Concurso Bíblico - Doutrinas

  • View
    12

  • Download
    3

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Perguntas bíblicas

Text of Concurso Bíblico - Doutrinas

  • Concurso BblicoDoutrinas da Igreja

  • 01. Quem escreveu as Escrituras Sagradas?Deus, com seu infinito poder Jesus, quando veio terra Homens, por intermdio do Esprito SantoJoo, notificado por um anjo

  • As Escrituras SagradasAs Escrituras Sagradas, o Antigo e Novo Testamento, so a Palavra de Deus escrita, dada por inspirao divina por intermdio de santos homens de Deus que falaram e escreveram ao serem movidos pelo Esprito Santo. Nesta Palavra, Deus transmitiu ao homem o conhecimento necessrio para salvao. As Escrituras Santas so a infalvel revelao de Sua vontade. Constituem o padro de carter, o prova de experincia, o autorizado revelador de doutrinas e o registro fidedigno dos atos de Deus em Histria.

  • 02. Quantos Deuses existem na Trindade? 0123

  • A Trindade H um s Deus: Pai, Filho, e Esprito Santo, uma unidade de trs Pessoas coeternas. Deus imortal, onipotente, onisciente, acima de tudo e sempre presente. Ele infinito e alm da compreenso humana, mas conhecido por meio de Sua auto-revelao. Para sempre digno de culto, adorao, e servio por parte de toda criao.

  • 03. Deus, o Eterno Pai, o Criador e Soberano de toda criao. O que Ele criou no quarto dia? O firmamento e a separao das guasLuminares na expanso dos cus rvores frutferasGrandes animais marinhos

  • Deus PaiDeus, o Eterno Pai, o Criador, o Originador, o Mantenedor e o Soberano de toda a criao. Ele justo e santo, compassivo e clemente, tardio em irar-se, e grande em constante amor e fidelidade. As qualidades e poderes manifestos no Filho e o Esprito Santo tambm constituem revelaes do Pai.

  • 04. Deus, o Filho Eterno, encarnou-se em Jesus. Atravs de quem, Ele foi concebido? MariaO Esprito Santo Jos Ele foi auto-concebido

  • Deus FilhoDeus, o Filho Eterno, encarnou-Se em Jesus Cristo. Por meio dEle foram criadas todas as coisas, revelado o carter de Deus, efetuada a salvao da humanidade e julgado o mundo. Sendo paara sempre verdadeiramente Deus, Ele se tornou tambm verdadeiramente homem, Jesus, o Cristo. Ele foi concebido do Esprito Santo e nasceu da virgem a Maria. Viveu, e experimentou a tentao como um ser humano, mas exemplificou perfeitamente a justia e o amor de Deus. Por Seus milagres manifestou o poder de Deus e atestou que era o Messias prometido por Deus. Sofreu e morreu voluntariamente na cruz por nossos pecados e em nosso lugar, foi ressuscitado dentre os mortos e ascendeu para ministrar no santurio celestial em nosso favor. Vir outra vez, em glria, para o livramento final de Seu povo e a restaurao de todas as coisas.

  • 05. Que parte ativa foi desempenhada por Deus, o Esprito Santo com o Pai e o Filho na criao? Salvao e PerdoEncarnao e SalvaoRedeno e SalvaoEncarnao e Redeno

  • Deus Esprito SantoDeus, o Esprito Santo, desempenhou uma parte ativa com o Pai e o Filho na Criao, Encarnao e Redeno. Inspirou os escritores das Escrituras. Encheu de poder a vida de Cristo. Atrai e convence os seres humanos; e os que se mostram sensveis so renovados e trasnformados por Ele, imagem de Deus. Enviado pelo Pai e pelo Filho para estar sempre estar com Seus filhos, Ele concede dons espirituais igreja, habilita a dar testemunho de Cristo e, em harmonia com as Escrituras, guia-a em toda a verdade.

