e autctones

    iii

    AGRADECIMENTOS

    Em primeiro lugar gostaria de agradecer minha famlia pelo apoio contnuo e

    persistente, especialmente minha me pela pacincia e incentivo que tornaram

    possvel a concluso deste relatrio.

    Em segundo lugar gostaria de agradecer minha orientadora Professora Doutora

    Joana Reis e minha coorientadora Mestre Vanessa Soeiro pela oportunidade de

    trabalhar um tema to enriquecedor, o qual contribuiu para o amadurecimento dos meus

    conhecimentos, assim como pela competncia cientfica e acompanhamento do trabalho

    prtico, pelas crticas, correes e sugestes relevantes.

    Um especial agradecimento Engenheira Mestre Lusa Fialho pela sua

    colaborao e dedicao na rea de histologia, sem as quais no teria sido possvel

    concretizar este trabalho. Agradeo Professora Doutora Sandra Branco pela

    oportunidade, pela disponibilidade manifestada e pela partilha de conhecimentos na rea

    de Patologia e instituio Universidade de vora.

    A minha gratido Dr. Sara Loo e Dr. Vanessa Soeiro pela partilha de

    conhecimentos e experincias, pelo apoio e boa disposio, pela disponibilidade sempre

    manifestada e pela amizade, ao longo do meu estgio.

    Por fim, agradeo a toda a equipa do centro de recuperao de animais selvagens

    do Parque Biolgico de Gaia pela hospitalidade, pela partilha de experincias e pela

    oportunidade de testemunhar o trabalho de equipa.

  • Patologia e clnica de animais exticos e autctones

    iv

    RESUMO

    O trabalho apresentado resulta do estgio decorrido de novembro de 2011 a

    maro de 2012 no Parque Biolgico de Gaia.

    Ao longo dos anos, desde o incio do comrcio intensivo de tartarugas exticas

    observou-se a libertao clandestina de muitos destes animais de estimao. A ausncia

    de estudos sobre o estado sanitrio destas tartarugas no nosso pas e o impacto que a sua

    libertao provoca na fauna e flora portuguesas, serviu como motivao para o presente

    estudo, que incidiu sobre a populao de tartarugas exticas ingressadas no Parque

    Biolgico de Gaia.

    Para melhor conhecer o estado sanitrio foram realizados necrpsias e exames

    histopatolgicos. Verificou-se que o fgado apresentava alteraes em 69% dos

    cadveres examinados. Do ponto vista microscpico, o fgado (74%), o rim (74%) e a

    bexiga (67%) foram os rgos mais frequentemente alterados. As afees mais

    frequentes foram a lipidose heptica (74%), a septicmia (48%) e a doena ulcerativa

    cutnea septicmica (41%).

    Palavras-chave: Tartarugas exticas; Tartarugas autctones; Necrpsias;

    Histopatologia

  • Patologia e clnica de animais exticos e autctones

    v

    ABSTRACT

    Pathology and clinical of exotic and autochthonous animals

    The activity developed in the period from November 2011 to March 2012 at

    Gaia Biological Park resulted on the present work.

    Since the beginning of the trade of exotic turtles, it has been observed the

    clandestine release of many of these pets. The absence of studies on the health status of

    these exotic turtles and on the impact of their release on the ecosystems motivated this

    study. It is focused primarily on necropsies and histopathological examinations of

    exotic turtles captured from the wild or left in Gaia Biological Park. On necropsy, the

    liver showed a higher percentage of macroscopic changes (69%). The liver (74%),

    kidney (74%) and bladder (67%) were the most frequently affected by microscopic

    changes. In this study the most frequent disorders observed were hepatic lipidosis

    (74%), septicaemia (48%) and septicemic cutaneous ulcerative disease (41%).

    Keywords: Exotic turtles; Native turtles; Necropsies; Histopathology

  • Patologia e clnica de animais exticos e autctones

    vi

    NDICE

    Agradecimentos iii

    Resumo iv

    Abstract v

    ndice vi

    ndice de figuras vii

    ndice de grficos viii

    ndice de tabelas ix

    Lista de abreviaturas x

    1. Introduo 1

    2. Rpteis 6

    2.1. Quelnios 7

    2.2. Anatomia, fisiologia e histologia dos quelnios 7

    2.2.1. Termorregulao 7

    2.2.2. Sistema msculosqueltico 8

    2.2.3. Sistema tegumentar 9

    2.2.4. Cavidades corporais 10

    2.2.5 Sistema respiratrio 10

    2.2.6. Sistema digestivo 14

    2.2.7. Sistema urinrio 19

    2.2.8. Sistema cardiovascular 24

    2.2.9. Sistema linfoide e hematopoitico 26

    2.2.10. Sistema reprodutor 27

    3. Espcies autctones 31

    4. Espcies exticas presentes na fauna portuguesa 35

    5. Materiais e mtodos 42

    6. Resultados e discusso 49

    7. Concluso 105

    Bibliografia 107

  • Patologia e clnica de animais exticos e autctones

    vii

    NDICE DE FIGURAS

    Figura 1 Ficha de necrpsia criada e utilizada neste estudo. 46

    Figura 2 lceras na carapaa, plastro e na pele numa tartaruga da Flrida. 55

    Figura 3 Descolorao da carapaa e osso drmico exposto numa tartaruga da Flrida. 56

    Figura 4 Imagem esquerda e central - Deformao da carapaa de uma tartaruga da Flrida

    (Trachemys scripta). Imagem direita Deformao do plastro de uma tartaruga corcunda do Mississpi

    (Graptemys pseudogeographica). 56

    Figura 5 Abcesso caseoso subcutneo num cgado mediterrneo. 58

    Figura 6 Abcesso slido no interior do plastro (imagem esquerda) numa tartaruga da Flrida

    (Trachemys scripta) e abcesso no membro anterior esquerdo (imagem direita) numa tartaruga corcunda

    do Mississpi (Graptemys pseudogeographica).