Monografia Silvana Pedagogia 2012

  • View
    13.992

  • Download
    19

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Pedagogia 2012

Transcript

  • 1. UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB DEPARTAMENTO DE EDUCAO CAMPUS VIICOLEGIADO DE PEDAGOGIASILVANA DOS SANTOS FARIAS A INDISCIPLINA ESCOLAR NA PERCEPO DOSPROFESSORES CONCLUINTES DA FORMAO EM PEDAGOGIA SENHOR DO BONFIM 2012

2. SILVANA DOS SANTOS FARIAS A INDISCIPLINA ESCOLAR NA PERCEPO DOSPROFESSORES CONCLUINTES DA FORMAO EM PEDAGOGIA Trabalho de concluso de curso apresentado Universidade do Estado da Bahia UNEB, como requisito obrigatrio para obteno do grau de Licenciatura em Pedagogia. Orientador: Prof. Dr. Gilberto Lima dos SantosSENHOR DO BONFIM2012 3. UNIVERSIDADE DE ESTADO DA BAHIA UNEBDEPARTAMENTO DE EDUAO CAMPUS VIISENHOR DO BONFIM BA. COLEGIADO DE PEDAGOGIAMonografia submetida aprovao, como requisito parcial obteno do grau deLicenciatura em Pedagogia pela Universidade do Estado da Bahia UNEB/Departamentode Educao Campus VII, pela seguinte banca examinadora: Aprovada em ____ de _____________de 2012________________________________ _______________________________ Prof. ExaminadorProf. Examinador__________________________________ Prof. Examinador e Orientador 4. Dedico este trabalho em primeiro lugar ao meu maravilhosoDeus que me fortaleceu durante esta caminhada; aos meusamados pais, Eraldo e Pedrina pelo apoio constante; ao meuquerido filho, Gabriel que um dia possa compreender aminha ausncia em sua vida para me dedicar aos estudos; eaos meus irmos. E no deixando de agradecer de formagrata a Alex pelo incentivo e apoio; ao amigo Marcelo pelacolaborao constante; e ao Pastor Erivaldo pelas suasgrandiosas contribuies. Dedico as minhas novas amizadesconcedidas que tornaram grandes companheiros nestajornada. Enfim, a todos que no mediram esforos para queeu chegasse at esta etapa de minha vida. 5. Ao meu professor Orientador, Gilberto Lima dos Santos, pela sua valiosaorientao no amadurecimento dos meus conhecimentos e conceitos que levarama execuo e concluso desta monografia, e tambm todos os meus professoresque me acompanharam, incentivaram me orientaram durante a graduao, emespecial, a todos os meus colegas de turma que contriburam e participaram comosujeitos dessa pesquisa na concluso deste trabalho. 6. RESUMOO presente trabalho aborda o problema da indisciplina nas sries iniciais do Ensino Fundamental,discutindo as causas e situaes em que ocorrem. Com os objetivos de conhecer a percepo queos professores concluintes da formao pedaggica tm a respeito da indisciplina do alunomanifestada em sala de aula; como os docentes conceituam o comportamento indisciplinado doseducandos; dimensionar a influncia do problema da indisciplina na escola na aprendizagem doaluno; Identificar os fatores que geram a indisciplina. Para alcanar os objetivos foi realizada umapesquisa de campo de natureza qualitativa, em que foram utilizados como instrumentos de coleta dedados o questionrio fechado e a entrevista semiestruturada. Cujos dados foram analisados,comparados e comentados, tomando como sujeitos, dez estudantes concluintes do curso depedagogia que j atuam na docncia de sries iniciais do Ensino Fundamental, alm da reviso devasto material literrio j existente sobre o assunto. Com base em diversos autores como Garcia(1999), Ghiraldelli Jr (2009), Paiva (1981), Priante (2002), Romanelli (2003), Mizukami (1986),Saviani (1991), Tiba (2006) , Vasconcellos (1994), Xavier (2002). Como resultados foramencontrados, entre outros dados importantes, que os sujeitos interpretam como indisciplina todocomportamento que interfere negativamente na aprendizagem, inclusive a falta de ateno durantea aula; que a grande maioria dos educadores consideram os fatores familiares os mais importantescomo influncia no comportamento disciplinar dos alunos; que o principal comportamentoconsiderado indisciplinado encontrado nas experincia dos sujeitos a agresso seja na formaverbal ou fsica direcionada aos colegas ou aos professores.Palavras-chaves: Indisciplina. Escola. Relao Professor/Aluno 7. LISTA DE GRFICOS E QUADROSGRFICOS01Gnero dos sujeitos 3702Faixa etria dos sujeitos 3703Formao dos sujeitos 3804Tempo de experincia dos sujeitos 3905Carga horria despendida4006Sistema de ensino dos sujeitos4107Dificuldade com o controle da classe4208Comportamentos considerados indisciplina44QUADROSQuadro 01 Categorias dos fatores que geram indisciplina 43 8. SUMRIO INTRODUO 91 DEFININDO O PROBLEMA10 CAPTULO I1 HISTRIA E CONCEITOS141.1 PRIMEIRAS PRTICAS DISCIPLINADORAS NA EDUCAO BRASILEIRA 141.2 PRINCPIOS EDUCATIVOS DA DISCIPLINA JESUTICA 17O CASTIGO COMO FORMA DE DISCIPLINAMENTO EDUCACIONAL1.3 18JESUTICO1.4 A ESCOLA E O ENSINO TRADICIONAL NA ATUALIDADE 201.5 COMPREENSO DO TERMO INDISCIPLINA 231.6 O PROFESSOR NA CONTEMPORANEIDADE271.7 A RELAO PROFESSOR ALUNO 30 CAPTULO II2PROCEDIMENTOS METODOLGICOS312.1 TIPO DE PESQUISA312.2 LCUS DA PESQUISA 322.3 SUJEITOS DA PESQUISA322.4 TCNICAS DE COLETA DE DADOS 332.4.1 Questionrio fechado332.4.2 Entrevista semiestruturada342.5 TCNICA DE ANLISE DE DADOS 34 CAPTULO III3ANLISE E INTERPRETAO DOS RESULTADOS 363.1 DISCUSSO SOBRE O INSTRUMENTO 1 363.1.1 Perfil dos sujeitos 363.1.1.1 Gnero dos sujeitos 363.1.1.2 Faixa etria dos sujeitos 373.1.1.3 Formao dos sujeitos 383.1.2 Experincia docente dos sujeitos393.1.2.1 Tempo de experincia393.1.2.2 Carga horria despendida403.1.2.3 Sistema de ensino em que atuam413.1.3 Relao dos sujeitos com o tema da pesquisa 413.1.3.1 Dificuldades com relao ao controle de classe41 9. 