Click here to load reader

Teoria da comunicação Unidade IV

  • View
    431

  • Download
    1

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Escola de Frankfurt

Text of Teoria da comunicação Unidade IV

  • 1. 0 Unidade I: Unidade: Escola de Frankfurt

2. 1 Unidade:EscoladeFrankfurt Unidade: Escola de Frankfurt CONTEXTUALIZAO HISTRICA: A Escola de Frankfurt a designao histrico-institucional para Teoria Crtica, que tambm o nome resumido de Teoria Crtica Social. Na Alemanha, nos anos 30, foi criada a Repblica de Weimar (1918- 1933) com a tentativa de implantar um governo democrtico num cenrio internacional turbulento e extremamente agitado pelas consequncias da I Guerra, da ecloso da Revoluo Russa de 1917 e implantao da ditadura bolchevique, alm do surgimento do nazismo1 . A Alemanha assistiu perplexa a ascenso do nazismo e aos reflexos produzidos no pas. Muitas famlias foram foradas a deixar o pas e outras foram expurgadas nos campos de concentrao. A liberdade de pensamento desapareceu e cedeu vez a um governo truculento, racista e intolerante. A Escola de Frankfurt foi fundada em 1923 na Universidade de Frankfurt nesse clima de instabilidade scio-poltico-econmico sendo que a maioria dos fundadores descendia de famlias judias da classe mdia alem. Entre os nomes mais conhecidos da Escola, na primeira gerao, destacam-se: Max Horkheimer, Theodor Adorno, Herbert Marcuse, Eric Fromm, Leo Lowenthal. Na segunda gerao da Escola, destacam-se Jrgen Habermas, Albrecht Wellmer e Karl-Otto Apel. 1 Do verbete para Nazismo da Britnica: O Nacional Socialismo tentava reconciliar uma ideologia conservadora e nacionalista com uma doutrina social radical. Ao faz-lo, transformou-se num movimento profundamente revolucionrio, embora de forma negativa. Ao rejeitar racionalismo, liberalismo, democracia, a ordem da lei, direitos humanos e todos os movimentos de cooperao internacional e paz, reforava instinto, a subordinao do indivduo ao Estado, a necessidade de obedincia cega aos lderes indicados pelo topo. Tambm enfatizava a desigualdade entre homens e raas e o direito do forte sobre o fraco; procurou suprimir instituies polticas, religiosas e sociais; props uma tica dura e feroz; destruiu parcialmente distines de classes ao trazer para o movimento desordeiros de fracassados de todas as camadas. O socialismo era um credo internacionalista, mas a ala radical do Nacional Socialismo percebeu que existia uma massa interessada em polticas anticapitalistas e nacionalistas simultaneamente. Aps Hitler assumir o poder, no entanto, este grupo foi eliminado. http://pedrodoria.com.br/2006/09/26/entre-nazistas- e-socialistas/consulta em 08/02/2010 3. 2 Unidade:EscoladeFrankfurt Alude-se muito ao nome de Walter Benjamin sobre ser membro da Escola de Frankfurt, porm h autores que discordam e dizem que ele apenas passou por ela. No entanto, as pesquisas feitas sobre obras de arte e do cinema por ele so inegveis. Veremos isso quando estudarmos cada autor e suas idias separadamente, est bem? O perodo da construo do nazismo foi caracterizado por ser uma poca de perseguio contra os intelectuais, judeus, ciganos, homossexuais, entre outros. Ocorre que grande parte dos representantes dessa escola era intelectuais judeus de classe mdia, e tal fato no passou despercebido pelo governo de Hitler que se sentia ameaado pela novidade das idias que a escola de Frankfurt propunha. O governo aproveitou do fato da origem judia dos pensadores, fechou a escola em 1933 e iniciou perseguio poltica contra eles. Como consequncia dessas aes, parte dos intelectuais se refugiou nos Estados Unidos entre os centros acadmicos de Nova Iorque e Los Angeles. O retorno desses pensadores Alemanha s aconteceria em torno de 1950. A primeira gerao da Escola de Frankfurt desenhou os pressupostos tericos que dariam a consistncia necessria na formulao da Teoria Crtica. Para conhecer um pouco mais sobre a origem da Escola de Frankfurt, acesse : http://www.culturabrasil.pro.br/frankfurt.htm O PERFIL TERICO DA ESCOLA DE FRANKFURT A partir das idias marxistas, os tericos fizeram uma reviso delas, introduzindo os elementos da filosofia da cultura e da tica, da psicologia e da psicanlise. Surgia, desse novo olhar, a teoria da cultura para explicar as contradies do capitalismo na sociedade moderna. 4. 3 Unidade:EscoladeFrankfurt A proposio crtico-conceitual da Escola de Frankfurt finca seus alicerces na afirmao categrica da Kultur, tomando o sentido que a lngua alem confere a esse termo. Isso explica por que as consideraes filosficas de Adorno e Horkheimer apresentam rejeio ao termo mass culture (cultura para massa), substituindo para Kulturindustrie (indstria da cultura). O conceito de Kultur se associa idia de criao de que o esprito humano capaz caso da arte, da filosofia, da cincia e da religio. (...) a Kultur alem designava a libertao moderna das potencialidades do esprito (em alemo, Aufklrung), isto um estado oposto pela barbrie. (POLISTCHUCK,I &TRINTA,A.R, 2003,p.109-110) A partir da interpretao da citao acima, possvel afirmar que a teoria crtica