  • 06. Onde Deus revelou a autenticidade da sua atividade criadora?Nos Dez MandamentosNo Jardim do denNas EscriturasNa Morte na Cruz

  • A CriaoDeus o Criador de todas as coisas, e revelou nas Escrituras o relato autntico da Sua atividade criadora."Em seis dias fez o Senhor os Cu e a Terra" e tudo que tem vida sobre a Terra, e descansou no stimo dia dessa primeira semana. Assim Ele estabeleceu o sbado como perptuo monumento comemorativo de Sua esmerada obra criadora. O primeiro homem e mulher foram formados imagem de Deus como obra-prima da Criao, foi-lhes dado domnio sobre o mundo e atribuiu-lhes a responsabilidade de cuidar dele. Quando o mundo foi concludo, ele era "muito bom", proclamando a glria de Deus.

  • 07. Em sua natureza, o homem nasce com que tendncia?Tendncia para o amor Tendncia para o bemTendncia para o malTendncia para individualidade

  • A Natureza do HomemO homem e a mulher foram formados imagem de Deus com individualidade, o poder e a liberdade de pensar e agir. Conquanto tenham sido criados como seres livres, cada um uma unidade indivisvel de corpo, mente e alma, e dependente de Deus quanto vida, respirao e tudo o mais. Quando os nossos primeiros pais desobedeceram a Deus, eles negaram sua dependncia dEle e caram de sua elevada posio abaixo de Deus. A imagem de Deus, neles, foi desfigurada, e tornaram-se sujeitos morte. Seus descendentes partilharam dessa natureza cada e de suas conseqncias. Eles nascem com fraquezas e tendncias para o mal. Mas Deus, em Cristo, reconciliou consigo o mundo e por meio de Seu Esprito restaura nos mortais penitentes a imagem de seu Criador. Criados para a glria de Deus, eles so chamados para am-Lo e uns aos outros, e para cuidar de seu ambiente.

  • 08. Quem est envolvido num grande conflito entre Cristo e Satans? Os anjos Os judeusA igreja A humanidade

  • O Grande ConflitoToda a humanidade est agora envolvida num grande conflito entre Cristo e Satans, quanto ao carter de Deus, Sua lei e Sua soberania sobre o Universo. Este conflito originou-se no Cu quando um ser criado, dotado de liberdade de escolha, por exaltao prpria tornou-se Satans, o adversrio de Deus, e conduziu rebelio uma parte dos anjos. Ele introduziu o esprito de rebelio neste mundo, ao induzir Ado e Eva em pecado. Este pecado humano resultou na deformao da imagem de Deus na humanidade, no transtorno do mundo criado e em sua conseqente devastao por ocasio do dilvio mundial. Observado por toda a criao, este mundo tornou-se palco do conflito universal, dentro do qual ser finalmente vindicado o Deus de amor. Para ajudar Seu povo nesse conflito, Cristo envia o Esprito Santo e os anjos leais, para os guiar, proteger e amparar no caminho da salvao.

  • 09. O que a Morte de Cristo?Vitria de Deus sobre as foras do mal Reconciliao e transformaoComeo de uma nova vidaTransformao e renovao

  • Vida, Morte e Ressurreio de Cristo Na vida de Cristo, de perfeita obedincia vontade de Deus, e em Seu sofrimento, morte e ressurreio, Deus proveu o nico meio de expiao do pecado humano, de modo que os que aceitam esta expiao pela f possam ter vida eterna, e toda a criao compreenda melhor o infinito e santo amor do Criador. Esta expiao perfeita vindica a justia da lei de Deus e a benignidade de Seu carter; pois ela no somente condena o nosso pecado, mas tambm garante o nosso perdo. A morte de Cristo substituinte e expiatria, reconciliadora e transformadora. A ressurreio de Cristo proclama a vitria de Deus sobre as foras do mal, e assegura a vitria final sobre o pecado e a morte para os que aceitam a expiao. Ela proclama a soberania de Jesus Cristo, diante do qual se dobrar todo joelho, no Cu e na Terra.

