Click here to load reader

UNIDADE 4 Teoria Da Burocracia

  • View
    72

  • Download
    8

Embed Size (px)

DESCRIPTION

SLIDE PARA ENTENDIMENTO WEBER

Text of UNIDADE 4 Teoria Da Burocracia

  • A Teoria da Burocracia Conceitos Bsicos Caractersticas Bsicas das Organizaes Burocrticas Disfunes da Burocracia Viso Crtica do Modelo Burocrtico Weberiano Burocracia e Ambiente Novos Modelosnfase na Organizao Max Weber Robert K. Merton Philip Selznick Alvin W. Gouldner Richard Hall

  • A Teoria da BurocraciaConceitos BsicosA Teoria da Burocracia foi inspirada na obra de Max Weber (1864-1920), socilogo, que pertenceu a uma gerao de professores liberais alemes.

    Estudou e publicou extensa bibliografia sobre as grandes organizaes dando a elas o nome de burocracia. Considerou o sculo XX como o sculo das organizaes burocrticas que constituram a base do sistema de produo capitalista, racional e legal, caracterizando uma nova era na histria da humanidade.

    Weber estudou as organizaes do ponto de vista do estruturalismo, preocupando-se basicamente com a sua racionalidade, ou seja, analisando de que forma as organizaes utilizavam os recursos e meios existentes para atingir de forma otimizada os objetivos pretendidos.

  • A Teoria da BurocraciaConceitos BsicosNo sentido da racionalidade, o modelo burocrtico classificado como uma forma de organizao humana que pretende alcanar a eficincia por meio da utilizao racional dos recursos existentes. O ato de racionalizar as organizaes realizado pelos administradoresA racionalidade organizacional representa uma das trs formas bsicas da racionalidade da sociedade moderna, existindo tambm a racionalidade econmica, caracterizada pelo capitalismo e a racionalidade cientfica, caracterizada pelas tecnologias.

    O trabalho de Weber sobre burocracia permaneceu no reconhecido nos Estados Unidos at os anos 1940, como aconteceu com Fayol e outros.

  • A Teoria da BurocraciaConceitos BsicosO impacto do modelo burocrtico de administrao sobre as organizaes to grande que, apesar das significativas alteraes sofridas pelas empresas nos ltimos anos, a grande maioria delas utilizam, em graus diferenciados, princpios do modelo, tornando-se importante o desenvolvimento de uma viso crtica a respeito dos aspectos positivos e negativos da utilizao do mesmo, bem como o conhecimento das disfunes decorrentes da aplicao inadequada de seus princpios .Apesar das organizaes em geral no possurem um modelo puro de burocracia, muitas delas aproximam-se bastante do modelo ideal estudado por Weber, como por exemplo o Estado Moderno, a Igreja, o Exrcito, as Escolas e as Associaes, entre outras.

  • A Teoria da BurocraciaEstrutura da AutoridadeUma das concepes bsicas de Weber a sua teoria da autoridade, diferentemente da estrutura de poder e de persuaso. Para Weber, a essncia da autoridade que as ordens ou decises so obedecidas voluntariamente, porque a fonte de onde elas emanam considerada legtima e porque envolve a prvia suspenso do julgamento da sua natureza.

    A autoridade do indivduo, numa burocracia, repousa no cargo e no na pessoa que o ocupa, caracterizando-se por:

    Implicar obedincia voluntria (no por coao); Ser legtima e legal; Implicar suspenso antecipada do julgamento pelo subordinado da ordem recebida; Ser induzida pelo grupo.

  • A Teoria da BurocraciaTipos de Sociedade e de AutoridadeSociedade tradicional: onde predominam caractersticas patriarcais e patrimonialistas. Ex: famlia, cl, monarquias.