se ops ao funcionalismo sociolgico e aos seus estudos j que suas pesquisas viam a sociedade como um todo, contrariando, portanto, o mecanicismo funcionalista e da razo instrumental. orientada para um fim que podemos entender que fosse o capitalismo. Ao contrrio dos funcionalistas, os tericos crticos compreendiam a importncia da relao entre as foras sociais, a centralidade da luta de classes e o papel do proletariado como sujeito da histria e o devir2 dela por meio do processo dialtico3 . Para os pensadores da Escola de Frankfurt, a razo crtica, deve se apoiar na histria e no deve ser partidria de posies assumidas, isto , ela no deve ser neutra nem cincia nem sociedade, ela deve ser dialtica. No entendimento do casal Mattelart : 2 Devir segundo o dicionrio do Aurlio o vir a ser. o tornar-se. 3 Dialtico que diz respeito da dialtica . Na Histria da Filosofia, conforme Hegel,( ...), a natureza verdadeira e nica da razo e do ser identificados um ao outro e se definem segundo processo racional que procede pela unio incessante de contrrios- tese e anttese numa categoria superior, a sntese. Segundo Marx o processo da descrio do real. (Dicionrio Aurlio) 5. 4 Unidade:EscoladeFrankfurt o marxismo emprestou ferramentas filosofia, cultura, tica, psicossociologia e psicologia do profundo. O projeto fazer juno entre Marx e Freud. (MATTELART & MATTELART,200,74) Quanto ao Iluminismo, ele era criticado porque desde a Idade Moderna os iluministas revolucionrios atribuam, a eles e aos que rodeavam, o esprito das Luzes. A burguesia no seu af ao poder fazia naquele momento parte de uma elite que detinha a escrita: letrados ou iluminados e ambicionavam a conquista do poder por meio dela - eram os homens das letras e do poder. A modernidade, cujo projeto se colocou sob abrigo da razo, visa emancipao e auto-realizao do ser humano, mas seu resultado histrico , antes, o contrrio, a racionalizao da dominao social, a destruio da natureza e a coisificao do homem. RDIGER, Francisco- A ESCOLA DE FRANKFURT: JRGEN HABERMAS. http://www.robertexto.com/archivo14/frankfurt_pt.htm 1 acesso em 2006 2 acesso em 11/02/2010 s 16:09h Entre as idias da Escola de Frankfurt, existe a discusso acerca da ideologia e o papel que ela exerce na comunicao. A ideologia entendida sob a luz do pensamento marxista que a v como instrumento da classe dominante. Em outras palavras, aquele pensamento que leva a ideologia a prevalecer sobre uma determinada classe social. (POLISTCHUCK,I&TRINTA..R,2003 p.111) Dessa maneira, os meios de comunicao esto a servio dessa ideologia, da classe dominante que persuade as classes inferiores com o intuito de manipul-las. 6. 5 Unidade:EscoladeFrankfurt AGORA VAMOS CONHECER OS PRINCIPAIS TERICOS E SUAS TEORIAS? THEODOR WIESENGRUND ADORNO Adorno nasceu em Frankfurt em 11/09/1903 e faleceu na Sua em 06/08/1969. http://pt.wikipedia.org/wiki/Theodor_W._Adorno MAX HORKHEIMER Max Horkheimer nasceu em 14 de fevereiro de 1895, em Stuttgart, na Alemanha e faleceu em 7 de julho de 1973, em Nuremberg, na Alemanha. http://educacao.uol.com.br/biografias/max-horkheimer.jhtm A histria desses dois pensadores se cruza na Escola de Frankfurt e no incio da dcada de 1940 quando Max Horkheimer escreve, junto com Adorno, "Dialtica do Esclarecimento" (tambm conhecida como "Dialtica do iluminismo.") e criam juntos, o conceito de indstria cultural. Por meio da anlise de produtos industriais dos bens culturais como filmes, programas de rdios, revistas entre outros, eles observaram que esses produtos obedeciam a um planejamento administrativo igual ao de outros bens feito em srie. O que isso quer dizer? Para eles, os produtos culturais seguem a mesma lgica de bens de consumo com vistas a satisfazer um nmero cada vez maior de consumidores. Entendido dessa maneira, tudo se transforma em mercadoria. (grifo nosso) em funo da tecnologia que se coloca a servio da economia, suprimindo a funo crtica. Quem afirma isso o casal Mattelart que vai mais alm e diz que esses produtos 7. 6 Unidade:EscoladeFrankfurt trazem de maneira manifesta a marca da indstria cultural: serializao- padronizao - diviso de trabalho. (MATTELART & MATTELART,2000 p.78) Para Adorno e Horkheimer, a inteno da indstria cultural ofuscar a percepo das pessoas por meio daquilo que consomem. A indstria cultural a ideologia da classe dominante e por meio dos bens culturais manipula a massa passando-lhes valores ou desejos. Segundo Silva: importante frisar que a grande fora da Indstria Cultural se verifica em proporcionar ao homem necessidades. Mas, no aquelas necessidades bsicas para se viver dignamente (casa, comida, lazer, educao, e assim por diante) e, sim, as necessidades do sistema vigente (consumir incessantemente). Com isso, o consumidor viver sempre insatisfeito, querendo, constantemente, consumir e o campo de consumo se torna cada vez maior. Tal dominao, como diz Max Jimeenez, comentador de Adorno, tem sua mola motora no desejo de posse constantemente renovado pelo progresso tcnico e cientfico, e sabiamente controlado pela Indstria Cultural. Nesse sent

Search related