  • 10. Por meio de quem somos santificados?Do EspritoDe Jesus De DeusDos Anjos

  • A Experincia da Salvao Em infinito amor e misericrdia, Deus fez com que Cristo, que no conheceu pecado, Se tornasse pecado por ns, para que nEle fssemos feitos justia de Deus. Guiados pelo Esprito Santo, sentimos nossa necessidade, reconheamos nossa pecaminosidade, arrependemo-nos de nossas transgresses e temos f em Jesus como Senhor e Cristo, como Substituto e Exemplo. Esta f que aceita a salvao advm do divino poder da Palavra e o dom da graa de Deus. Por meio de Cristo somos justificados, adotados como filhos e filhas de Deus e libertados do domnio do pecado. Por meio do Esprito, nascemos de novo e somos santificados; o Esprito renova nossa mente, escreve a lei de Deus, a lei de amor, em nosso corao, e recebemos o poder para levar uma vida santa. Permanecendo nEle, tornamo-nos participantes da natureza divina e temos a certeza de salvao agora e no Juzo.

  • 11. Em que data foi aprovada a nova crena fundamental Crescendo em Cristo? 04 de junho de 2005 04 de julho de 2005 14 de junho de 2005 14 de julho de 2005

  • Crescimento em CristoNova crena fundamental aprovada em 04 de julho de 2005, na 58 Assemblia da Associao Geral dos Adventistas do Stimo Dia Pela sua morte na cruz Jesus triunfou sobre as foras do mal. Ele subjugou os espritos de demnios durante o Seu ministrio terrestre e quebrou o seu poder e tornou certo o seu destino final. A vitria de Jesus d-nos vitria sobre as foras do mal que continuam procurando controlar-nos, enquanto ns caminhamos com Ele em paz, alegria, e a garantia do Seu amor. Agora o Esprito Santo mora conosco e nos d poder. Continuamente comprometidos com Jesus como nosso Salvador e Senhor, somos livres do fardo dos nossos feitos passados.

  • 12. O que a igreja? Comunidade de fTemplo e morada do Esprito Santo Altar para sacrifcios e holocaustos Lugar nico para orao

  • A IgrejaA Igreja a comunidade de crentes que confessam a Jesus Cristo com Senhor e Salvador. Em continuidade do povo de Deus nos tempos do Velho Testamento, somos chamados para fora deste mundo; e nos unimos para prestar culto para comunho, para instruo na Palavra, para a celebrao da Ceia do Senhor, para servio a toda humanidade e para a proclamao mundial do evangelho. A igreja recebe sua autoridade de Cristo, o qual a Palavra encarnada, e das Escrituras, que so a Palavras escrita. A Igreja a famlia de Deus; adotados por Ele como filhos, seus membros vivem com base no novo concerto. A Igreja o corpo de Cristo, uma comunidade de f, da qual o prprio Cristo a Cabea. A Igreja a Noiva pela qual Cristo morreu para que pudesse santific-la e purific-la. Em Sua volta triunfal, Ele a apresentar a Si mesmo Igreja gloriosa, os fiis de todos os sculos, a aquisio de Seu sangue, sem mcula, nem ruga, porm santa, sem defeito.

  • 13. Qual a misso do remanescente?Proclamar a apostasia Dar incio ao Segundo Advento Guardar os mandamentos de Deus Reunir os trs anjos do Apocalipse

  • O Remanescente e Sua MissoA Igreja universal se compe de todos os que verdadeiramente crem em Cristo; mas, nos ltimos dias, um tempo de ampla apostasia, um remanescente tem sido chamado para fora a fim de guardar os mandamentos de Deus e a f em Jesus. Este remanescente anuncia a chegada da hora do Juzo, proclama a salvao por meio de Cristo e prediz a aproximao de Seu segundo advento. Esta proclamao simbolizada pelos trs anjos do Apocalipse 14; coincide com a obra do julgamento no Cu e resulta numa obra de arrependimento e reforma na Terra. Todo crente convidado a ter uma parte pessoal neste testemunho mundial.

  • 14. Mediante a que, partilhamos a mesma f? As obras de Jesus CristoA revelao de Jesus Cristo nas EscriturasA presena do Esprito SantoO poder de Deus

  • Unidade no Corpo de CristoA Igreja um corpo com muitos membros, chamados de nao, tribo, lngua e povo. Em Cristo somos uma nova criao; distines de raa, cultura e nacionalidade, e diferenas entre altos e baixos, ricos e pobres, homens e mulheres, no deve ser motivo de dissenes entre ns. Todos somos iguais em Cristo, o qual por um s Esprito nos uniu numa comunho com Ele e uns com os outros; devemos servir e ser servidos sem parcialidade ou restrio. Mediante a revelao de Jesus Cristo nas Escrituras partilhamos a mesma f e esperana e estendemos um s testemunho para todos. Esta unidade encontra sua fonte na unidade do Deus trino, que nos adotou como Seus filhos.

