Newsletter Fevereiro 2012

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Newsletter mensal da organização não governamental moçambicana Justiça Ambiental.

Text of Newsletter Fevereiro 2012

  • Edio #8: 5 de Fevereiro 2012

    Conselho Editor: Anabela Lemos, Janice Lemos, Jeremias Vunjanhe, SlviaDolores e Vanessa Cabanelas/ Layout & design: Ticha

    Propriedade da JA! Justia Ambiental Rua Marconi, no 110, 1o andar MaputoTel: 21496668 Email:ja@ja.org.mz, news@ja.org.mz Foto:A.LemosEditorial

    Caros Leitores,Durante o ms de Janeiro no foi possvel editar este boletim,devido a diversos contratempos, por este facto pedimos asnossas mais sinceras desculpas, mas retomaremos agora apartir do ms de Fevereiro de 2012.Mais um ano se passou e a Justia Ambiental (JA) continuafirme e forte na sua luta por um Pas mais justoambientalmente e socialmente, este ser sempre o objectivo ea misso desta organizao e estes sero tambm os temasdos artigos focados neste boletim.O ano que passou no foi fcil, mas podemos dizer que foiigual ou semelhante a muitos outros que passaram antes, comvitorias, derrotas, alegrias e tristezas mas sempre com aesperana em nossos coraes que amanh ser melhor.E assim vai caminhando ao longo dos anos a JA, nestecaminho em que algunsao longo deste trajecto que gostammuito de apontar dedos, criticar, chamar de ambientalistasradicais, contra o desenvolvimento, contra o Governo, comagendas externas obscuras ou vendidos ao estrangeiro....masns no somos contra... mas sim a favor ... a favor da justia,a favor do direito de viver e lutar por um ambiente maissaudvel, a favor de uma maior dignidade e igualdadesocial....E isto quer dizer ser contra? Gostaramos deperguntar a esses outros que tanto mal dizem...contra qu ouquem?A esperana que um dia a sociedade moambicana seja maisjusta , a esperana que a corrida e a ganncia pelos recursosnaturais no destruam completamente a natureza e o Pas, aesperana que as aces se concretizem numa melhoria devida dos mais vulnerveis desta sociedade, essa a grandeesperana de todos ns, por um futuro melhor e por isto quea Justia Ambiental luta ... e a esperana, essa nunca morre!

    Desejamos um bom ano de 2012 para vocs, leitores,parceiros, financiadores e todos os outros annimos que nosapoiam nesta Luta...que minha, que tua e de todos ns!A Luta continua!

    Esta edio tem mais duas pginas, devido a importncia docaso Vale, mas continuamos a tentar manter as 4 paginasmensais.

    E assim continuamos ns ano aps ano,cantando e rindo e o nosso Pas a serdestrudo( Uma pequena reflexo!)FlorestasMuito se reportou durante o ano o contnuo desmando,ilegalidades e corrupo neste sector, que culminou com aapreenso de 565 contentores de madeira valiosa e toros,como umbila, jambirre, pau preto, sandalo e pau rosa, noporto de Nacala. Depois de mais de 6 meses e vrios artigosescritos e entrevistas com entidades governamentais, derepente h uma mutao gentica e as madeiras j no sopreciosas, o prprio tribunal autorizou as companhiasenvolvidas na ilegalidade a comprarem a madeira, no houveapreenso dos funcionrios corruptos, e o caso fechado.....etudo volta a normalidade, at no haver mais florestas, bem, aio problema se resolve por si mesmo...!Se no existe maisflorestas no existe problema.Recursos hdricosAfectados pela poluio devido aos pesticidas e fertilizantesqumicos, das plantaes, sejam de agro combustveis ourvores exticas, pela minerao de carvo e outros despejosqumicos das industrias e explorao petrolfera, sem controleou monitorizao por nenhuma das entidades responsveis.E o Rio Zambeze ? So barragens, quantas? Para qu equem? Ah... tambm a navegao para o transporte docarvo, aonde as concluses dos famosos (EIAs) estudos deImpactos ambientais so dadas como verdades cientificas oque eticamente incorrecto, porque o tempo e os dadosrecolhidos no demonstram representatividade, e no soviveis para uma anlise cientifica com concluses erecomendaes vlidas.Indstria extractiva,Aonde se viu as companhias serem donas e senhoras doPas, enquanto as comunidades so maltratadas, estropiadasdos seus bens, realocados em reas ridas e sem condiesmnimas de sobrevivncia, e ainda por cima quando serevoltam com todas as injustias praticadas so tratados comocriminosos . Aonde se viu a Multinacional Anadrako fazertestes ssmicos na poca da migrao das baleias, e nadacontra ter sido feito. Aonde se viu golfinhos e peixes darem costa mortos, mas ningum faz testes ou tem interesse emsaber a razo disso.Moambique, um Pas em que caminha a passos largos deinjustia para injustia, com um sistema legal/jurdico incapaz,