    Autoridade tradicional: pessoal e seus limites so fixados pelos costumes. Pode ser transmitida por herana de pai para filho. Tende a ser conservadora e as mudanas geralmente implicam em rompimento violento com as tradies estabelecidas. O lder tradicional comanda em virtude de seu status de sucessor ou herdeiro. A legitimao do poder ocorre pela crena no passado eterno - "as coisas sempre foram feitas assim". Ex: autoridade exercida por donos de empresas familiares mais fechadas, ou por funcionrios antigos que participaram, no passado, de momentos de sucesso da empresa e cuja identidade se confunde com a prpria identidade da empresa.

  • A Teoria da BurocraciaTipos de Sociedade e de AutoridadeSociedade carismtica: onde predominam caractersticas personalsticas. Ex: grupos revolucionrios e faces radicais de partidos polticos.

    Autoridade carismtica: ocorre em funo de uma qualidade extraordinria e indefinvel de uma pessoa. A autoridade no racional, no herdada ou delegada. Tende a ser instvel e arbitrria. A legitimao do poder ocorre por influncia da personalidade do lder e em funo da crena e da valorizao da caracterstica extraordinria, ou seja, o lder carismtico mantm o poder enquanto seus seguidores reconhecerem nele foras diferenciadas das qualidades humanas normais. Ex: lderes polticos, lderes revolucionrios, lderes sindicalistas, capito de uma fbrica, heris, etc

  • A Teoria da BurocraciaTipos de Sociedade e de AutoridadeSociedade legal, racional ou burocrtica: onde predominam normas impessoais e legais. Ex: Sociedade contempornea.

    Autoridade legal, racional ou burocrtica: Baseia-se no estabelecimento de leis, normas e regras racionais, impessoais e formais. O indivduo que detm autoridade exerce o comando seguindo leis e regulamentos racionalmente estabelecidos, e no de acordo com sua vontade. A legitimao do poder se d em funo da crena na justia das regras, leis e normas previamente estabelecidas e o poder exercido dentro dos limites fixados por elas. Desta forma os nveis hierrquicos estabelecem a estrutura de poder, quanto mais alto na hierarquia maior o poder do cargo. As relaes dos indivduos so estabelecidas por regras impessoais e escritas, definidas de forma racional, com os direitos e deveres de cada posio.

  • A Teoria da BurocraciaCaractersticas Bsicas das Organizaes Burocrticas1 - Carter racional das normas e regulamentos As organizaes burocrticas caracterizam-se pela sua racionalidade porque buscam utilizar da forma mais eficiente os recursos disponveis para atingir os objetivos definidos, neste sentido, as regras e normas pretendem ser coerentes com os objetivos visados.2 - Carter legal das normas e regulamentos As organizaes burocrticas so legais porque esto estruturadas e organizadas em leis, regras e normas preestabelecidas, conferindo aos cargos, autoridade e poder de mando sobre os subordinados. Neste sentido a autoridade burocrtica baseia-se no Direito.

  • A Teoria da BurocraciaCaractersticas Bsicas das Organizaes Burocrticas3 - Carter formal das normas e regulamentosAs organizaes burocrticas so formais porque seu funcionamento no depende da vontade individual e espontnea de seus participantes. Funcionam baseadas num sistema de normas racionais, detalhando antecipadamente como as coisas devem ser feitas e como a organizao deve funcionar, por meio de estatutos, regulamentos e regimentos.Com a formalidade das normas, do planejamento e execuo das atividades busca-se tornar mais fcil o controle por parte dos administradores, j que existem mecanismos de comparao do que se espera que o funcionrio execute (a norma formal) com o que ele efetivamente executou (resultados alcanados). Por outro lado, fica claro para os subordinados o que se espera que eles faam diante de uma determinada situao.

  • A Teoria da BurocraciaCaractersticas Bsicas das Organizaes Burocrticas4 - Diviso racional do trabalhoAs organizaes burocrticas caracterizam-se pela autoridade, pela diviso racional do trabalho e da responsabilidade dos cargos e funes existentes. Desta forma, cada indivduo, cada rea e cada departamento possui atribuies, competncias e limites de aes bem definidos. Com isso pretende-se que no ocorra conflito de mando, duplicidade de aes e interferncia nas competncias alheias, o que prejudicaria a racionalidade e o funcionamento da estrutura existente.Neste sentido, o poder dos funcionrios impessoal e deriva do cargo. A obedincia ao superior tambm impessoal e deriva do respeito hierarquia e no necessariamente pertinncia da ordem dada.