  • 15. O que representa o batismo? Vida sem pecadoAtestar o pecado Vida em abundncia Remisso dos pecados

  • O BatismoPelo batismo confessamos nossa f na morte e ressurreio de Jesus Cristo, e atestamos nossa morte para o pecado e nosso propsito de andar em novidade de vida. Assim reconhecemos a Cristo como Senhor e Salvador, tornamo-nos Seu povo e somos aceitos como membros por Sua Igreja. O batismo um smbolo de nossa unio com Cristo, do perdo de nossos pecados e de nosso recebimento do Esprito Santo. por imerso na gua e depende de uma afirmao da f em Jesus e da evidncia de arrependimento do pecado. Segue-se instruo na Escrituras Sagradas e aceitao de seus ensinos.

  • 16. O que representa a cerimnia do lava-ps, instituda pelo Mestre na Ceia do Senhor? Renovada purificao Purificao dos pecadosExpiao dos pecadosPecados perdoados

  • A Ceia do SenhorA Ceia do Senhor uma participao nos emblemas do corpo e do sangue de Jesus, como expresso de f nEle, nosso Salvador e Senhor. Nessa experincia de comunho, Cristo est presente para encontrar-Se com Seu povo e fortalec-lo. Participando da Ceia, proclamamos alegremente a morte do nosso Senhor at que Ele volte. A preparao envolve o exame de conscincia, o arrependimento e a confisso. O Mestre instituiu a cerimnia do lava-ps para representar renovada purificao, para expressar a disposio de servir um ao outro em humildade semelhante de Cristo e para unir nossos coraes em amor. O Servio da Comunho franqueado a todos os crentes cristos.

  • 17. O que acontece com a igreja quando os membros utilizam os dons espirituais? protegida contra demnios reconhecida como a igreja da graa protegida contra a influncia de falsas doutrinas reconhecida como obra divina

  • Dons e Ministrios Espirituais De acordo com as Escrituras, esses dons abrangem tais ministrios como a f, a cura, profecia, proclamao, ensino, administrao, reconciliao, compaixo, e servio abnegado e caridade para ajuda e animao das pessoas. Alguns membros so chamados por Deus e dotados pela Esprito para funes reconhecidas pela Igreja em ministrios pastorais, evangelsticos, apostlicos e de ensino especialmente necessrios para habilitar os membros para o servio, edificar a Igreja com vistas maturidade espiritual e promover a unidade da f e do conhecimento de Deus. Quando os membros utilizam esses dons espirituais como fiis despenseiros da multiforme graa de Deus, a Igreja protegida contra a influncia demolidora de falsas doutrinas, tem um crescimento que provm de Deus e edificada na f e no amor.

  • 18. Qual desses um dom do Esprito Santo ? BondadeProfeciaLonganimidade Mansido

  • O Dom de ProfeciaUm dos dons do Esprito Santo a profecia. Este dom uma caracterstica da Igreja remanescente e foi manifestado no ministrio de Ellen G. White. Como a mensageira do Senhor, seus escritos so uma contnua e autorizada fonte de verdade e proporcionam conforto, orientao, instruo e correo Igreja. Eles tambm tornam claro que a Bblia a norma pela qual deve ser provado todo o ensino e experincia.

  • 19. Onde so incorporados os grandes princpios da lei de Deus? No Jardim do denNa CrucificaoNos Dez Mandamentos No Batismo

  • A Lei de DeusOs grandes princpios da lei de Deus so incorporados nos Dez Mandamentos e exemplificados na vida de Cristo. Expressam o amor, a vontade e os propsitos de Deus acerca da conduta e das relaes humanas, e so obrigatrias a todas as pessoas, em todas as pocas. Estes preceitos constituem a base do concerto de Deus com Seu povo e a norma no julgamento de Deus. Por meio da atuao do Esprito Santo, eles apontam para o pecado e despertam o senso da necessidade de um Salvador. A Salvao inteiramente pela graa, e no pelas obras, mas seu fruto a obedincia aos mandamentos. Essa obedincia desenvolve o carter cristo e resulta numa sensao de bem-estar. uma evidncia de nosso amor ao Senhor e de nossa solicitude por nossos semelhantes. A obedincia da f demonstra o poder de Cristo para transformar vidas, e fortalece, portanto, o testemunho cristo.