  • Japo oferece 19611 toneladas de arroz aMoambiqueNas vrias notcias da semana passada, vi a notcia da ofertade arroz do Japo e esta notcia que partida positiva, fez mepensar na radioactividade libertada no acidente de Fukushimae nas consequncias deste. Um acidente daquela dimensoinfelizmente tem srias consequncias no apenas nomomento, os seus impactos e a bioacumulao vo seevidenciar por muitas mais anos. E que impactos ter naproduo de alimentos? Radioactividade no tem fronteiras, econforme as notcias na altura e ainda agora, o acidente deFukushima tem sido comparado ao de Chernobyl que aindahoje tem graves e irreversveis consequncias na sade daspessoas, nomeadamente aumento dos casos de cancro emutaes genticas diversas, ainda hoje nascem emChernobyl crianas com srias deformaes fsicas e existemzonas onde no permitido o acesso por estarem altamentecontaminadas. Numa breve pesquisa pela internet possveller sobre casos de contaminao de arroz proviniente daprovincia de Fukushima. A ttulo de exemplo apenas, importacitar uma artigo ...detectaram elevados nveis de csioradioativo nas plantaes de arroz de cinco fazendas daregio, informa neste sbado a rede de televiso pblica NHK.As anlises foram realizadas aps as autoridades proibirem,na semana passada, a distribuio de arroz em toda aprovncia, ao se detectar uma poro de arroz contaminadacom csio radioativo no distrito de Oonami, a 56 km da usinanuclear danificada pelo terremoto seguido de tsunami queatingiu o nordeste do Japo em maro. As ltimas amostrascontaminadas tambm procedem de Oonami e chegaram arevelar um nvel de at 1.270 becquerels de csio radioativopor kg, muito acima do limite mximo de 500 becquerels porkg estabelecido pelo governo japons. Em meio preocupao com a contaminao, as autoridades deFukushima vm realizando nos ltimos dias anlises sobre oarroz das 154 fazendas agrcolas que se encontram nessaregio".Retirado de:http://noticias.terra.com.br/mundo/noticias/0,,OI5489581EI8143,00.Japao+detecta+radiacao+elevada+em+arroz+na+regiao+de+ Fukushima.htmlNo seria prudente testar este arroz e certificarmonos de queest livre de radioactividade antes de comear a distribuilo??? As notcias no mencionam a provinincia exacta doarroz, nem o seu destino final, da a preocupao manterse!!!Vamos ser cautelosos?! Onde podemos obter uma amostradeste arroz para anlise?

    A ENI e o Lixo da SuspeitaO Pas e a opinio pblica moambicana tm sidosurpreendidos e confrontados por noticias de uma operao detransporte de grandes quantidades de lixo realizada pela EnteNazionale IdrocarburiENI east africa spa, uma multinacional decapitais italianas envolvida na prospeco e pesquisa depetrleo e gs na bacia do Rovuma, na Costa Norte deMoambique. A referida operao foi efectuada num percursode cerca de 500km entre a cidade de Pemba na Provncia deCabo Delgado e o municpio de NacalaPorto na provncia deNampula sem a devida autorizao e conhecimento dasautoridades competentes das provncias de Cabo Delgado,Nampula e do Municpio de Nacala Porto.As autoridades municipais de Nacala Porto e das Direcesprovinciais para a Coordenao da Aco Ambiental deNampula e de Cabo Delgado de Nampula contactadas pela JA!confirmam a realizao desta operao e suspeitam que amesma tenha sido decorrida desde incios de Janeiro ltimo atao dia 27 do mesmo ms, dia em que a operao foineutralizada. No dia 27 de Janeiro de 2012 a polcia Municipalde Nacala Porto apreendeu um camio cavalo carregado dedois contentores de lixo, proveniente de Pemba para seremdespejados na lixeira municipal. Segundo o Inspectorchefe daDireco Provincial para a Coordenao da Aco Ambientalde Nampula, Norberto Narciso dada a complexidade daoperao e do assunto estamos ainda a investigar para apuraras quantidades e perigosidade dos resduos slidos epossveis responsabilidades da ENI e do transportador dacarga. Norberto Narciso disse ainda que uma amostra de lamacom a cor acastanhada dos resduos j esto na posse daDireco provincial de Sade de Nampula e do Ministrio daSade para anlises laboratoriais.A ENI east africa spa contactada pela Justia Ambiental emMaputo no dia 6 de Fevereiro recusouse a abordar o assunto.Depois de muita insistncia, a ENI mostrouse disposta apronunciarse sobre a operao atravs do seu sector deimprensa, facto que ainda no aconteceu. Entretanto, orepresentante da ENI em Cabo Delgado para rea desegurana e Ambiente, identificado por Mingo disse que a ENItransportou o lixo de Pemba para Nacala Porto porque aprovncia de Cabo Delgado no tem condies para adeposio de grandes quantidades de lixo. A fonte negou tratarse de lixo duvidoso e perigoso. No existe nenhum lixoduvidoso. Foram trs viagens de lixo domstico. Tudo quantofazemos comunicamos as autoridades.

    Mais uma vez o Pas est diante de um caso controverso, malesclarecido e mal parado que se arrisca a desaparecer nasmisteriosas gavetas do Governo e do Estado moambicanosem nenhuma explicao plausvel. Esta operao detransporte de lixo e a atitude da ENI denuncia um totaldesrespeito e falta de considerao pelas instituies doGoverno e de Estado soberano. Tambm demonstra asfragilidades e incapacidades das autoridades nacionais faceaos grandes investimentos em curso no Pas. Denuncia aindafortes indcios de ilegalidades que podem consubstanciarseem prticas de corrupo e de natureza criminal.

    em que a corrupo vista como algo absolutamente natural,aonde os problemas so varridos e escondidos para debaixodas esteiras da vergonha, aonde os pobres no tm voz e soroubados das suas terras, sempre em nome dodesenvolvimento e da luta contra a pobreza.Mas 2011 terminou, e