Cristianismo Em Crise Hank Hanegraaff-EXCELENTE

  • View
    2.798

  • Download
    29

Embed Size (px)

Text of Cristianismo Em Crise Hank Hanegraaff-EXCELENTE

C94D

Um cncer est devorando a Igreja de Cristo.-10 tow! A0 c0r ov+iv-nnrin l

DIGITALIZADO POR: PRESBTERO (TELOGO APOLOGISTA) PROJETO SEMEADORES DA PALAVRA VISITE O FRUMh tt p :/ /s e m e a d o r e s d a p a l a v r a . f o r u m e i r o s . c o m / f o r u m

CRISTIANISMO EM CRISEUm cncer est devorando a Igreja de Cristo. Ele tem de ser extirpado!

H A N K

H A N E G R A A F F

CB4D

Indice

R e co n h ecim en to s ..................................................................... 9 A n tes de C o m ea r .................................................................. 11____________________ P A R T E I____________________

Transform ando a Verdade em M ito lo g ia ..................21C a p t u l o C a p t u l o C a p t u l o C a p t u l o

1 2 3 4

ELENCO DE PERSONAGENS............... 31 SEITA OU SECTRIO?............................ 43 PENTECOSTAL OU SECTRIO?.......... 51 MAPEANDO O CU RSO ........................... 55II___________________

___________________ P A R T E

F na F ...................................................................................65C a p t u l o C a p t u l o C a p t u l o C a p t u l o

5 6 7 8

A FORA DA F ....................................71 A FRMULA DA F ............................. 79 A F DE DEUS........................................ 93 O HALL DA FAMA DA F ............... 103

4

Cristianismo em Crise

____

______ P A R T E

I I I _______________

H om ens e D em nios D eifica d o s? .............................. C a ptu lo 9 DEIFICAO DO HOMEM............... C a p t u l o 10 REBAIXAMENTO DE DEUS ............ C a p t u l o 11 ENDEUSAMENTO SATNICO........ C a p t u l o 12 DIMINUIO DE CRISTO................__________________ P A R T E

111 115 131 139 147

IV ____________________

A trocidades sobre a E x p ia o .................................... 155 C a p t u l o 13 RECRIAO SOBRE A C R U Z ......... 165 C a p t u l o 14 REDENO NO INFERNO................ 175 C a p t u l o 15 RENASCIMENTO NO INFERNO...... 181 C a p t u l o 16 REENCARNAO................................. 189_______________ ? A R T E V____________________

L im ites entre R iquezas e N e ce ssid a d e s ................... 193 C a p t u l o 17 CONFORMIDADE CULTURAL....... 199 C a p t u l o 18 CHANTAGEM E EXTORSO.......... 209 C a p t u l o 19 CONTRATOS E ACORDOS.............. 229 C a p t u l o 20 CONTEXTO, CONTEXTO, CONTEXTO......................................... 235__________ ________ PA R T E VI _ ____

A ch aqu es e S ofrim en to s ................................................. 253 C a p t u l o 21 SINTOMAS E DOENAS ..................... 261 C a p t u l o 22 SATANS E AS ENFERMIDADES ..277 C a p i t u l o 23 O PECADO E AS MOLSTIAS........... 285 C -Pitvlo 24 t SOBERANIA E DOENAS...................295

Indice

5

__________ _ _

P A R T E

V I I __________________

D e Volta ao B s ic o ..............................................................303 C a p t u l o 25 A = AM M...............................................311 C a p t u l o 26 B = BBLIA............................................. 319 C a p t u l o 27 C = CONGREGAO............................331 C a p t u l o 28 D = DEFESA........................................... 339 C a p t u l o 29 E = ESSENCIAIS.................................... 345 E p lo g o ......................................................................................353 KENYON E OS PRINCIPAIS PROPONENTES DUM EVANGELHO DIFERENTE.......................... 359A p n d ic e A :

OS UNGIDOS DE DEUS ESTO ACIMA DA CRTICA?....................395A p n d ic e B :

APOLOGTICA: A DEFESA DA F ...........................................399A p n d ic e

C: OS TRS CREDOS UNIVERSAIS................407

DedicatriaA Erwin de Castro exemplo dum leigo que se esfora p o r servir a Deus de todo o corao, alma e mente.

ReconhecimentosAgradeo ao meu Pai celestial pela sade, fora e tudo o mais que me permitiu completar Cristianismo em Crise. uma bno poder contar com a assessoria e o apoio dum conselho cujas oraes e encorajamento foram fundamentais na consecuo deste projeto. Sou especialmente grato pelo discernimento e assistncia de Bob Lyle e dos pesquisadores do Christian Research Institute (CRI). (Nota da edio em portugus: O autor refere-se entidade sediada nos EUA, qual nos referiremos a partir de agora como ICP - Instituto Cristo de Pesquisas). Agradeo igualm ente a Elliot Miller, Ron Rhodes, Ken Samples, Paul Carden, Brad Sparks e B. J. Oropeza, pela reviso crtica deste manuscrito, antes da sua publicao. Adicionamente, meu reconhecimento incansvel dedicao do meu assistente, Erwin de Castro que, alm do intelecto notvel, um amigo de confiana, permanecendo do meu lado ainda nas horas mais difceis. Outros que merecem ser mencionados so: Norman Geisler, pela reviso teolgica do manuscrito.