  • A Teoria da BurocraciaDisfunes da BurocraciaRobert K. Merton (1952) fez um estudo das conseqncias imprevistas e indesejadas que afetam as organizaes burocrticas levando-as imperfeio e ineficincia. A estas conseqncias indesejadas Merton deu o nome de disfunes da burocracia:

    Seguir normas e regulamentos passam a ser os objetivos finais dos funcionrios e da organizao. Ficando o cliente relegado a segundo plano. Adoo de regras como justificativa para limitar a amplitude do trabalho a ser executado, tornando-o rgido, inflexvel e incapaz de responder de forma eficiente as demandas no previstas de trabalho. O funcionrio perde a iniciativa e criatividade.

    Acomodao ao cargo e resistncia mudanas, em virtude da previsibilidade causada pela normatizao. Bloqueio e restrio nas comunicaes, em virtude do excesso de formalidade nas comunicaes e do rigor na diviso hierrquica.

  • A Teoria da BurocraciaViso Crtica do Modelo WeberianoAs organizaes modernas exigem posturas diferenciadas da rigidez e da impessoalidade burocrtica. A caracterstica central dos novos modelos baseia-se na cooperao, na potencialidade criadora do homem e at no desejo permanente de criao, caracterstica que na prtica constitui-se em poderosa arma de transformao organizacional. Posturas rgidas e conservadoras com relao ao comportamento tendem a engessar as organizaes, no permitindo que as mesmas possam se adaptar s mudanas ambientais. De um modo geral, podemos dizer que o modelo weberiano analisa a burocracia como um sistema fechado e estvel, que no considera os aspectos do comportamento informal. Neste sentido, a rigidez do modelo burocrtico no permite a adaptao da organizao s exigncias dos clientes, mudanas ambientais e tambm s exigncias internas de seus participantes.

  • A Teoria da BurocraciaBurocracia e Ambiente Novos ModelosModelo burocrtico proposto por Philip Selznick 1942Em 1942, Philip Selnick realizou estudos na empresa Tennessee Valley Authority (TVA), onde procurou demonstrar a flexibilidade e a adaptao da burocracia s necessidades especficas de seus clientes, bem como, a possibilidade da burocracia permitir maior autonomia de ao por parte de seus funcionrios. Selnick observou que, para que a TVA obtivesse aceitao local de seus servios, a mesma foi obrigada a alterar drasticamente os seus objetivos e melhorar a sua estruturao interna, adaptando-se ao atendimento das necessidades dos clientes.

    Segundo o autor, a organizao burocrtica deve agir como uma estrutura social adaptativa para que possa atender adequadamente s demandas ambientais e s necessidades dos clientes.

  • A Teoria da BurocraciaBurocracia e Ambiente Novos ModelosModelo burocrtico proposto por Philip Selznick (cont.)Segundo Selznick, quanto mais instvel for o ambiente externo e quanto menores as possibilidades informais de interao interna, maiores sero as tenses e os dilemas da organizao. Desta forma, as burocracias devem buscar uma dinmica de adaptao atravs da criao de mecanismos de interao com o ambiente externo. Por outro lado, devem estar constantemente revendo seus objetivos no sentido de adapt-los s necessidades do ambiente.O processo de adaptao e de transformao das estruturas deve ser algo permanente, objetivando-se uma maior eficincia interna no processo de atendimento aos clientes.

