Click here to load reader

Minicurso - István Mészáros - Texto 1

  • View
    220

  • Download
    3

Embed Size (px)

Text of Minicurso - István Mészáros - Texto 1

  • Contra-capa:

    A TERCEIRA FASE, potencialmente a mais mortal, do imperialismo hegemnico

    global, que corresponde profunda crise estrutural do sistema do capital no plano militar e

    poltico, no nos deixa espao para tranqilidade ou certeza. Pelo contrrio, lana uma nuvem

    escura sobre o futuro; caso os desafios histricos postos diante do movimento socialista no

    sejam enfrentados com sucesso enquanto ainda h tempo. Por isso; o sculo nossa frente

    dever ser o sculo do "socialismo ou barbrie".

    Orelhas:

    Se Para alm do capital (Boitempo, 2002) a obra maior de Istvn Mszros, quase

    sem paralelos pela envergadura e pela densidade, neste incio do sculo XXI, em que alguns

    dos nexos essenciais do capital dos nossos dias foram exaustiva e abundantemente

    tematizados e demolidos pelo autor, este pequeno livro agora publicado pela coleo Mundo

    do Trabalho com o ttulo O sculo XXI - socialismo ou barbrie? seu corolrio poltico de

    combate.

    Contra a falcia do fim do imperialismo na era dos imprios, Mszros faz uma crtica

    atualizada, corajosa e contundente, mostrando a conformao agressiva dos Estados Unidos

    nesta fase de profunda destruio ambiental, precarizao do trabalho, massacre dos povos,

    perda dos sentidos e dos significados humanos e societais, em que impe ao mundo uma

    poltica destrutiva em sua forma (quase) limite.

    Escrito antes dos episdios de 11 de setembro de 2001 (e publicado tambm nos

    Estados Unidos, na Itlia e na ndia), este livro teve um sentido claramente premonitrio: o

    que ocorreu naquela fatdica data, bem como seus desdobramentos, no so, segundo o autor,

    uma aventura poltica e militar do "grande poder", mas sim a mais evidente manifestao da

    crise estrutural do capital, sua insolubilidade e seu emaranhado de contradies, tese que

    Mszros defende desde o incio da dcada de 1970, quando originou-se a crise estrutural do

    capital e deu-se a elaborao inicial de Para alm do capital.

    Neste opsculo agora publicado poderemos encontrar indicaes e pistas desafiadoras

    sobre os novos significados do imperialismo hegemnico global e a virulncia dos Estados

    Unidos, o fracasso da poltica grotescamente chamada de "modernizao do Terceiro

    Mundo", o papel da China e do Japo no mundo atual, a condio degradante do

    subimperialismo britnico, to arrogante quanto servil, bem como os desafios da alternativa

    societal socialista e sua contemporaneidade.

    John Bellamy Foster, em edio recente da Monthly Review, afirmou, contrapondo-se

    tese do imprio sem centro, que o leitor encontrar neste texto "uma interpretao totalmente

    diferente, considerando o imperialismo dos Estados Unidos como central na crise do terror".

    Terror que tem tantas outras dimenses e conseqncias, conforme se pode depreender das

    palavras de Istvn Mszros.

    O sculo XXI ser capaz de barrar tanto descalabro?

    Ricardo Antunes

    Istvn Mszros nasceu em Budapeste, em 1930, onde graduou-se em Filosofia e tornou-se discpulo de

    Georg Lukcs. Professor- Emrito na Universidade de Sussex, Inglaterra, um dos mais importantes intelectuais

    marxistas da atualidade, autor de muitos livros, entre os quais se destacam Para alm do capital - rumo a uma

    teoria da transio, publicado pela Boitempo em 2002, Marx: a teoria da alienao, O poder da ideologia, A

    necessidade do controle social, Produo destrutiva e estado capitalista, A obra de Sartre: busca da liberdade e

    Filosofia, ideologia e cincia social, muitos dos quais publicados em vrios pases.

  • O SCULO XXI

    socialismo ou barbrie?

    Istvn Mszros

    Traduo: Paulo Cezar Castanheira

  • SUMRIO

    Prefcio edio brasileira ....................................... 9

    Introduo ................................................................... 15

    1. Capital: a contradio viva ...................................... 17

    2. A fase potencialmente fatal do imperialismo .......... 33

    3. Os desafios histricos diante do movimento

    socialista ................................................................. 81

    4. Concluso ................................................................ 107

    ndice remissivo .......................................................... 111

  • Este estudo dedicado a Harry Magdoff e a Paul Sweezy,

    que nos ltimos cinqenta anos deram, por meio de seus livros e

    como editores da Monthly Review; uma contribuiro inigualvel

    para o nosso conhecimento da dinmica imperialista e do capital

    monopolstico.

