Click here to load reader

Tema do 3T15 – As doutrinas bíblicas Estudo 04 Salvação e Eleição Texto bíblico – Diversos Texto áureo “Mas a salvação dos justos vem do Senhor” (Salmo

  • View
    223

  • Download
    4

Embed Size (px)

Text of Tema do 3T15 – As doutrinas bíblicas Estudo 04 Salvação e...

Apresentao do PowerPoint

Tema do 3T15 As doutrinas bblicas

Estudo 04Salvao e Eleio

Texto bblico Diversos

Texto ureo

Mas a salvao dos justos vem do Senhor(Salmo 37.39)

... Como tambm nos elegeu nele antes da fundao do mundo, para sermos santos e irrepreensveis diante dele em amor.(Efsios 1.4)

Depois de termos visto nos trs primeiros domingos do trimestre, quatro temas bsicos da doutrina bblica em que cremos (Bblia Deus Homem Pecado), vamos hoje abordar mais dois deles:Salvao e Eleio1Introduo I

Salvao e eleio so duas doutrinasfundamentais e essenciais para a f protestante ou evanglica, mas so tambm as duas doutrinasque criaram, por motivo de uma interpretao diferenciada da palavra de Deus, a grande controvrsia que gerou a ciso ou diviso das chamadas religies protestantes.

Tudo comeou em 1517 quando Lutero fixou as suas 95 teses na Catedral de Wittenberg, Alemanha, iniciando o cisma que dividiu a igreja crist dominante na poca.

Martin Luther, 1483-1546, monge agostiniano rompeu com a mercantilizao da Igreja Catlica da poca, anunciando que a salvao vinha pela f. Com isto ele no somente deu incio ao movimento chamado protestante mas discusso de diversas correntes de interpretao da Bblia.

Introduo II

O rastiho de plvora que Lutero acendeu espalhou-se pela Europa gerando a perseguio por parte da igreja dominante aos chamados protestantes, mas tambm dando origem a que estes agora se aprofundassem mais no estudo da Palavra de Deus.

A Bblia no idioma ingls j circulava na Europa desde 1383 com a traduo feita por John Wycliffe com base na vulgata de Jernimo em 395. Logo Lutero a traduziria para o alemo em 1522. Com isto o acesso Palavra de Deus se difundia por toda a Europa.

Com a inveno da imprensa, por Guttenberg em 1450, a leitura da Bblia vai se difundir a partir do luteranismo (1517) por toda a Europa.Introduo III

Antes mesmo de Lutero acender o pavio da chamada Reforma Protestante j havia reformadores na Igreja Catlica, como por exemplo: Joo Huss, na Bomia (1369-1415) eZwinglio,na Suia (1484-1531).

No entanto, foi a partir de Lutero que estas correntes protestantes se tornaram visveis e patentes para o mundo religioso da poca em funo da discusso que as teses de Lutero causaram no seio da Igreja Catlica no tempo do Papa Leo X culminando com seu julgamento e excomunho (1521).

Com base nestes movimentos dois telogos se levantaram para melhor compreenderem a doutrina da salvao e da eleio, j que a palavra dominante agora era que a salvao vem pela f e no pelas obras(Sola Fide, que quer dizer s pela f e Sola Scriptura, que significa, s pela Palavra..

4Introduo IV

Dois destes telogos, foram Calvino e Armnio. Um na Frana e depois na Suia e o outro na Holanda, vo defender as duas correntes predominantes na interpretao protestante da salvao pela graa (ou pela f).

Com suas interpretaes basicamente idnticas, pois ambos crem na salvao unicamente pela f, eles vo dar origem s duas correntes que norteariam para o povo cristo evanglico desde ento at aos dias de hoje, as doutrinas da Salvao e da Eleio, que hoje estudamos. Um dos mais complexos problemas para o ensino da Palavra de Deus tem sido corretamente ensinar a relao entre a doutrina de eleio e a doutrina de salvao pela graa. Estas duas doutrinas so mundialmente debatidas por cristos conservadores que so divididos em duas posies, as chamadas: " Calvinista " e "Arminiana".

Joo CalvinoQuem foi?Joo Calvino foi um importante professor e telogo cristo de nacionalidade francesa. Nasceu na cidade de Noyon em 10 de julho de 1509 e faleceu na cidade de Genebra (Sua) em 27 de maio de 1564.Calvino teve um papel histrico fundamental no processo da Reforma Protestante. Foi o iniciador do movimento religioso protestante conhecido por Calvinismo.At os 24 anos de idade Calvino era catlico. Em 1533 converteu-se ao protestantismo. Foi perseguido na Frana e, no ano de 1536 fugiu para Genebra (Suia). Nunca foi ordenado sacerdote. Tornou-se a voz do movimento protestante na Suia, onde com as suas pregaes passou a ser reconhecido como padre. Genebra tornou-se definitivamente o centro do movimento protestante europeu e Joo Calvino se tornou at hoje uma figura central na histria da cidade, do pas e do Protestantismo.Deu origem s correntes do Presbiterianismo e do Metodismo mais tarde.

6CalvinismoPrincpios bsicos do Calvinismo:- Salvao s atingida atravs da f;- Predestinao: a salvao concedida por Deus somente para algumas pessoas eleitas;- Todo homem pecador por natureza;- A realizao de culto religioso deve ser feito em local simples e sem imagens. O culto deve ser composto apenas por comentrios bblicos, sem cerimnias;- Realizao da eucaristia e do batismo.