10

Cristianismo em Crise

Berit Kjos, por seu discernimento, ajuda e principalmente oraes. Rolly DeVore, pelo acompanhamento diligente de ensinos provenientes do chamado movimento da F (ele tomou-se um especialista neste campo). Kathis Delph, pelo desempenho datilogrfico, quando a dormncia me impedia os dedos. Ed Decker, por seu constante encorajamento e fiel apoio em orao. Bob Hawkins e o pessoal da Harvest House Publishers, pelo apoio e corajosa dedicao publicao deste volume. Steve Halliday, porque emprestou suas habilidades editoriais a este projeto e pela noite inteira gasta para atender a um compromisso de prazo marcado. Gretchen Passantino, por seu trabalho editorial. E, finalmente, agradeo minha esposa Kathy e aos nossos seis filhos Michelle, Katie, David, John Mark, Hank Jr. e Christy - que demonstraram notvel pacincia e compreenso, at o fim. David, em particular, fez-me saber que chegara o tempo de terminar, pela insistente pergunta: Quantas pginas mais, papai?

Antes de ComearImagine que uma noite, j tarde, voc embarque num avio para fazer o longo vo entre Los Angeles e Atlanta.1 Dando um a espiada pelo interior da cabina, voc nota que vrios passageiros comearam a ler revistas ou jornais. Um homem e sua esposa, na fileira da frente, do curso a uma calma conversao. Vrios passageiros parecem estar olhando para o espao, envolvidos num mundo de pensamentos. Alguns at j com earam a dorm ir. V oc se espreguia sonolento e antecipa um a viagem quieta e pacfica. Imediatamente antes da decolagem, porm, a calma subitamente se transforma em caos, quando seis crianas barulhentas e sua me em barcam no avio. Ela se senta do outro lado do corredor e parece alheia confuso causada. No somente seus filhos gritam e falam alto, mas tambm parecem vacilar atordoadamente entre o riso nervoso e as lgrimas. A ira e a irritao pintadas na fisionomia de seus companheiros de viagem so bvias. No entanto, ningum parece disposto a fazer alguma coisa. Finalmente, voc no consegue mais se conter. Inclinando-se na direo da

12

CrisTianismo em Crise

me. balbucia: Madame, poderia fazer algo com relao a seus filhos, por favor? Eles esto fora de controle! No v que as pessoas querem ler? J muito tarde e estamos cansados! Precisamos dum pouco de paz e silncio! Como se tivesse sido sacudida de volta realidade, a mulher olha direto para seus olhos e, com voz trmula, responde: Sim, sim, o senhor tem razo. Lamento, queira me desculpar! O senhor sabe, acabei de receber um recado dizendo que meu marido sofreu um terrvel acidente de carro. Ele est em estado de coma e os mdicos no sabem se viver. Estou passando por tempos difceis para mostrar-me altura das circunstncias e... e... no estou certa se meus filhos esto agentando bem a presso . Imagine como se sentiria naquele momento! De repente, voc percebe a realidade duma perspectiva inteiramente nova. A irritao cede lugar compaixo. Num instante voc passa a ver aquela mulher e suas circunstncias atravs dum novo par de lentes. Uma m acromudana ocorreu em sua perspectiva, num microsegundo. Precisamos exatamente desse tipo de macromudana, agora mesmo, para evitar uma bem real e presente crise no cristianismo. Sem tal mudana, tanto na percepo quanto na perspectiva, a Igreja est em horrendo perigo. Permitame explicar. Nos ltimos anos, multides que professam o nome de Cristo assumiram uma postura altamente distorcida em relao ao que significa, realmente, ser cristo. Talvez o mais alarmante que milhes tm sido impedidos de levar a srio as reivindicaes de Cristo porque percebem o cristianismo como algo negativo, e os lderes cristos como artistas do contra. Sob o pendo de Jesus o S enhor , m ultides esto sendo ludibriadas por um evangelho de ganncia e abraando doutrinas cuja origem inegavelm ente mstica. M as apesar de estarem convencidas de que o que ouvem a coisa real, na verdade esto abraando um a

Antes de C om ear

13

barata contrafao. V erdades eternas, tiradas da P alavra de Deus, esto sendo pervertidas num a m itologia perversa - e enquanto isso o cristianism o est despencando, a um a velocidade de quebrar o pescoo, num a crise de propores nunca vistas. Esta uma acusao tremenda, eu sei - e compreendo que pode ser difcil de engolir. Portanto, para provar que no sou um alarmista, permita-me dar-lhe algumas provas daquilo que voc vai ler neste livro. As citaes abaixo podem mostrar-se to ultrajantes que paream fabricaes; mas cada uma delas juntam ente com cada outro exempio que h neste livro foi cuidadosamente autenticada. Estas citaes tm cado diretamente dos lbios ou das penas dum punhado de homens e mulheres que se consideram profetas modernos. E so esses autoproclamados apstolos que esto levando a Igreja a um reino de seitas. Mas no aceie apenas a minha palavra quanto a isso: Satans venceu Jesus na cruz . Kenneth Cop