  • PREFCIO EDIO BRASILEIRA

    Desde o dia 11 de setembro de 20011, Washington vem impondo com descarado

    cinismo sua poltica ao resto do mundo. A justificativa dada para a falsa mudana de curso da

    "tolerncia liberal" para o que hoje se chama "defesa resoluta da liberdade e da democracia"

    que nesse dia os Estados Unidos se tornaram vtima do terrorismo mundial em resposta ao

    qual imperativo declarar uma indefinida e indefinvel "guerra ao terror" - que, na verdade,

    definida arbitrariamente de forma que se ajusta s convenincias dos crculos americanos

    mais agressivos. Admite-se que a aventura militar no Afeganisto no passe da primeira de

    uma srie ilimitada de "guerras preventivas" ou "ataques preventivos" a serem realizados no

    futuro.

    Entretanto, como claramente demonstra este livro, a ordem cronolgica da atual

    doutrina militar dos Estados Unidos est apresentada de cabea para baixo. Na verdade, no

    se pode admitir a "mudana de curso" posterior a 11 de setembro, que se diz ter sido possvel

    pela eleio duvidosa de George W Bush para a presidncia em lugar de Al Gore. Pois o

    presidente democrata Clinton adotava as mesmas polticas que seu sucessor republicano,

    ainda que de forma mais camuflada. Quanto ao candidato democrata, Al Gore declarou

    recentemente que apia sem restries a guerra planejada contra o Iraque, pois tal guerra no

    representaria uma "mudana de regime", mas apenas o "desarmamento de um regime que

    possui armas de destruio em massa".

    A crtica do imperialismo norte-americano - ao contrrio das fantasias em voga sobre o

    "imperialismo desterritorializado", que deveria prescindir da ocupao do territrio de outras

    naes - como a "nova fase do imperialismo hegemnico global" constitui o tema central

    deste meu livro O sculo XXI - socialismo ou barbrie? O captulo "A fase potencialmente

    fatal do imperialismo" (tendo os Estados Unidos como sua fora absolutamente dominante)

    foi escrito dois anos antes dos atentados de 11 de setembro de 2001 e apresentado em

    conferncia pblica em Atenas no dia 19 de setembro do mesmo ano. Nele, tambm afirmei

    inequivocamente que a "forma ltima de ameaar um adversrio no futuro - a nova

    diplomacia das canhoneiras exercida pelo ar patenteado - ser a chantagem nuclear" (p.

    53 desta edio). Desde que foram publicadas essas linhas, primeiro em maro de 2000 na

    Grcia, e depois todo o livro em italiano em agosto de 2000, a adoo da atemorizante

    ameaa nuclear final - capaz de dar incio a uma aventura militar que precipitaria a destruio

    completa da humanidade - tornou-se a poltica oficial americana amplamente professada.

    Nem se deve imaginar que a declarao de tal doutrina estratgica seja uma ameaa vazia

    contra os retoricamente alardeados "eixos do mal". Afinal, foram exatamente os Estados

    Unidos que realmente usaram a arma atmica de destruio em massa contra o povo de

    Hiroshima e Nagasaki.

    Ao considerarmos essas questes de extrema gravidade, no podemos nos satisfazer

    com qualquer sugesto que indique uma conjuntura poltica particular e em alterao. Pelo

    contrrio, temos de examin-las contra seu pano de fundo de desenvolvimento estrutural

    arraigado - necessrio tanto poltica quanto socioeconomicamente. Isso de fundamental

    1 Referncia aos ataques terroristas ao World Trade Center e ao Pentgono, nos Estados Unidos.

  • importncia se quisermos encontrar uma estratgia vivel para enfrentar as foras

    responsveis por nossa atual condio de perigo. A nova fase histrica do imperialismo

    hegemnico global no apenas a manifestao das atuais relaes de poder no mundo da

    poltica das grandes potncias, para vantagem dos Estados Unidos, contra a qual um futuro

    realinhamento entre os Estados mais poderosos ou mesmo algumas demonstraes bem

    organizadas na arena poltica poderiam se afirmar com sucesso. Infelizmente, muito pior.

    Pois esses eventos, mesmo se acontecerem, ainda deixariam intactas as determinaes

    estruturais subjacentes.

    No se pode negar que a nova fase do imperialismo hegemnico global est sob o

    controle preponderante dos Estados Unidos, ao passo que outros parecem aceitar o papel de

    se agarrarem casaca americana, embora isso no signifique que o aceitaro eternamente.

    Pode-se prever com segurana, com base nas instabilidades j evidentes, a exploso no futuro

    de fortes antagonismos entre as principais potncias. Mas poderia isso por si s oferecer

    resposta para as contradies sistmicas em jogo sem tratar das determinaes causais nas

    razes do desenvolvimento imperialista? Seria ingenuidade acreditar que sim.

    Neste livro, discuto com algum detalhe as principais relaes e complexas

    interdeterminaes que se deve terem mente com relao a esses problemas. Por ora, s

    gostaria de enfatizar uma preocupao fundamental, o fato de a lgica do capital ser

    absolutamente inseparve

Search related