  • 20. Como ficou estabelecido o sbado pelo Senhor? Memorial da CriaoMemorial da RedenoMemorial da AdoraoMemorial da Santificao

  • O SbadoO bondoso Criador, aps os seis dias da Criao, descansou no stimo dia e instituiu o sbado para todas as pessoas, como memorial da Criao. O quarto mandamento da lei de Deus requer a observncia deste sbado do stimo dia como dia de descanso, adorao e ministrio, em harmonia com o ensino e a prtica de Jesus, o Senhor do sbado. O sbado um dia de deleitosa comunho com Deus e uns com os outros. um smbolo de nossa redeno em Cristo, um sinal de nossa santificao, uma prova de nossa lealdade e um antegozo de nosso futuro eterno no reino de Deus. O sbado um sinal perptuo do eterno concerto de Deus com Seu povo. A prazerosa observncia deste tempo sagrado duma tarde a outra tarde, do por-do-sol ao por-do-sol, uma celebrao dos atos criadores e redentores de Deus.

  • 21. O que devemos fazer com os dzimos e ofertas?EntregarDevolverEntregar e DevolverDevolver e Entregar

  • MordomiaSomos despenseiros de Deus, responsveis a Ele pelo uso apropriado do tempo e das oportunidades, posses, e das bnos da Terra e seus recursos, que Ele colocou sob o nosso cuidado. Reconhecemos o direito de propriedade da parte de Deus por meio do fiel servio a Ele e a nossos semelhantes, e devolvendo os dzimos e dando ofertas para a proclamao de Seu evangelho e para a manuteno e o crescimento de Sua Igreja. A mordomia um privilgio que Deus nos concede para o desenvolvimento no amor e para a vitria sobre o egosmo e a cobia. O mordomo se regozija nas bnos que advm aos outros como resultado de sua fidelidade.

  • 22. A Igreja chamada para ser um povo piedoso que pensa, sente e age de acordo com quais princpios? Dos SantosDa TerraDo CuDa Criao

  • Conduta CristSomos chamados para ser um povo piedoso que pensa, sente e age de acordo com os princpios do Cu. Para que o Esprito recrie em ns o carter de nosso Senhor, ns s nos envolvemos naquelas coisas que produziram em nossa vida pureza, sade, e alegria semelhantes s de Cristo. Isto significa que nossas diverses e entretenimentos devem corresponder aos mais altos padres de gosto e beleza cristos. Embora reconheamos diferenas culturais, nosso vesturio deve ser simples, modesto e de bom gosto, apropriado queles cuja verdadeira beleza no consiste no adorno exterior, mas no ornamento imperecvel de um esprito manso e tranqilo. Significa tambm que, sendo o nosso corpo o templo do Esprito Santo, devemos cuidar dele inteligentemente.

  • 23. Qual uma das caractersticas da mensagem final do evangelho? Crescente Angustia FamiliarCrescente Intimidade FamiliarCrescente Bondade FamiliarCrescente Perseverana Familiar

  • Matrimnio e FamliaMtuo amor, honra, respeito e responsabilidade constituem a estrutura dessa relao, a qual deve refletir o amor, a santidade, a intimidade e a constncia da relao entre Cristo e Sua Igreja. No tocante ao divrcio, Jesus ensinou que a pessoa que se divorcia do cnjuge, a no ser por causa de fornicao, e casar-se com outro, comete adultrio. Conquanto algumas relaes de famlia fiquem aqum do ideal, os consortes que se dedicam inteiramente um ao outro, em Cristo, podem alcanar amorosa unidade por meio da orientao do Esprito e a instruo da Igreja. Deus abenoa a famlia e tenciona que seus membros ajudem um ao outro a alcana completa maturidade. Os pais devem educar os seus filhos a amar o Senhor e a obedecer-Lhe. Por seu exemplo e suas palavras, que Cristo um disciplinador amoroso, sempre terno e solcito, desejando que eles se tornem membros de Seu corpo, a famlia de Deus. Crescente intimidade familiar um dos caractersticos da mensagem final do evangelho.

