of 60/60
ÁGUA: ÁGUA: POSSÍVEL ESCASSEZ POSSÍVEL ESCASSEZ

ÁGUA: POSSÍVEL ESCASSEZ. TERRA: PLANETA ÁGUA (2/3 DE SUA SUPERFÍCIE É RECOBERTA COM ÁGUA)

  • View
    105

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of ÁGUA: POSSÍVEL ESCASSEZ. TERRA: PLANETA ÁGUA (2/3 DE SUA SUPERFÍCIE É RECOBERTA COM ÁGUA)

  • Slide 1
  • GUA: POSSVEL ESCASSEZ
  • Slide 2
  • TERRA: PLANETA GUA (2/3 DE SUA SUPERFCIE RECOBERTA COM GUA)
  • Slide 3
  • Propriedades da gua
  • Slide 4
  • gua no corpo humano A gua representa 70% da massa do corpo humano adulto (de um beb 90%). Nosso organismo necessita de 4 litros por dia. Regula a nossa temperatura interna. Sintomas de desidratao: Perda de 1% a 5% de gua Sede, pulso acelerado, fraqueza Perda de 6% a 10% de gua Dor de cabea, fala confusa, viso turva Perda de 11% a 12% de gua Delrio, lngua inchada, morte Uma pessoa pode suportar at 50 dias sem comer, mas apenas 4 dias sem beber gua.
  • Slide 5
  • O CICLO HIDROLGICO
  • Slide 6
  • Slide 7
  • gua salgada Quando duas solues de concentraes diferentes so separadas por uma membrana semipermevel, na busca do equilbrio de energia, ocorre um fluxo natural orientado no sentido da soluo menos concentrada para a soluo de maior concentrao salina. A diferena de nvel que se estabelecer corresponde a presso osmtica.
  • Slide 8
  • Fernando de Noronha: Capacidade de produo de 500 mil litros de gua potvel por dia. DESSALINIZAO DE GUAS
  • Slide 9
  • OSMOSE REVERSA Na soluo de maior concentrado aplicada uma presso gerada mecanicamente de magnitude maior do que a presso osmtica, invertendo-se o sentido natural do fluxo. A gua previamente filtrada passa por dispositivo normalmente cilndrico denominado permeador, onde os sais presentes na gua so retidos por membranas seletivas especialmente fabricadas. A gua pura eliminada radialmente pelo permeador, enquanto que a parcela de gua no permeada descartada a uma concentrao mais elevada de sais.
  • Slide 10
  • Slide 11
  • Slide 12
  • GUA SUBTERRNEA (Aqfero)
  • Slide 13
  • Abrange quatro pases: Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai; Tem uma extenso aproximada de 1,2 milhes de km, dos quais 840 mil esto no Brasil, nos estados do MS, PR, MG, RS, SC, GO e SP. Aqfero Guarani
  • Slide 14
  • Guarani o nome dado a esse conjunto de rochas que formaram-se h 132 milhes de anos atrs; A espessura das camadas de rochas varia de 50 a 800 m, com profundidade de at 1,9 km. Por isso, suas guas podem alcanar temperaturas muito elevadas, de 50 a 85C; Abriga guas muito profundas, que, de uma maneira geral, apresentam boa proteo contra agentes poluidores, estando muito mais protegidas do que os rios e lagos; H projetos de expanso do uso dessa gua para fins energticos, agropecurios e at de energia termal para co-gerao de energia eltrica. Aqfero Guarani
  • Slide 15
  • Slide 16
  • Slide 17
  • Slide 18
  • Slide 19
  • Quantidade de gua disponvel
  • Slide 20
  • Slide 21
  • Slide 22
  • Slide 23
  • USOS DA AGUA
  • Slide 24
  • Slide 25
  • Quantidade de gua disponvel
  • Slide 26
  • Slide 27
  • guas Urbanas Atualmente cerca de 80% da populao do Brasil ocupa o espao urbano. Enchentes, produo de sedimentos e qualidade da gua so problemas srios encontrados em grande parte das cidades brasileiras; A reduo da qualidade da gua dos rios e as grandes concentraes urbanas tm apresentado limitaes quanto disponibilidade de gua para o abastecimento;
  • Slide 28
  • .. So cerca de 250 litros (isto mesmo, 250 litros ou mais): banho, cuidados de higiene, comida, lavagem de loua e roupas, limpeza da casa, plantas e, claro, a gua que se bebe. . .. D para viver sem gua? No d. Ento, a sada fazer um uso racional deste recurso precioso. A gua deve ser usada com responsabilidade e parcimnia. Para ns, consumidores, tambm significa mais dinheiro no bolso. A conta de gua no final do ms ser menor. O mais importante, no entanto, termos a conscincia de que estamos contribuindo, efetivamente, para reduzir os riscos de matarmos a nossa fonte de vida: a gua. .
  • Slide 29
  • Lavagem de roupa Consumo de gua Reduo da disponibilidade hdrica Lavagem de louas Lanamento de gua com detergente Eutrofizao Armazenamento de combustvel Vazamento Contaminao do solo e da gua subterrnea
  • Slide 30
  • Aspecto da atividade: Descarga de efluentes Disposio de resduos em aterros Impactos originados: Contaminao da gua Contaminao das guas superficiais e subterrneas
  • Slide 31
  • AO X REAO
  • Slide 32
  • o conjunto de obras, instalaes e servios, destinados a produzir e distribuir gua potvel a uma comunidade, em quantidade e qualidade compatveis com as necessidades da populao, para fins de consumo domstico, servios pblicos, consumo industrial e outros usos. Destina-se a melhorar as condies de Sade Pblica, tanto do ponto de vista fsico, pela eliminao das doenas de veiculao hdrica, como pela social, pela melhoria das condies de comodidade na obteno e uso da gua. Abastecimento da gua