7Jacob ArminiusQuem foi?Jac Armnio foi um telogo holands (1560 - 1609), nascido em Oudewater, Utrecht. Muito jovem tornou-se rfo de pai (Hermann Jakobs), que deixou uma viva com trs filhos pequenos para criar.

O pastor Theodorus Aemilius adotou Armnio e o enviou para ser instrudo em Utrecht. Aps a sua morte, coube ao professor Rudolph Snellius traz-lo a Marburgo e o qualificar para estudar teologia na recm-fundada Universidade de Leiden (1576-1582)

Desde o sculo XVI, muitos cristos incluindo os batistas (Ver A History of the Baptists terceira edio por Robert G. Torbet) tm sido influenciados pela viso arminiana. Tambm os metodistas, os congregacionalistas das primeiras colnias da Nova Inglaterra nos sculos XVII e XVIII, e os universalistas e unitrios nos sculos XVIII e XIX.

ArminianismoPrincpios bsicos do Arminianismo:

- a eleio (e condenao no dia do jugamento) foi condicionada pela f racional ou no-f do homem;- a expiao, embora qualitativamente suficiente todos os homens, s eficaz ao homem de f;- sem o auxlio do Esprito Santo, nenhuma pessoa capaz de responder vontade de Deus;a graa no irresistvel; - os crentes so capazes de resistir ao pecado, mas no esto fora da possibilidade de cair da graa.

Introduo V

Saindo da discusso teolgica, pois isso compete aos estudiosos e comentaristas, vamos procurar alcanar como crentes em Cristo que somos, o verdadeiro significado da salvao e da eleio.

E vamos fazer isto, atravs da Palavra de Deus que segundo eles mesmos, Calvino e Armnio, a nica regra de f para o homem.

Depois, ento, consideremos os textos da Declarao Doutrinria da CBB para expressar esta compreenso.

Vamos abordar o tema pelo aspecto intelectual da RAZO, mas tambm pelo aspecto espiritual da F. SALVAO

No Salmo 37, Davi, 2500 anos antes dos reformadores da igreja j exclamava sobre o tema quando escreveu:

Mas a salvao dos justos vem do Senhor.

Ou seja, os justos, os crentes, os que possuem f que so os titulares desta graa salvadora. Ele no entra no mrito da discusso dos telogos, mas aponta para uma salvao inequvoca apenas para aquele que se submete vontade do Senhor, aquele que ele chama de justo.

O escritor da carta aos Hebreus no texto acima, est apenas confirmando aquilo que Habacuque j escrevera no AT, cinco sculos antes de Cristo (Hq 2.4):

O soberbo, a sua alma no reta nele, mas o justo pela sua f viver.SALVAO PARA O CRENTE BATISTA IMPLICA EM:

REGENERAO:Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que, segundo a sua grandemisericrdia, nos regenerou para uma viva esperana, pela ressurreio de Jesus Cristo dentre os mortos. 1Pe 1.3

JUSTIFICAO:Quem intentar acusao contra os escolhidos de Deus? Deus quem os justifica. Rm 8.33

SANTIFICAO:Rogo-vos, pois, irmos, pela compaixo de Deus, que apresenteis os vossos corpos como um sacrifcio vivo, santo e agradvel a Deus, que o vosso culto racional. Rm 12.1

GLORIFICAO:Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda no manifesto o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele, porque assim como o veremos. -1Jo 3.2ELEIO

Diferentemente do que pensam alguns, Deus no nos predestinou vida eterna ou morte eterna. isto que advoga uma corrente advinda do calvinismo.

Ele, simplesmente, dentre os mistrios de sua divindade, elegeu, ou melhor dizendo, conheceu antes que nascesse o homem, aquele que iria ou no salvar-se. isto que defende a vertente do arminianismo.

Se no fosse assim, o Senhor estaria alijando o livre-arbtrio da sua criatura por excelncia. Ele sabe, mas cabe ao homem a escolha pelo caminho da vida.Pedro escrevendo em sua segunda carta(1.10) conclama os crentes a:

Portanto, irmos, procurai mais diligentemente fazer firme a vossa vocao e eleio; porque, fazendo isto jamais tropeareis.

ELEIO PARA O CRENTE BATISTA IMPLICA EM:

CRER NO MISTRIO DA PRESCINCIA DIVINA:

Vs no me escolhestes a mim mas eu vos escolhi a vs... Jo 15.16

CRER NO MILAGRE DO AMOR DO PAI:

... Como tambm nos elegeu nele antes da fundao do mundo para sermosSantos e irrepreensveis diante dele em amor. Ef 1.4

CRER NO PROPSITO DO CRIADOR PARA A NOSSA SALVAO:

E sabemos que todas as coisas concorrem para o bem daqueles que amam a Deus,daqueles que so chamados segundo o seu propsito. Rm 8.28

CRER NO CARTER IMPERDVEL DESTA ELEIO:

E no entristeais o Esprito Santo de Deus, no qual fostes selados para o dia da redeno. Ef 4.30Captulo V da Declarao Doutrinria da CBB

Afirmativas quanto SALVAO:

A salvao outorgada por Deus pela sua graa, mediante arrependimento do pecador e da sua f em Jesus Cristo como nico Salvador e Senhor.

A regenerao o ato inicial da salvao em que Deus faz nascer de novo o pecador perdido, dele fazendo uma nova criatura em Cristo.

A justificao, que ocorre simultaneamente com a regenerao, o ato pelo qual Deus, considerando os mritos do sacrifcio de Cristo, abs