  • 24. Em que ano, o Senhor iniciou a segunda e ltima etapa de Seu ministrio expiatrio?1824 1834 1844 1854

  • O Ministrio de Cristo no Santurio Celestial H um santurio no Cu, o verdadeiro tabernculo que o Senhor erigiu, no o homem. Nele Cristo ministra em nosso favor, tornando acessveis aos crente os benefcios de Seu sacrifcio expiatrio, oferecido uma vez por todas, na cruz. Ele foi empossado como nosso grade Sumo-sacerdote e comeou Seu ministrio intercessrio por ocasio de Sua ascenso. Em 1844, no fim do perodo proftico dos 2300 dias, Ele iniciou a segunda e ltima etapa de Seu ministrio expiatrio. uma obra de juzo investigativo, a qual faz parte da eliminao final de todo o pecado, prefigurada pela purificao do antigo santurio hebraico no Dia da Expiao. Nesse servio tpico, o santurio era purificado com o sangue do sacrifcio de animais vivos, mas as coisas celestiais so purificadas com o perfeito sacrifcio do sangue de Jesus.

  • 25. Qual a bendita esperana da Igreja, o grande ponto culminante do evangelho? A segunda vinda de Jesus BatizarSer reconhecida mundialmente Viver em harmonia com Deus

  • A Segunda Vinda de CristoA segunda vinda de Cristo a bendita esperana da Igreja, o grande ponto culminante do evangelho. A vinda do Salvador ser literal, pessoal, visvel e universal. Quando Ele voltar, os justos falecidos sero ressuscitados e, juntamente com os justos que estiverem vivos, sero glorificados e levados para o Cu, mas os mpios iro morrer. O cumprimento quase completo da maioria dos aspectos da profecia, bem como a condio atual do mundo, indica que a vinda de Cristo iminente. O tempo exato desse acontecimento no foi revelado, e somos portanto exortados a estar preparados em todo o tempo.

  • 26. Quando ocorrer a ressurreio dos mpios?Na primeira ressurreio Na segunda ressurreioNa terceira ressurreio Na quarta ressurreio

  • Morte e Ressurreio O salrio do pecado a morte. Mas Deus, o nico que imortal, conceder vida eterna a Seus remidos. At aquele dia, a morte um estado inconsciente para todas as pessoas. Quando Cristo, que a nossa vida, se manifestar, os justos ressuscitados e os justos vivos sero glorificados e arrebatados para o encontro de seu Senhor. A segunda ressurreio, a ressurreio dos mpios ocorrer 1000 anos mais tarde.

  • 27. O que acontecer no reinado de mil anos? Purificao da TerraJulgamento de toda HumanidadeJulgamento dos SantosJulgamento do mpios

  • O Milnio e o Fim do PecadoO milnio o reinado de mil anos de Cristo de Seus santos, no Cu, entre a primeira e a segunda ressurreies. Durante esse tempo sero julgados os mpios mortos; a Terra estar completamente desolada, sem habitantes humanos com vida, mas ocupada por Satans e seus anjos. No fim desse perodo, Cristo com Seus santos e a Cidade Santa descero do Cu Terra. Os mpios mortos sero ento ressuscitados e, com Satans e seus anjos, cercaro a cidade; mas o fogo de Deus os consumir e purificar a Terra. O universo ficar assim eternamente livre do pecado e dos pecadores.

  • 28. Na Nova Terra, quem ir declarar que Deus amor?Os servos de DeusOs fiis em CristoTodas as coisas, animadas e inanimadas Todas os seres que respiram

  • A Nova TerraNa Nova Terra, em que habita justia, Deus prover um lar eterno para os remidos e um ambiente perfeito para vida, amor, alegria, e aprendizado eternos, em Sua presena. Pois aqui o prprio Deus habitar com o Seu povo, e o sofrimento e a morte tero passado. O grande conflito estar terminado e no mais existir pecado. Todas as coisas, animadas e inanimadas, declaram que Deus amor; e Ele reinar para todo o sempre. Amm.