Click here to load reader

ARRANJO FÍSICO AYOUT - vazzi.com.br · PDF filetipos e cores das pinturas. 1 ... implementação do arranjo físico na empresa, o analista deve verificar a lista de checagem anteriormente

  • View
    214

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of ARRANJO FÍSICO AYOUT - vazzi.com.br · PDF filetipos e cores das pinturas. 1 ......

  • ARRANJO FSICO / LAYOUT

    Disciplina: Organizao de Sistemas e Mtodos

    Instituto Educacional de Monte Alto IEMA

    Faculdade de Monte Alto - FAN

    Prof. Marcio R. G. de Vazzi

  • LAYOUT OU ARRANJO FSICO

    Pode ser descrito como sendo a disposio doselementos de uma empresa, proporcionando umambiente adequado para o melhor desempenhode tarefas, observando se os fluxos racionais detrabalho, visando obter maior economia de tempoe movimentos, conseqentemente, obter maiorprodutividade de recursos empregados noprocesso produtivo.

    Localizao fsica de todas as instalaes,equipamentos, mquinas e pessoal queconstituem os centros de trabalho da operao

  • COMO COMEAR O PROJETO DE UMARRANJO FSICO?

    1 PASSO - levantamento da situao atual;

    2 PASSO - estudo de solues alternativas;

    3 PASSO - consolidao da soluo escolhida; e

    4 PASSO - implementao e avaliao do arranjofsico escolhido.

  • 1 PASSOLEVANTAMENTO DA SITUAO ATUAL

    a) Estudo do local:

    planta baixa do espao disponvel; vias de acesso; anlise da adequao do ponto de localizao; preo por metro quadrado; possibilidade de adaptaes e nveis de

    reforma possveis; possibilidade de ampliaes e nvel de

    flexibilidade do imvel; anlise das instalaes do imvel; e limite de carga suportado pelo imvel.

  • 1 PASSOLEVANTAMENTO DA SITUAO ATUAL

    b) Estudo das divises, mveis eequipamentos: formatos e amplitudes das salas; medidas e quantidades dos mveis e

    equipamentos; forma de uso de salas, mveis e

    equipamentos identificados; aparncia e ambiente proporcionado.

  • 1 PASSOLEVANTAMENTO DA SITUAO ATUAL

    c) Levantamento do fluxo de trabalho edas atividades relacionadas: identificao e anlise das atividades dos

    funcionrios; estudo do fluxo de trabalho; estudo dos movimentos efetuados pelos

    funcionrios estudo dos tempos de execuo das vrias

    operaes; estudo da adequao do uso de mquinas

    e equipamentos.

  • 1 PASSOLEVANTAMENTO DA SITUAO ATUAL

    d) Anlise do ambiente para a execuo dasatividades, em que o analista pode consideraros seguintes aspectos bsicos: temperatura (ideal entre 18o e 22o) e umidade

    baixa; Iluminao (Norma ABNT-NB 57); ventilao; espao; Rudo

    NB-95nveis de rudo aceitveis; NB-101tratamento acstico em recintos

    fechados; NB-268medidas de nvel de som em

    ambientes internos e externos; Poeira; e tipos e cores das pinturas.

  • 1 PASSOLEVANTAMENTO DA SITUAO ATUAL

    e) Preparao da lista de checagem.

    f) Preparao de miniaturas dos mveis eequipamentos, de acordo com a escala da plantabaixa.

  • REFEITRIO

    Obrigatrio por lei (artigo 217 da CLT e Portarian.8/68 do DNSHT), com mais de 300 funcionrios;

    Para menos de 300 funcionrios a lei obriga aexistncia de local adequado para refeies, pias(lavar marmita e outra lavar as mos),sanitrios, gua potvel mesa e assento einstalao para aquecimento das refeies;

    Norma NR 24

    DNSHT Departamento Nacional de Segurana e Higiene do Trabalho

  • 2 PASSOESTUDO DAS SOLUES E ALTERNATIVAS

    O analista deve iniciar seu estudo considerando asmedidas-padro para o desenvolvimento dos trabalhos:

    (OLIVEIRA, Djalma 2002)