  • Slide 33
  • CICLO DO USO DA GUA
  • Slide 34
  • Slide 35
  • Slide 36
  • E T A
  • Slide 37
  • TECNOLOGIAS PARA DISPONIBILIZAR GUA PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTVEL Tratamento de guas residurias utilizando processos e sistemas adequados a cada realidade (situao) ETE descentralizadas Tratamento de efluentes lquidos e slidos gerados em rea rural (agroindustriais e pequenos produtores) ETE utilizando processo anaerbio e aerbio de forma conjugada no tratamento secundrio de efluentes lquidos ETE utilizando processo qumico como pr e ps tratamento de reatores biolgicos no tratamento de efluentes lquidos (tratamento tercirio) etc.........
  • Slide 38
  • CICLO DO USO DA GUA
  • Slide 39
  • Slide 40
  • Slide 41
  • Slide 42
  • E T E
  • Slide 43
  • TECNOLOGIAS PARA DISPONIBILIZAR GUA PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTVEL O reaproveitamento ou reso da gua o processo pelo qual a gua, tratada ou no, reutilizada para o mesmo ou outro fim. Essa reutilizao pode ser direta ou indireta, decorrentes de aes planejadas ou no. - Reso indireto no planejado da gua : sujeita s aes naturais do ciclo hidrolgico (diluio, autodepurao). - Reso indireto planejado da gua : pressupe que exista tambm um controle sobre as eventuais novas descargas de efluentes - Reso direto planejado das guas : caso com maior ocorrncia, destinando-se a uso em indstria ou irrigao. - Reciclagem de gua : o reso interno da gua, antes de sua descarga em um sistema geral de tratamento ou outro local de disposio. RESO DA GUA
  • Slide 44
  • R E U S O
  • Slide 45
  • TECNOLOGIAS PARA DISPONIBILIZAR GUA PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTVEL O reaproveitamento ou aproveitamento de guas de chuva (pluviais) tem sido nos ltimos anos um tema recorrente de grande importncia tanto para controle de cheias em reas urbanas como suprimento de gua potvel tanto em reas carentes rurais como urbanas. - Importante estabelecer indicadores de qualidade de gua - Necessidade de um estudo criterioso para se determinar a demanda versus disponibilidade. - Fonte importante de gua para todos os fins: mais nobre em regies desprovidas de fontes de boa qualidade menos nobre em regies onde se deseja equilibrar o deficit hdrico no consumo de gua GUAS PLUVIAIS
  • Slide 46
  • G U A S P L U V I A I S
  • Slide 47
  • TRANSPOSIO DE BACIAS TECNOLOGIAS PARA DISPONIBILIZAR GUA PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTVEL
  • Slide 48
  • Gesto do SUPRIMENTO e da DEMANDA: Gesto do Suprimento de gua : inclui polticas e aes destinadas a identificar, desenvolver e explorar de forma mais eficiente novas fontes de gua. Contempla polticas e aes relativas quantidade e qualidade da gua desde a sua captao, tratamento e o sistema de distribuio. Gesto da Demanda de gua : inlcui os mecanismos de conservao da gua e eficincia de seu uso, controlando e minimizando o desperdcio (perda de gua). Planejamento e gerenciamento da bacia hidrogrfica
  • Slide 49
  • Quando a gua desaparecer, que ser do homem, que ser das coisas, dos verdes, dos bichos? Mrio Quintana
  • Slide 50
  • Na natureza no h prmios nem punies h apenas conseqncias. Robert G. Ingersoll
  • Slide 51
  • A gua no apenas necessria vida. Ela nos preenche com um sentimento de gratificao que excede o prazer dos sentidos. A. de Saint Exupriy
  • Slide 52
  • A gua faz parte do patrimnio do planeta. Cada continente, cada povo, cada nao, cada regio, cada cidade e cada cidado plenamente responsvel por ela diante de todos. Declarao Universal dos Direitos da gua
  • Slide 53
  • Na prxima vez que voc andar na chuva, pare e pense: um pouco da gua que cai sobre voc j circulou pelo sangue dos dinossauros e estava nas lgrimas de crianas que viveram h milhares de anos atrs. M. Barlow e T. Clark
  • Slide 54
  • Rio que no tem carinho, nasce limpo, morre sujo. Mrio Marcos Csar Augusto
  • Slide 55
  • No turves a gua que ters de beber.
  • Slide 56
  • Nossa sabedoria a dos rios. No temos outra. Persistir, ir com os rios, onda a onda. Carlos Nejar
  • Slide 57
  • Quando a ltima rvore for cortada e o ltimo rio envenenado, voc vai perceber que dinheiro no alimenta. Joyce McLean
  • Slide 58
  • No foi o martelo que deixou perfeitas essas pedras, mas a gua, com sua doura, sua dana e sua cano. Onde a dureza s faz destruir, a suavidade consegue esculpir. R. Tagore
  • Slide 59
  • O rio cantava com voz plangente. Cantava saudade. Angustiado, dirigia-se sua foz, e sua voz soava meldica. Hermann Hesse
  • Slide 60
  • FIM