3.1.3.2 A indisciplina na contemporaneidade423.1.3.3 Fatores influentes da indisciplina 433.1.3.4 Comportamentos indisciplinados 443.2 CONTRIBUIES DO INSTRUMENTO 2 453.2.1 Sobre indisciplina 453.2.2 Sobre a competncia e a escola 473.2.3 Sobre os fatores que originam a indisciplina na escola 483.2.4 Sobre o contexto da indisciplina 493.2.4.1 Quando a indisciplina acontece 493.2.4.2 O momento de maior dificuldade no controle disciplinar 493.2.4.3 Atividades que influenciam no aspecto disciplinar503.2.4.4 Reflexos na aprendizagem 51CONSIDERAES FINAIS 52REFERNCIAS54APNDICES 10. 9 INTRODUOO tema indisciplina no ambiente escolar tende a ser um nivelador de relaes nasconversas e discusses entre educadores. No importa o tempo de experincia deum professor, no importa o nvel de sua formao, independente de sua idade ouhabilidade tcnica, a indisciplina sempre um assunto sobre o qual todos tmsempre alguma experincia a relatar. Esse talvez o assunto mais comum epossivelmente o mais frequente, o ponto onde todos se igualam. Sempre que oprofessor vai estrear numa nova turma, esse aspecto se torna uma das suasprincipais preocupaes. Mesmo os acadmicos nos diversos cursos de licenciatura,temem encontrar dificuldades nessa rea a despeito de todo conhecimento ehabilidades que adquirem em sua formao. No raramente, encontramos ou somosinformados de educadores, muitos deles licenciados, que abandonaram a carreiradocente por causa do problema da indisciplina.Este trabalho se constitui numa modesta contribuio com a discusso dessatemtica to oportuna e to carente de maiores e mais profundos estudos.Discutimos aqui o problema da indisciplina partindo da reviso de vrios textos e depesquisa de campo onde so constatadas realidades bastante importantes naexperincia de professores que atuam na docncia do Ensino Fundamental aotempo em que concluem a formao pedaggica.O primeiro captulo compreende uma vista panormica dos registroshistricos das prticas disciplinadoras no contexto escolar da educao brasileira,alm de discutir sob a luz de diversos trabalhos e autores que j se debruaramsobre essa temtica, aspectos tericos que envolvem o assunto, tais como: oconceito de indisciplina, as concepes de educao tradicional e atual, os aspectossociais e psicolgicos que cercam o problema, a relao aluno professor, entreoutros. O segundo captulo traz um relato do mtodo utilizado no processo deconstruo desse trabalho. Em seguida, no terceiro captulo, encontra-se a anlise einterpretao dos resultados da pesquisa de campo tambm articulada com asdiscusses tericas. Aps isso, so apresentadas as Consideraes Finais trazendoas impresses da autora sobre a questo, aps o estudo terico e as observaesda prtica na experincia dos sujeitos. 11. 10 1. DEFININDO O PROBLEMA A educao entendida como um processo de formao e desenvolvimento,de integrao social e pessoal dos indivduos. Este processo educacional atingetodos os povos, embora variando de sociedade para sociedade, de um grupo socialpara outro. A educao est presente em todas as civilizaes, estando ou noperpetuada em um sistema de ensino institucionalizado. Somos conduzidos por elaa comportar-nos e agirmos de determinadas maneiras, sendo levados a incorporaros princpios, normas e regras impostas pela sociedade em que vivemos. Desde o momento do nascimento, o ser humano inicia sua aprendizagem dehbitos, costumes, valores, papis sociais e atitudes que contribuiro para odesenvolvimento de sua personalidade, o que ir conduzir o indivduo na formaode sua maneira de sentir, pensar e agir. Por esta razo, necessrio entendermos a educao como um extensoprocesso que socializa o sujeito em uma determinada cultura, atravs do qualinterage constantemente. O desenvolvimento de tais processos ocorre por meio daconvivncia social e da vida em comum com nossos semelhantes. O processoeducacional objetiva tornar o indivduo, consciente de que parte integrante dasociedade acumulando como ser social, funes individuais e coletivas de formaautnoma. Este processo no tem fim, constante, pois o ser humano encontra-seem constante aprendizagem. A ao educativa processa-se de acordo com acompreenso que se tem da realidade social em que se est imerso (ROMANELLI,2003, p. 23). Os indivduos organizam suas vidas em sociedade atravs de instituiessociais, que tem por finalidade satisfazer as necessidades humanas, incluindo asdiversas formas das relaes humanas para organizar o meio que convivem. Aeducao visa capacitar os indivduos a viverem de forma, autnoma e madura nasociedade, convivendo de igual para igual com os