  • A Teoria da BurocraciaBurocracia e Ambiente Novos ModelosGraus de Burocratizao - Alvin GouldnerAlvin W. Gouldner, realizou pesquisas numa fbrica de gesso (1948 1951) e constatou que no existe uma nica forma de se estabelecer um modelo burocrtico dentro de uma organizao, mas sim vrias possibilidades, resultantes dos graus diferentes de aplicao dos princpios do modelo. Para Gouldner, as regras burocrticas tm a funo principal de diminuir as tenses provocadas pela superviso cerrada exercida pelos supervisores em relao aos seus subordinados, e conclui:Quanto maior a exigncia de controles, maior a necessidade de imposio de regras burocrticas que definam o que pode ou no ser feito e que regulam as relaes de trabalho.

  • A Teoria da BurocraciaBurocracia e Ambiente Novos ModelosGraus de Burocratizao - Alvin Gouldner (cont.)Para Gouldner, o processo burocrtico constitui-se num ciclo instvel de regras estabelecidas para controlar rigidamente o comportamento, o que provoca tenses, desmotivao e conflitos, o que, por sua vez, leva a um acirramento dos controles e assim por diante, tornando a organizao um sistema instvel.Neste sentido o sistema burocrtico pode ter vrios tipos de modelos que oscilam entre o excesso de burocratizao num extremo e a ausncia de princpios burocrticos no outro extremo. O desafio do administrador seria encontrar o grau adequado de utilizao dos princpios burocrticos, levando em considerao fatores como a cultura da organizao, as crenas e valores individuais, a motivao humana, as tecnologias empregadas e o ambiente, entre outros.

  • A Teoria da BurocraciaBurocracia e Ambiente Novos ModelosDimenses da Burocracia - Richard Hall (1962)

    Hall destacou a existncia de seis dimenses bsicas de uma determinada estrutura organizacional burocrtica: Formalizao: indica o grau em que as normas, regras, procedimentos e comunicaes so registrados por escrito em manuais, e documentos. Quanto maior e mais detalhado o nmero de registros, maior o grau de formalizao. Padronizao: indica o grau em que as rotinas ( de trabalho, cargos e funes) so padronizadas. Quanto mais padronizado o trabalho, maior o grau de padronizao. Especializao: indica o grau em que o trabalho dividido dentro da organizao. Quanto mais dividido for o trabalho, maior ser o grau de especializao.

  • A Teoria da BurocraciaBurocracia e Ambiente Novos ModelosDimenses da Burocracia - Richard Hall (cont.)

    Hierarquizao: indica o grau em que definido a sistema de hierarquia de autoridade. Quanto maior o nmero e mais detalhado forem os nveis hierrquicos, maior o grau de hierarquizao. Centralizao: indica o grau de concentrao de autoridade no processo de tomada de deciso. Quanto mais no topo da pirmide hierrquica estiver localizada a autoridade para a tomada de deciso, maior ser o grau de centralizao. Impessoalidade: indica o grau em que as relaes pessoais ocorrem apenas em funo do cargo ou da hierarquia. Quanto mais a relao ocorrer em funo do cargo, maior ser o grau de impessoalidade existente.

  • A Teoria da BurocraciaO Desafio do Administrador O Desafio do Administrador O desafio para o administrador o de utilizar adequadamente as vrias dimenses, tendo em mente que graus elevados de burocratizao conduzem rigidez e inflexibilidade e graus insuficientes de burocratizao conduzem desorganizao e indisciplina..

  • A Teoria da BurocraciaComparao entre as Teorias Clssicas TaylorAdministrao CientficaFayolTeoria AdministrativaWeberTeoria da Burocracia Treinamento em regras e rotinas Uma melhor maneira de fazer Motivao financeira Diviso do trabalho Busca de eficincia eprodutividade

    Definio de funes administrativas

    Diviso do trabalho

    Hierarquia

    Autoridade

    Equidade Sistema de regras

    Impessoalidade

    Diviso do trabalho

    Hierarquia

    Estrutura definida de autoridade

    Racionalidade

    No considera as necessidades sociaisFoco no empregadoFoco na estruturaFoco na organizaoNo considera o ambiente externoRigidez e Lentidonas decises