  • 2 PASSOESTUDO DAS SOLUES E ALTERNATIVAS

    Padres de distncia para arranjo fsico de escritrios:

    (OLIVEIRA, Djalma 2002)

  • 2 PASSOESTUDO DAS SOLUES E ALTERNATIVAS

    Outras medidas bastante utilizadas emarranjo fsico:

    bebedouros: 10 m de distncia mximapara cada funcionrio;

    corredores internos: largura de 0,85 a 1,00m; e

    circulao principal: 2 m de largura. Alm dos quadros anteriores, o analista

    tambm deve considerar o quadrorepresentativo das interligaes preferenciaispara o arranjo fsico, tendo em vista analisaros pares resultantes destas ligaes.

  • INTERLIGAES PREFERENCIAIS

    (OLIVEIRA, Djalma 2002)

    Matriz triangular com cruzamento identificando as

    interligaes por cdigos:

  • 3 PASSOCONSOLIDAO DA SOLUO ESCOLHIDA

    Nesta etapa, o analista deve consolidar eapresentar o arranjo fsico, utilizando asseguintes ferramentas:

    Desenhos grfico de linha, representando osfluxos;

    Maquetes miniaturas dos mveis eequipamentos;

    Planta baixa; e Cronograma da implantao indicando dias e

    prazo total. Nesta etapa, tambm deve ocorrer a discusso dasdiversas solues, com as vrias chefias e,eventualmente, funcionrios diretamenteafetados pelas mudanas propostas.

  • 4 PASSOIMPLANTAO E AVALIAO DO ARRANJO FSICO ESCOLHIDO:

    Nesta etapa, o analista deve efetuar aimplantao de acordo com o cronograma eacompanhamento das medidas propostas, pormeio da anlise do volume de trabalho, rapidezde sua execuo e conforto do funcionrio.

    Para concretizar, de maneira mais adequada, aimplementao do arranjo fsico na empresa, oanalista deve verificar a lista de checagemanteriormente elaborada, para concretizaruma situao tal como o processo de mudanade um escritrio.

  • TIPOS DE LAYOUT/ARRANJO

    CORREDOR

    Incentiva relaes de grupo Ideal para trabalho em pequenas equipes Preo das divisrias Espao perdido

    Pelo menos 5% do espao perdido com paredes

    Paredes e divisrias demarcam grupos Formao involuntria de grupos Interao em cada grupo maior

    que entre grupos necessrio cuidado na criao dos

    grupos

  • TIPOS DE LAYOUT/ARRANJO

    ESPAO ABERTO

    Grandes reas, grande concentrao humana

    Geralmente ocupa todo um andar Separa espao apenas para as chefias Privilegia a comunicao Tarefas que no exijam grande

    concentrao Difcil controle disciplinar A chefia deve ficar de frente para os

    subordinados

  • TIPOS DE LAYOUT/ARRANJO

    PANORMICO

    Uso parcial de salas individuais Envolvimento pessoal quando

    necessrio Divisrias com meia altura

    Mesas seguem mesmo padro, diferena na tonalidade

    Superviso discreta e mais facilitada Reduo de rudo Observaes:

    Funcionrios podem ser resistentes mudana

    Pode levar formao de grupos Existem variaes

  • EXEMPLOS DE ARRANJO

    (ARAUJO, LUIS C. G. - 2001)

  • EXEMPLOS DE ARRANJO

    (ARAUJO, LUIS C. G. - 2001)

  • EXEMPLOS DE ARRANJO

    (ARAUJO, LUIS C. G. - 2001)

  • EXEMPLOS DE ARRANJO (MESAS)

    (ARAUJO, LUIS C. G. - 2001)

  • EXEMPLOS DE PLANTA BAIXA

  • EXEMPLOS DE ARRANJO (MESAS)

    (ARAUJO, LUIS C. G. - 2001)

  • REFERNCIAS

    OLIVEIRA, Djalma P. R. Sistemas, Organizao & Mtodos. So Paulo: Atlas, 2002

    ARAJO, Luis C. G. de. Organizao, sistemas e mtodos e as modernas ferramentas de gesto organizacional. So Paulo: Atlas, 2001.

  • FIM